Menu Fechar

POLVO À LAGAREIRO

Agora o polvo… Apesar de ser uma coisa que adoramos, seja assado, cozido, em salada ou à lagareiro…Devido à sua escassez o polvo não é um alimento propriamente barato. E rende francamente pouco. Hoje não resisto e vou dar uma receita deliciosa de “Polvo à Lagareiro” como se usa no norte do país, mas primeiro vamos ver um pouco da sua história.

O polvo é pescado em todo o litoral do país, no entanto o de melhor qualidade e sabor é pescado na costa do Algarve, devido às suas águas mais quentes e ao alimento disponível é considerado o melhor do mundo.

Ainda não há muito tempo, secava-se o polvo para consumir mais tarde e assim chegava mais longe, especialmente aos  lares do interior, que logo lhes faziam as honras.

Uma das técnicas de captura é feita através de covos, armadilhas com isco que atraem o polvo para o interior. O isco pode ser vivo (caranguejo) ou morto (cavala). Um barco pequeno pode levar até 750 covos (pequenas gaiolas de rede) esta transformação na arte da pesca deu-se aqui no norte e hoje todo o país a usa. Antigamente as capturas eram feitas com alcatruzes feitas de barro que só apanhavam um polvo de cada vez.

Alcatruzes
Alcatruzes

Há cada vez menos embarcações, antigamente todas as famílias de pescadores se dedicavam à pesca do polvo, desde o final do verão até ao início do verão seguinte e assim representou o ganha-pão de muitas famílias. Os covos têm o problema de apanhar todos os tamanhos, talvez pareça exagero, mas há barcos com 10mil covos, daqui a alguns anos está tudo destruído e acaba-se o tão delicioso polvo, mas como ainda vamos tendo, vamos à nossa receita de “Polvo à Lagareiro”, no entanto gostava de sugerir que antes de servir esta delícia apresente para entrada da refeição uma pequena tábua de queijos que pode acompanhar com o mesmo vinho com que vai servir o polvo, Um tinto leve e redondo.

polvinhos(03)-dez18-cn

Esqueça o cliché do vinho branco para peixe e do tinto para a carne.

Os vinhos portugueses respeitam a gastronomia clássica  e ao mesmo tempo desafiam novas harmonizações, gastronómicas que não se encontram em nenhuma outra parte do mundo.

O Polvo tem um sabor que é ligeiramente neutro, este alimento pode ser acompanhado por tintos leves e redondos,) assim como a tábua de queijos de sabor leve tais como: Queijo Camembert, Gouda e Brie ou outros do mesmo teor.

polvinhos(05)-dez18-cn

Se optar por servir o queijo como sobremesa pode escolher os nossos afamados queijos de ovelha, com um punhado de nozes, mas aí já pode acompanhar com vinho do Porto, pois harmoniza muito bem. Fica ótimo.

Dica: Sirva qualquer destes vinhos ligeiramente frio entre 15 a 16º centígrados.

Vinhos Tinto leves, são vinhos delicados que devem apresentar uma cor brilhante e levemente mais pálida que os demais tintos, além de leveza e frescor, onde a acidez viva é uma de suas principais características

Destaco aqui algumas das uvas mais conhecidas e apreciadas que, geralmente, originam vinhos mais delicados e menos encorpados:

-Bonarda, Cinsault, Gamay, Grenache (Garnacha), Pinotage, Pinot Noir-

POLVO À LAGAREIRO

Grau de dificuldade       fácil

Custo   médio

Tempo preparação        70 minutos

Tempo cozedura           30      “

Número de doses          04

Ingredientes:

2 polvos com cerca de 1kg cada +-
Batatas pequenas q.b. ( normalmente regula 3 médias para cada pessoa)
15 dentes de alho
Salsa ou Coentros a gosto
Sal grosso q.b. 
Azeite q.b.
2 folhas de louro ( retire  a nervura central)

1 colher de sobremesa de sumo de limão

Ingredientes
Ingredientes

(tem duas formas de cozer o polvo ou na panela de pressão que é a minha preferida ou numa panela com água a ferver).

Dica: O polvo  deve ser sempre congelado para lhe partir as fibras.

– Se preferir a panela com água a ferver mergulhe o polvo três vezes antes de o colocar lá. Deite a cebola inteira e deixe cozer durante 50/55min. Quando estiver macio retire e escorra bem.

Se optar por utilizar uma panela de pressão, coloque a água a ferver só a suficiente para tapar o polvo ligeiramente, o polvo entra na água a ferver  e encaracola rapidamente as  pernas, retira e volta a entrar quando a água estiver a ferver novamente, junte a cebola inteira (nunca coloque o sal, pois enrijece)  quando a panela tiver pressão, deixe cozer durante 30 min. ( gosto de o cozer já com as pernas separadas).

Enquanto isso, coloque um tacho com água fria bem temperada de sal ao lume com as batatas, (de preferência pequenas) com casca, muito bem lavadas. Coze em 15minutos. Quando estiverem quase cozidas, retirar do lume e escorrer. Pegar em cada batata e dar-lhe um pequeno “murro” para que rebente a pele.

Entretanto pôr o forno a aquecer entre os 200 e os 220ºC. Colocar os polvos no tabuleiro de ir ao forno, juntamente com as batatas.

A cozinhar
A cozinhar

Num outro tacho mais pequeno colocar azeite, generosamente e juntar 10 dentes de alho esmagados ( utilize a picadora. – um, dois, três e os restantes alhos, picados. Juntar uns pezinhos de salsa picada (ou coentros), as folhas de louro e um pouco de sumo de limão. Levar ao lume e assim que começar a ferver regar o polvo e as batatas com este molho. Levar ao forno bem quente cerca de 20 minutos, mexendo de vez em quando para que o polvo e as batatas adquiram o sabor do azeite.
Sirva com salada.

Bom Apetite…

Texto e confeção: Carmen Navarro

Fotos: Bruna Nunes

01jan19

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.