Menu Fechar

MAIS DE DUAS CENTENAS E MEIA DE FILMES E DELES 95% EM ESTREIA NACIONAL FAZEM DA 27.ª EDIÇÃO DO “CURTAS VILA DO CONDE” UM ATRATIVO CINEMATOGRÁFICO MUNDIAL…

A 27.ª edição do Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema, que decorrerá de 06 a 14 de julho, foi, oficialmente, apresentado à Imprensa, em conferência realizada no passado dia 19 de julho, no Teatro Municipal daquela cidade, na presença dos responsáveis pela realização do evento e da presidente da autarquia, Elisa Ferraz.

Elisa Ferraz

Salientando a “importância deste festival”, a presidente da Câmara Municipal vilacondense, que abriu o encontro, acabou por endereçar “votos de sucesso, como têm tido até aqui”.

José Gonçalves                            Luís Navarro

(texto*)                                              (fotos)

E para que esse sucesso, possa uma vez mais a ser realidade, Hugo Ramos (responsável pelos estudos estatísticos do “Curtas”), enfatizou o facto de o presente Festival estar a ser “preparado há mais de um ano”, ou seja, e em concreto, “há 14 meses”, tendo, nesse espaço de tempo, sido visionados cerca de 3.500 filmes, 257 dos quais serão apresentados, sendo “setenta por cento de produção europeia” e “noventa e cinco por cento em estreia nacional”.

Contando com o apoio, entre outros da “Câmara Municipal de Vila do Conde, do Ministério da Cultura e do Instituto do Cinema Audiovisual e Multimédia e os apoios de entidades privadas e instituições nacionais e internacionais”, o 27.º Curtas de Vila do Conde, segundo Hugo Ramos, “tem todas as condições para ser, uma vez mais, um grande acontecimento”.

Nuno Rodrigues
Miguel Dias

Nuno Rodrigues e Miguel Dias salientaram as secções competitivas que aparecem “como um espaço de descoberta para novos autores, no campo da competição experimental, e o regresso de alguns nomes reconhecidos no cinema mundial”, destacando a “competição nacional com estreias absolutas em Portugal”.

Na realidade, e segundo os responsáveis pela organização do Festival, a aposta, este ano, é no cinema português para “o lançamento de novos autores e a confirmação de outros”.

E dos autores destacados, o nome que foi mais vezes repetido foi, sem dúvida, o do jovem realizador Carlos Conceição, que se consagrou em Berlim com a sua primeira longa-metragem, «Serpentário», um filme interpretado por João Arais.

Conceição fará no “Curtas” a primeira apresentação deste seu filme destacado na Alemanha, em Portugal, tendo recuperado algumas… curtas, e vai estar “In Focus” neste festival.

A conferência de imprensa foi preenchida com os destaques do festival que passamos a revelar, começando por destacar os “dezasseis filmes em estreia na competição nacional, cinco filmes que marcaram o panorama do último ano e outros dezasseis filmes de escola darão um olhar transversal e transgeracional para o cinema que se faz, atualmente, no país”.

De acordo com o programa, “nas sessões não competitivas haverá ainda espaço para a antestreia dos primeiros episódios da série de Marco Leão e André Santos, Luz Vermelha; a estreia de Mutantes S. 21- 25 anos depois, documentário sobre os históricos Mão Morta, assim como sessões especiais com cinema de Manoel de Oliveira e João César Monteiro.

Já a secção maior do festival, ou seja a Competição Nacional do Curtas resume a singularidade de uma nova geração de realizadores portugueses, dos nomes que têm sido reconhecidos nos festivais internacionais, Gabriel AbrantesDiogo Costa AmaranteDiogo Baldaia ou Sofia Bost, até aos novos valores cujos filmes antecipam um futuro que queremos acompanhar, Maureen Fazendeiro,Alex Siqueira e Laura Carreira.

De salientar também, e ainda, os regressos a Vila do Conde, e para a presente edição do “Curtas” de  Mariana GaivãoAndré MarquesPaulo Furtado e Pedro Neves.

A seleção para a Competição Nacional completa-se com os mais recentes trabalhos de Rui EsperançaVasco SaltãoMiguel AfonsoFrancisco Valente e Márcio Laranjeira & Sérgio Brás d’Almeida. Estas sessões vão ser seguidas de uma conversa com os realizadores.

Quanto a retrospetivas, passarão pelo “Curtas” uma “seleção de filmes que, pela história, prémios ou percurso internacional se destacaram na produção recente do país”.

Será, assim possível, ver as obras mais recentes de Susana de Sousa Dias (Fordlândia Malaise, estreado na Berlinale), Jorge Jácome (Past Perfect, estreado na Berlinale e premiado no IndieLisboa e no Festival de Curtas Metragens de Hamburgo), Catarina Mourão (O mar Enrola na Areia, selecionado para o Visions du Réel, É tudo verdade e Oberhausen), Sílvia das Fadas (A Casa, a Verdadeira e a Seguinte, Ainda Está por Fazer, premiado no IndieLisboa) e Helena Estrela (Bela Mandil, selecionado para a Viennale).

Sessões Especiais…

O cinema português vai marcar ainda as sessões especiais e diferentes segmentos programáticos do festival. Já anunciados estavam o foco na obra de Carlos Conceição, as sessões especiais dedicadas ao 50.º aniversário da morte de José Régio e o centenário do nascimento de Sophia de Mello Breyner Andresen.

A marcar o primeiro fim-de-semana do Curtas, a estreia do documentário que assinala o quarto de século de Mutantes S. 21- 25 anos depois, um dos mais emblemáticos discos dos Mão Morta. A sessão será acompanhada por uma conversa com a banda moderada por Valter Hugo Mãe.

