Menu Fechar

Noites frias… Noites de amor

Carla Ribeiro

A cada noite que saio para a rua, parto de mãos vazias, mas com o coração carregadinho de Amor e Alegria. São noites frias, noites quentes, são apenas mais uma noite para quem na rua mora.

Mas para mim, são noites de Amor, de partilha de preocupação.

Noites de encontros, reencontros e até desencontros, em que a inoperância e até a desilusão às vezes me acompanham em cada caminhar, em cada noite, em cada olhar.

Resilientes, são estas Pessoas que por estas ruas da cidade moram, ou simplesmente sobrevivem.

relatos - 01 - 01fev15

Um novo ano já começou e para trás já ficaram as tão faladas festas Natalícias e de final de Ano. O “Corações Amigos”, festejou com os seus Amigos de Rua esta quadra.

Não, não saímos há rua no dia de Natal.

Mantivemos as nossas datas habituais, e no dia 27 fomos festejar o Natal.

Recolhemos durante algum tempo cabazes, com meias, sabonetes, lâminas da barba, bolachas, chocolates, luvas, cascóis, e tudo fomos separando para podermos levar uma prendia a este nossos Amigos, pois com eles queríamos fazer também Natal.

relatos - 02 - 01fev15

Preparamos a nossa noite com muito carinho, como sempre fazemos. Uma equipa animada, cheia de vontade de partilhar.

Prendinhas para todos. Cada saquinho tinha um par de meias novas, lâminas da barba, sabonete, pasta dos dentes e umas bolachinhas docinhas, um miminho diferente para uma noite diferente.

Levamos Bolo-rei e Pão-de-ló, alguns chocolates, e outros miminhos que não chegando para todos fomos distribuindo por quem deles necessitava.

A todos que nos ajudaram com as suas ofertas, o nosso Obrigado, pois sem elas não teríamos estes miminhos para entregar e alegrar esta noite.

relatos - 03 - 01fev15

Na hora de sair, não faltaram os gorrinhos de Natal.

Noite fria, muito fria, mas em cada paragem, sabia, que por nós eles esperavam.

É este Amor que me faz trocar o aconchego do meu lar e partir para a rua ao encontro dos nossos Amigos de Rua.

Cada brilho nestes olhares, cada sorriso, cada abraço, sentido com o coração, embalam-me no meu caminhar.

relatos - 04 - 01fev15

Não há frio, nem há chuva, nada me tira da rua, pois é com eles que quero esta noite partilhar. Rostos que com um sorriso rasgado nos recebe, que por nós já esperava.

“Sabia que vinha, vocês não faltam”… e estas palavras seguidas de um abraço ecoam dentro de mim.

Sim. Levamos alimento, uma sopa quente, leite com chocolate quente e café, umas sandes, o Bolo-rei e o Pão-de-ló, mas é para eles mais importante saciar a fome ávida de uma palavra de um conforto, de uma partilha.

Mais do que alimento, esperam as nossas palavras, a nossa alegria, as nossas brincadeiras, pois são estes momentos, estas horas as vezes que vão saciar a fome da solidão, aquecer estas noites frias mesmo em dias de verão.

E noite fora fomos caminhando ao encontro dos nossos Amigos de Rua, e fomos com eles partilhando toda esta magia de Natal, e até os nossos gorros alguns pediram para recordar.

Como são plenos de beleza, de magia todo este sentimento, todos estes sentir.

E nesta noite e em tantas outras noites frias, tantas as vezes que uma lágrima se cala bem dentro de mim…

E como são frias as ruas da cidade, carregadas de solidão, pessoas que vão e que passam mas que nada sentem em cada caminhar.

relatos - 05 - 01fev15

ESTÃO FRIAS AS RUAS DA CIDADE

O sol já brilha,

Mas o frio está gélido.

As ruas da cidade estão vazias.

Alguns rostos,

Muitos poucos,

Escondidos,

No aconchego de um cachecol.

Como estão frias as ruas da cidade.

Não há movimento

Faltam as pessoas

Até os carros a buzinar.

Mas no vão de uma escada

Ou no portal de uma loja

Os cobertores, os cartões

Sinal que ali dorme alguém.

Estão frias as ruas da cidade

Mas nelas dormem Pessoas.

Está frio,

Tenho frio.

Estou dentro do carro

No aconchego das minhas vestes quentes.

Mas está frio nas ruas da cidade.

Rostos frios, rostos tristes

Está frio nas ruas da cidade.

Estão sem movimento.

Onde está o movimento,

As pessoas,

Que todos os dias.

