Menu Fechar

CURTAS PARA REESCREVER O MUNDO

Os acontecimentos recentes têm-nos mostrado a importância de voltarmos a olhar a história. Reescrever acontecimentos, redescobrir os arquivos da memória, reclamar heranças e redesenhar velhas simbologias são estes os desafios propostos pelas 56 curtas que integram as competições internacional e experimental do 27.º Curtas. Vozes singulares, a trabalharem nas fronteiras entre géneros, fora e dentro das suas próprias heranças culturais, que nos mostram os caminhos de conexão entre as experiências pessoais e o comum, o ontem e o hoje, o agora e o amanhã.

Nascido em Dallas em 1950, Billy Woodberry é dos fundadores do movimento L.A. Rebellion, um colectivo de cineastas Afro-Americanos por um cinema negro nos Estados Unidos. Durante o trabalho de pesquisa para a sua mais recente longa, dedicada ao poeta-ativista Angolano Mário Pinto de Andrade, cruzou-se com o arquivo fotográfico que retrata os efeitos da campanha de pacificação levada a cabo pelo exército Português sobre o povo Cuamato, após as conferências de Berlim de 1885.

Daí nasce este A Story from Africa, um retrato da bravura e da resistência de um povo até à sua queda. Ainda nos territórioS da herança negra, Bárbara Wagner e Benjamin de Burca, dupla que esteve este ano em foco na Bienal de Veneza, voltam a questionar a forma como tradições culturais, outrora símbolo de resistência, têm sido apropriadas pela indústria do entretenimento e turismo.

Em R.I.S.E, obra premiada em Berlim, ocupam uma das mais recentes linhas de metro de Toronto com o trabalho de jovens rappers e poetas marginalizados, num filme que é discurso comum entre a periferia e o centro, o tradicional e o contemporâneo, a identidade individual e o grupo. E se de cruzamentos falamos aqui, paremos em Vever (for Barbara), deDeborah Stratman. Um ensaio poético que conecta três gerações de realizadoras que, em separado e em conjunto, assumiram diversos desafios e, com isso, se expuseram à reinterpretação dos seus próprios processos cinematográficos.

Radu Jude é um dos mais reputados cineastas romenos da atualidade. Presença obrigatória nos festivais nacionais há já uns anos, tem vindo, entre longas e curtas, a dar novas dimensões a eventos históricos do último século da Europa.

Em The Marshal’s Two Executions abre a tela a duas visões distintas sobre a execução do general Ion Antonescu, o líder romeno durante a segunda guerra mundial. É o mesmo olhar cirúrgico que encontramos em Gürcan Keltek. Trabalhando no ponto de encontro entre o documentário e a ficção, conta histórias sobre os conflitos, lutas e marginalizações que se escondem na história turca. Em Gulyabani, curta com que se apresenta em Vila do Conde, leva-nos pelos diários e memórias de Fethiye Sessiz, uma vidente residente em ?zmir, vítima de abuso, rapto e tortura.

No lado oposto das forças, Benjamin Crotty, realizador e artista visual que colabora frequentemente com Gabriel Abrantes, filma Le Discours D’acceptation Glorieux De Nicolas Chauvin. Um filme que nos coloca frente-a-frente com um veterano de guerra que, durante a cerimónia de entrega de um prémio de carreira, redescobre a sua própria história de vida.

Regresso de Ludovic Houplain, que já havia passado pelo Curtas com Logorama, filme galardoado com um Óscar. Como condutor do seu novo filme, My Generation, terá, muito certamente, olhado pelo seu próprio espelho retrovisor. O filme mostra a sua visão apocalíptica do mundo contemporâneo, onde um veículo em marcha atrás nos leva por todas as pragas dos tempos modernos: da arte à big data, do desporto à religião, do sexo à política e à finança. Jogo inverso em It has to be lived once and dreamed twice de Rainer Kohlberger.

Após a sexta grande extinção em massa, a humanidade desapareceu da Terra, mas há uma nova vida a despertar e tenta entender o que a rodeia e, eis que então descobre a história cinematográfica da humanidade. Do futuro novamente para o agora, com Suspended Island, de Jane Wilson eLouise Wilson, uma instalação visual que questiona o lugar da Inglaterra pós-Brexit, e Shatki, deMartín Rejtman, a trazer um novo ponto de entrada para o microcosmo da sociedade argentina, através das desventuras amorosas de Federico.

A 27.ª edição do Curtas de Vila do Conde integrará ainda estreias nacionais para trabalhos recentes de Ken Jacobs (The Whole Shebang), James Franco e Pedro Gómez Millán (Birth of a Poet), Chema García Ibarra e Ion de Sosa (Leyenda dorada), Kevin Jerome Everson (Polly One), Stéphane Aubier e Vincent Patar (Panique au Village – La foire Agricole), Franck Dion (Per Aspera Ad Astra), Ben Rivers (Trees Down Here), Bill Morrison (Cinematograph) e Brandon Cronenberg (Please Speak Continuously and Describe Your Experiences as They Come to You).

O 27º Curtas Vila do Conde, que decorre entre 6 e 14 de Julho, tem o apoio do programa MEDIA/Europa Criativa, da Câmara Municipal de Vila do Conde, do Ministério da Cultura, do Instituto do Cinema e Audiovisual e de vários parceiros imprescindíveis à realização do festival.