Na secção Da Curta à Longa, antestreia dos dois primeiros episódios da primeira série da dupla Marco Leão e André SantosLuz Vermelha, inspirada na história das Mães de Bragança e com interpretações, entre outros, de Margarida Vila-Nova, Afonso Pimentel, Joaquim Monchique e Sara Norte.

Cinema de Escola

A seleção nacional do Curtas inclui ainda um espaço dedicado ao cinema de escola, Take One!, com uma selecção heterogénea de obras produzidas por alunos portugueses em escolas nacionais e estrangeiras; uma carta-branca a João Nicolau inserida nas celebrações do 20.º aniversário da Agência da Curta Metragem; e um espaço dedicado a vídeos de música que demonstram particular relação com a linguagem cinematográfica. Nesta edição, entre outros, concorrem os vídeos musicais de Bruno Ferreira (para Everybody, de Sinkane), de Pedro Maia (para Paplu (Love That Moves The Sun), de Vessel), do trio André Carrilho + Rui Clara Gomes + Mantraste(para Balança, de Throes + The Shine), de Diogo Tudela (para Swisid Mekanize Rejiman, de HHY & The Macumbas) e de Leonor Teles (para Chavitas, dos Sensible Soccers).

O 27.º Curtas integrará ainda uma competição internacional com obras vindas de diferentes hemisférios, uma competição experimental e uma secção infantojuvenil com cinema e oficinas pensadas para crianças, jovens e famílias. Em foco estarão também as obras de Todd Solondz e Carlos Conceição, assim como o cinema restaurado, naquela que é a nova secção de Cinema Revisitado. Em Vila do Conde será ainda possível ver os filmes-concerto de Thurston MooreThe Heliocentrics e Montanhas Azuis.

SELECÇÃO COMPETIÇÃO NACIONAL

18, Rui Esperança, Portugal, 2019, DOC, 25′
A Fábrica, Pedro Neves, Portugal, 2019, DOC, 29′
Amor Quântico, Paulo Furtado, Portugal, 2019, FIC, 11′
Ave Rara,Vasco Saltão, Portugal, 2019, FIC, 34′
Cenas de Uma Vida Amorosa, Miguel Afonso, Portugal, 2019, FIC, 13′
Colmeal, Márcio Laranjeira & Sérgio Brás d’Almeida, Portugal, 2019, FIC, 15′
Destiny Deluxe, Diogo Baldaia, Portugal, 2019, FIC, 21′
Dia de Festa, Sofia Bost, Portugal, 2019, FIC, 17′
Les Extraordinaires Mésaventures De La Jeune Fille De Pierre, Gabriel Abrantes, Portugal, 2019, FIC, 20′
Lisboa, 2018, Francisco Valente, Portugal, 2019, FIC, 20′
Não Procures Mais Além, André Marques, Portugal, France, Haiti, 2019, FIC, 26′
O Verde do Jardim, Diogo Costa Amarante, Portugal, 2019, FIC, 27′
Purpleboy, Alex Siqueira, Portugal, França, 2019, ANI, 14′
Red Hill, Laura Carreira, Reino Unido, 2018, FIC, 13′
Ruby, Mariana Gaivão, Portugal, 2019, FIC, 26′
Sol Negro, Maureen Fazendeiro, Portugal, 2019, EXP, 6′

SELECÇÃO PANORAMA PORTUGUÊS

A Casa, a Verdadeira e a Seguinte, Ainda Está por Fazer, Sílvia das Fadas, Portugal/EUA/Áustria, 2018, DOC/EXP, 35′
Bela Mandil, Helena Estrela, Portugal, 2018, FIC, 18′
Fordlândia Malaise, Susana de Sousa Dias, Portugal, 2019, DOC, 40′
O Mar Enrola na Areia, Catarina Mourão, Portugal, 2019, DOC/FIC, 16′
Past Perfect, Jorge Jácome, Portugal, 2019, DOC/FIC/EXP, 23′

SELECÇÃO TAKE ONE! 

A Morte De Léaud, Ricardo Pinto de Magalhães, Portugal, 2019, DOC, 6′
Auspício, Vasco Trabulo Bauerle, Portugal, FIC, 10′
Berço, Inês Luís, Portugal, 2019, FIC, 22′
Corporealitis, Beatriz Bagulho, Reino Unido/Portugal, 2018, ANI, 4′
Direito à Memória, Rúben Sevivas, Portugal, 2019, DOC, 9′
Em Caso de Fogo, Tomás Paula Marques, Portugal, 2019, FIC, 23′
Em Junho, Henrique Brazão, Portugal, 2019 , FIC, 16′
Estas Mãos São Minhas, André Miguel Ferreira, Portugal, 2019, DOC, 9′
Há Alguém na Terra, Francisca Magalhães, Joana Tato Borges & Maria Canela, Portugal, 2019, FIC, 17′
Inside Me, Maria Trigo Teixeira, Alemanha, 2019, ANI/DOC, 5′
Irene, João Martinho, Portugal, 2018, FIC, 15′
José, João Monteiro, Portugal, 2019, FIC, 14′
Notes on Living, Inês Pedrosa e Melo, USA, 2018, DOC, 5′
Os Monstros só Saem à Noite, João Pedro Ferreira, Portugal, FIC, 14′
The Hood, Patricia Vidal Delgado, EUA/Portugal, 2018, FIC, 10′
Verniz Glaze, Clara Jost, Portugal, 2018, FIC, 14′

As restantes seleções estão publicadas em outras peças inseridas nesta secção ESPECIAL dedicada à 27:º edição do Curtas de Vila do Conde

De recordar, uma vez mais, que a 27.ª edição do Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema, decorrerá de 06 a 14 de julho, no Teatro Municipal de Vila do Conde.

(*) Texto com o apoio documental do gabinete Press-Curtas.

01jul19

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.