Correm apressadas.

Despiu-se a cidade,

Encheu-se de frio,

De gelo,

Até de neve.

Perderam-se os sentimentos.

Está fria a cidade.

Ficaram apenas

Os que nestas ruas dormem.

Com frio, com gelo,

Num vão de escadas,

Na entrada de uma qualquer loja,

Cobertos por um qualquer cartão.

Está frio na cidade,

Mas eles continuam cá,

Eles que a habitam de noite e de dia,

No frio e no calor.

Estão frias as ruas da cidade…

(Carla Ribeiro-2014.12.31)

relatos - 06- 01fev15

A cada saída o “Corações Amigos” transforma Noites Frias em Noites de Amor.

NÃO ME ESPEREM

Não me esperem

Pois vou estar a semear

Semear o Amor.

Não me esperem

Quero tornar quentes as noites frias.

Frias de carinho,

Frias de afetos,

Frias de palavras,

Frias de solidão.

Quero nelas plantar o calor,

Um sorriso,

Brilho no olhar,

Palavras de carinho,

Gestos de Amor.

Não me esperem

Eu vou caminhar

Pelas ruas da cidade

Com os Corações

Nas palavras, no peito e até nas mãos.

Não me esperem,

Vou estar a semear.

Tornar quentes

As noites frias,

Mesmo nos dias de calor.

(Carla Ribeiro-2015.01.15)

A todos, um simples até já.

A todos sem igual,

Obrigada por me lerem

Até breve com novos “sentir”, novos “amar”…

 

Fotos: “Corações Amigos”

01fev15

Partilhe:

11 Comments

  1. João

    “João: Num arrepio, senti o frio que descreveste aqui, ainda mais pois sei que não teria nunca a coragem que tens, nesta tua cruzada.
    Minha Amiga, parabéns pelo que de belo escreves, pelo que de coração te entregas ao proximo. e não posso deixar de agradecer a todos que em cada noite te seguem e apoiam na rua e nas ajudas que vais recebendo para ajudar os que da vossa ajuda necessitam.
    Meu deus, como sou um felizardo e ao mesmo tempo um inutil na nossa sociedade, pois sei que nada faço em prol dos que tão pouco têm e tanto vos dão de sincero.
    Obrigado por existires e seres essa pessoa maravilhosa
    Obrigado a todos que te acompanham e como eu acreditam em ti
    Prometo mudar, so não sei bem quando… mas sei que tenho que mudar.
    Carla, Obrigado pela tua Amizade e pela MULHER que cada dia que passa mais me surpreende
    Obrigado Amiga
    Bjnhs e até breve

  2. Carla Ribeiro

    Obrigada Luís Filipe Bastos, nem imaginas o qt são importantes palavras como as tuas.
    Bjnhs e obg por me leres, por nos seguires

  3. Su

    “Su Silva: Que esse amor tão grande pela ajuda ao próximo ,vá crescendo a cada amanhecer,e essa força vá aumentando…Um bem haja a todos que deixam o conforto dos seus lares para ajudarem os que MAIS PRECISAM…BEM HAJA A TODOS!!!!”

  4. Joaquim C M

    “Joaquim: Boa noite Carla Ribeiro Obrigado pelo teu doce carinho… se fossem todos como tu havia mais paz e carinho e menos pobreza -…. Beijinho!”

  5. Candida Nunes

    “bem haja a quem pode se dedicar as estas causas colega já andei muitos anos atras mas agora nâo posso por motivos de doença do meu marido que deus te ajude muita força um beijinho para cada um deles que sâo muitos infeslismente beijimhossss colega Carla”

  6. Natalia

    “Natalia Silva: Lindo . E de certeza que dàs muitas alegrias e enches de carinho as pessoas que moram na rua. Admiro muito o vosso trabalho.Beijos”

  7. AL

    “Coisas lindas, escritas com amor- só mesmo tu…
    acho que és única no teu género
    Parabéns, quem te conhece , sabe bem o que vales em termos humanos e literários”

  8. Luís Filipe Bastos

    “Luís Filipe Bastos: Admiro a tua bondade a tua perseverança e carinho e amor para com os sem abrigo….não consigo arranjar adjectivos para esse amor.bem hajam pelo bem que fazem………bjs.”

  9. João Eduardo Gomes Sarabanda

    Gostaria de deixar umas breves palavras sobre o que li neste jornal escrito pela vossa colega Carla Ribeiro. Do que li é das coisas mais simples e mais bonitas que pode ler e apreciar sor poesia é tudo muito obrigada Carla Ribeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.