SELECÇÃO COMPETIÇÃO INTERNACIONAL

A Letter To Home, Mukul Haloi, Índia, FIC, 2018, 25′
A Story from Africa, Billy Woodberry, Portugal/ EUA, DOC, 2018, 32′
America, Garrett Bradley, EUA, DOC, 2019, 27′
Bicicletas, Cecilia Kang, Argentina, FIC, 2018, 27′
Birth of a Poet, James Franco, Pedro Gómez Millán, Zachary Kerschberg, EUA, FIC, 2019, 14′
Blessed Land, Ph?m Ng?c Lân, Vietname, FIC., 2019, 18′
Cadoul de Craciun, Bogdan Muresanu, Roménia, FIC, 2018, , 20′
Demonic, Pia Borg, Austrália, DOC, 2019, 28′
Deux Sœurs Qui Ne Sont Pas Sœurs, Beatrice Gibson, Reino Unido/Alemanha/Canadá/França, DOC/EXP, 2019, 22′
Dreamland, Raphaël Matthieu, França, FIC, 2019, 14′
Everything You Wanted To Know About Sudden Birth* (*But Were Afraid To Ask), Scott Calonico, Reino Unido/Alemanha/EUA, FIC, 2018, 11′
Gulyabani, Gürcan Keltek, Holanda/Turquia, FIC/EXP, 2018, 35′
In Between, Samir Karahoda, Kosovo, DOC, 2019, 14′
L’Autre sur ma tête, Julie Colly, França, FIC, 2018, 9′
L’été Et Tout Le Reste, Sven Bresser, Holanda, FIC, 2018, 18′
Le Cortège, Pascal Blanchet, Rodolphe Saint-Gelais, Canadá, ANI, 2019, 8′
Le Discours D’acceptation Glorieux De Nicolas Chauvin, Benjamin Crotty, França, FIC, 2018, 26′
Levittown, Nelson Bourrec Carter, França/EUA, FIC, 2018, 13′
Leyenda dorada, Chema García Ibarra, Ion de Sosa, Espanha, FIC, 2019, 11′
Los Que Desean, Elena López Riera, Suíça/Espanha, DOC/FIC, 2018, 24′
Movements, Dahee Jeong, Dahee Jeong, Coreia do Sul, ANI, 2019, 10′
My Generation, Ludovic Houplain, França, 2018, ANI, 8′
Olla, Ariane Labed, França, Reino Unido, FIC, 2019, 27′
Panique au Village – La foire Agricole, Stéphane Aubier, Vincent Patar, Bélgica/França, ANI, 2019, 26′
Per Aspera Ad Astra, Franck Dion, França, ANI, 2019, 11′
Piece Of Meat, Huang Junxiang, Jerrold Chong , Singapura, ANI, 2019, 12′
Plaisir Fantôme, Morgan Simon, França, FIC, 2019, 15’57”
Please Speak Continuously and Describe Your Experiences as They Come to You, Brandon Cronenberg, Canadá, FIC, 2019, 9′
Psychic, Tova Mozard, Suécia, DOC, 2019, 17′
R.I.S.E., Bárbara Wagner, Benjamin de Burca, Canadá/Brasil, DOC, 2018, 25′
Shakti, Martín Rejtman, Argentina, Chile, FIC, 2019, 19′
Soy Una Tumba, Khris Cembe, Espanha, França, ANI, 2018, 12′
The Culture, Ernst De Geer, Noruega, Suécia, FIC, 2018, 25′
The Marshal’s Two Executions, Radu Jude, Roménia, FIC, 2018, 10′
The Six, Xu An, Xi Chen, China, ANI, 2019, 5′

SELECÇÃO COMPETIÇÃO EXPERIMENTAL

A Return, James Edmonds, Alemanha, EXP, 2018, 6′
Ada Kaleh, Helena Wittmann, Alemanha, DOC, 2018, 14′
Altiplano, Malena Szlam, Chile/Argentina/Canadá, EXP, 2018, 16′
Ambulatório Através da Poesia de Augusto Dos Anjos e António Nobre, Pedro Bastos, Portugal, EXP, 2019, 30′
Atomic Garden, Ana Vaz, Brasil, Portugal, DOC, 2018, 8′
Cavalcade, Johann Lurf, Áustria, EXP, 2019, 4′
Cinematograph, Bill Morrison, EUA, EXP, 2018, 3′
Darwin Darwah, Arash Nassiri, França, DOC/EXP, 2019, 16′
El Laberinto, Laura Huertas Millán, França, Colômbia, EXP, 2018, 21′
It has to be lived once and dreamed twice, Rainer Kohlberger, Alemanha/Áustria, EXP, 2019, 28′
Pattern Cognition, Thorsten Fleisch, Alemanha, ANI, 2019, 7′
Polly One, Kevin Jerome Everson, EUA, EXP, 2018, 6′
Suspended Island, Jane Wilson, Louise Wilson, Reino Unido, EXP, 2018, 16′
The Air Of The Earth In Your Lungs, Ross Meckfessel, EUA/Japão, EXP, 2018, 11′
The Evil Eye, Clément Cogitore, França, DOC/EXP, 2018, 15′
The Loom, Toby Tatum, Reino Unido, EXP, 2018, 8
The Whole Shebang, Ken Jacobs, EUA, EXP., 2019, 5′
Transformation Scenario, Clemens von Wedemeyer, Alemanha, EXP, 2018, 20′
Trees Down Here, Ben Rivers, Reino Unido/EUA/Hong Kong, EXP, 2018, 14′
Umbra, Florian Fischer & Johannes Krell, Alemanha, EXP, 201, 20′
Vever (for Barbara), Deborah Stratman, EUA, DOC/EXP, 2019, 12′

Texto e foto: Curtas VC / EeTj

01jul19

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.