Menu Fechar

Num perfeito vazio

Miguel Correia

O meu percurso laboral junto da Metro do Porto atingiu os 2700 dias de condução. Para os amantes da estatística, posso indicar que gastei 21600 horas (da minha vida) aos comandos das composições. Milhares de rostos desconhecidos e olhares que se cruzam sem qualquer familiaridade. De vez em quando recebo um sorriso ou um cumprimento. Gesto demasiado raro numa sociedade que prefere viver com sentimentos negativos. Talvez isso explique a cuspidela no vidro quando passei, sem serviço, na estação de Francos. E, pelo aspeto esverdeado da mesma, aconselho o rapaz – se estiver a ler esta crónica – a procurar um médico!

Há mais de quarenta minutos que não digo uma palavra. E sei que ainda falta bastante para terminar esta parte do turno. Estou confinado na cabina de condução sem qualquer distração ou ligação ao mundo exterior. A única comunicação autorizada é com o posto de comando em caso de anomalia (ou avaria) verificada na rede ferroviária. O relógio parece que se move em câmara lenta. Sinto na pele vários dias a acordar ainda de madrugada, enquanto a cidade dorme. O sono, aliado ao silêncio e à excessiva mecanização de gestos são inimigos fortíssimos que se manifestam durante a condução. Que bom seria, de vez em quando, ter alguém com quem falar! Penso na minha família. Sei que estes turnos não permitem que lhes dê a atenção desejada. Por vezes, para conseguir acompanhar os momentos mais importantes, tenho que fazer mais contas e trocas que o Ministro das Finanças para apresentar o orçamento.

077) NUM PERFEITO VAZIO

Volto a reparar no vidro. A cuspidela já se espalhou e, pelo aspeto esverdeado, fico preocupado com o estado de saúde do rapaz! Tal gesto de animosidade é vulgar e corriqueiro. Esta juventude revela uma crise de valores e falta de educação preocupante. Tendo em conta a facilidade de locomoção e falta de uma fiscalização condigna, o sistema de Metro ligeiro é considerado um paraíso. Tudo é permitido! Lixo, cães de raça sem açaime, fumadores, javardos, etc. E contam com a total passividade e conivência dos restantes utilizadores! Reina a anarquia, que tem a sua expressão máxima com os que resolvem, como trogloditas, bloquear as portas da composição e são os primeiros a reclamar pela mínima avaria, falha ou erro do maquinista. Há um afastamento na relação com os passageiros. Aquele que hoje me cumprimenta, amanhã será o primeiro a exigir a minha crucificação. Mesmo quando o veículo – por razões de frequência e horário – passa na estação sem serviço comercial. Temo pela sociedade que perdeu a vontade de lutar pelos valores e ideais. Agora, procurem o rapaz para o levar ao médico. Aquilo, no vidro, tem mesmo fraco aspeto…

01nov18

Partilhe:

2 Comments

  1. elisabetta francesca dellarole

    BOA NOITE , MEU AMIGO MIGUEL CORREIA , ADMIRA-ME A SUA INGENUIDADE, AINDA NÃO PERCEBEU , QUE ESTAMOS A VIVER NO TEMPO DOS TROGLODITAS?ESTAMOS A NIVELAR TUDO POR BAIXO, TODOS PENSAM NO SEU PRÓPRIO UMBIGO , TODOS TEMOS PROBLEMAS , MAS. CUSTA TÃO POUCO , DIZER SE FAZ FAVOR, OBRIGADO , BOA TARDE ,E ASSIM POR DIANTE.O QUE ME PREOCUPA MUITO , E NÃO TENHO FILHOS , E’ ESTA JUVENTUDE ,QUE CRESCE SEM VALORES PORQUE EXISTEM CURSOS PARA TUDO , MAS, NÃO PARA , PAIS. ORA BEM COMO PODEMOS GENERALIZAR E DIZER QUE E’ DOS PAIS, QUANDO , PARTIMOS DO PRINCÍPIO QUE CADA PAI DÁ O QUE DE MELHOR SABE PARA UM FILHO? ESTÁ SIM , IMPLICADA TODA UMA SOCIEDADE , CADA UM , COM A SUA RESPONSABILIDADE EM ESTENDER AS MÃOS , PARA ENCONTRAREM SOLUÇÕES , PARA DAR UM RUMO A ESTA GERAÇÃO QUE NÃO SE ESQUEÇAM , MUITOS SERÃO OS LÍDERES DO FUTURO ,OU NÃO ,MAS QUE SEJA O QUE FOR QUE FAÇAM , O FAÇAM , BEM FEITO E COM ORGULHO , NENHUMA PROFISSÃO , E’ IMPRESCINDÍVEL . O QUE E´IMPRESCINDÍVEL , E’ ROUBAR ISSO SIM. ISSO E’ VERGONHA , O SER VARREDOR POR EX. NÃO O E’. VAMOS NIVELAR PORTUGAL POR CIMA , NÃO ACHAM QUE MERECE? UM ABRAÇO . DESCULPEM ESCREVER EM LETRA MAIÚSCULA , MAS , TENHO QUE SALVAGUARDAR A VISTA , O MEU TRABALHO EXIGE MUITO DOS MEUS OLHOS ,E , EU TENHO QUE OS SALVAGUARDAR PERDOEM-ME, A INDELICADEZA.UMA BOA NOITE A TODOS .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.