Menu Fechar

Mayday, aeroporto de Beja!

Miguel Correia

Fosse eu um delegado comercial ao serviço da nossa nação e certamente teria apresentado um atestado médico (fraudulento, com certeza!) ou, quem sabe, até mesmo um pedido de demissão. Porque um vendedor tem de acreditar no produto que vende e, sinceramente, por mais notícias que leia ou veja, julgo que o nosso país não tem remissão possível! Sinto que a probabilidade de encontrar boas notícias é a mesma que conseguir ganhar o Euromilhões. Somos um povo extremamente prestável, é verdade. Mas, com tanta agilidade, vamos saltando etapas e procedimentos. Reina o facilitismo e, como tal, a asneira é garantida…

Os órgãos de comunicação social interromperam as suas emissões para dar conta de um avião em dificuldades nos céus da capital. A aeronave, da companhia “Air Astana”, descolou de Alverca e declarou emergência enquanto sobrevoava a região a norte de Lisboa numa trajetória irregular. A bordo do avião seguiam seis pessoas com destino a Minsk, na Bielorrússia. Inclusive foi revelado que a aeronave tinha concluído os trabalhos de manutenção na OGMA (Indústria Aeronáutica de Portugal). Ou seja, o mesmo cenário das muitas oficinas manhosas – espalhadas pelo nosso território – onde a máquina entra para um check-up e ganha uma avaria qualquer. Nada de estranho até aqui! Os pilotos conseguiram aterrar o avião em segurança, no Aeroporto de Beja, apesar da instabilidade que tornava o aparelho incontrolável. Chegaram a ponderar aterrar no Rio Tejo! Sim, copiar o que os outros fizeram na América! A Força Aérea enviou dois caças F-16 para escoltar o avião. Sempre foram úteis para captar as imagens da aterragem do avião em dificuldades…

manutencao aviao

Desenganem-se os que pensam que a história teve um final feliz. Há uma investigação em curso e já se apurou que o avião esteve mais de um mês em manutenção nas oficinas. Fez uma inspeção de tipo C – a mais profunda de todas – que implica verificação total do aparelho e desmontagem de várias partes. De acordo com o apurado, o descontrolo da nave pode estar ligado a um problema nos comandos que controlam a inclinação lateral – os ailerons – existentes nas asas. Até porque os pilotos se queixaram de virar o avião para um lado e ele voltava-se para o outro. Em português simples: alguém montou o painel ao contrário! Aquilo tem tantos fios… É o mesmo que se passa nas oficinas manhosas que todos conhecemos! Poupam-se uns trocos nas revisões, correndo o risco de perder o veículo. E não se acreditem que o seguro vos indemnize!

Os investigadores vão analisar os dados da caixa negra do aparelho e certamente haverá um longo caminho de investigação a percorrer. (Lembram-se de Camarate? Tantos anos passaram e ainda não há resultados). Contudo, podemos agradecer a esta companhia aérea do Cazaquistão ter dado utilidade (e algum reconhecimento) a um Aeroporto Internacional de Beja que, apesar de construído em 2011 para focalizar as companhias aéreas de baixo-custo, limita-se a receber voos charter sazonais e aeronaves para manutenção e estacionamento. Para além de ter custado uma pipa de massa… a todos nós, contribuintes! Mayday!!!

Foto: pesquisa Google

01dez18

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.