Menu Fechar

E LÁ SE PASSOU MAIS UM (GRANDE!) SÃO JOÃO… DO PORTO!

Foto: Miguel Nogueira (Porto.)

E passou-se mais um S. João, ou seja, mais uma grande festa tripeira cada vez mais internacionalizada, quanto mais não seja pela constante invasão de turistas que, todos os dias, mas também nesta jornada especial de festejos, se deslocam à Invicta.

De martelo na mão (a guerra ao plástico ainda não chegou a esta invenção relativamente recente nas festas sanjoaninas no Porto), mas também com o tradicional alho-porro (a cidreira não se viu, como não se viram as tradicionais fogueiras, pelo menos em número que desse para reparar) e olhos postos no balão, milhares e milhares invadiram o centro do Porto, à procura do melhor lugar para presenciar o espetáculo de fogo-de artifício, assim como encheram outros espaços espalhados pela urbe – com destaque para alguns bairros sociais e tradicionais da Invicta…(*)

Antes das doze badaladas, já as margens do Porto e de Gaia pré-anunciavam com burburinho intenso o momento mais aguardado da noite de São João. O tradicional fogo-de-artifício deixou milhares de pessoas de narizes no ar – ou melhor – de olhos postos no céu para ver um espetáculo piromusical repleto de cor, ritmo, luzes, música e, este ano, com uma forte componente multimédia.

Sob o tema “São João Glorioso“, o “fogo” com quase 20 minutos de duração, contou com mais de 150 mil disparos pirotécnicos, lançados desde a ponte Luíz I e de sete plataformas ancoradas no rio Douro.

Mas a grande novidade do espetáculo residiu nos elementos multimédia que, harmoniosamente, se intervalaram com a pirotecnia, surpreendendo portuenses, gaienses, entre tantos outros milhares de visitantes que emolduraram as duas margens dos Rio, dos miradouros, ruas e varandas.

Porém, a noite de 23 para 24 de junho não se resumiu ao célebre “fogo” que, mais uma vez, abrilhantou com a popular cascata sob os tabuleiros superior e inferior da Ponte Luíz I.

A festa sanjoanina começou algumas horas antes, no coração da Invicta, e também na sala de visitas da cidade com o concerto improvável de Marta Pereira da Costa, que se estreou no grande anfiteatro do Porto com o seu quinteto e com dois convidados especiais em palco: o coro Gospel Collective e o cantor portuense Bezegol. Em mais de uma hora de espetáculo a que assistiram milhares de pessoas, o ecletismo foi fator predominante no palco da Avenida dos Aliados, em músicas que abraçaram o fado e a sonoridade da guitarra portuguesa, e ainda o jazz, as mornas cabo-verdianas ou o chorinho brasileiro.

Concertos

JORGE PALME E JOÃO GIL CONQUISTAM ALIADOS

“Concerto molhado, concerto abençoado” – houve quem adaptasse o dito popular ao concerto que Jorge Palma deu na noite do dia 23 de junho, na Avenida dos Aliados, donde o público não arredou pé apesar da chuva.

“Encosta-te a mim” era outras das frases que se dizia aqui e ali, ainda antes de o músico recordar o tema, até porque o espetáculo funcionou como aquecimento para a noite de São João, que ali leva hoje João Gil e uma série de outros artistas convidados.

Jorge Palma mostrou que continua em forma e teve a acompanhá-lo em palco Manuela Azevedo (Clã) e Rui Reininho (GNR). Os vários êxitos com novos arranjos e as três vozes levaram os fãs ao delírio e o Porto rendeu-se quando Jorge Palma garantiu – a cantar – que “A gente vai continuar”…

… e os cinco carismáticos convidados

Foi de temas que toda a gente conhece que João Gil e cinco carismáticos convidados cativaram o público na Avenida dos Aliados, logo após o fogo-de-artifício de São João, num concerto com duração aproximada de duas horas. A galeria de fotos assim o comprova.

Logo após o espetáculo de fogo-de-artifício, o palco da Avenida dos Aliados foi tomado pelo músico João Gil e, à vez, pela Ala Dos Namorados, Ana Bacalhau, Carlão, João Pedro Pais e Tim.

Tratou-se de um encontro único entre grandes nomes do panorama musical português, que cantaram com a multidão temas como “Saudade”, “125 azul”, “Timor”, “Postal dos Correios”, “Solta-se o Beijo”, “Perdidamente”, “Fim do Mundo” ou a “Seita tem um Radar”.

Entre os que subiram a palco houve mesmo quem não escondesse a admiração pela receção calorosa. Carlão, por exemplo, confessou ser esta “a minha primeira vez no São João do Porto. É verdade!”, afirmou como que procurando esconder o embaraço.

Na despedida, não faltaram vivas à cidade, votos de “felicidades” e uma foto coletiva tirada com o público para mais tarde recordar.

A festa de São João continua com opções para todos os gostos, da música popular à música eletrónica, porque é desse ecletismo que se alimenta também a noite mais longa do ano.

Ainda nos Aliados, os mais resistentes podem contar com uma madrugada de segunda-feira acompanhada pelo DJ Set de Alberto da Rocha & Francisco Moreira.

Rusgas

CAMPANHÃ VENCE PELA QUARTA VEZ CONSECUTIVA

Pode-se dizer que foi monumental a quarta vitória consecutiva da Freguesia de Campanhã no concurso das Rusgas de São João: os monumentos da cidade inspiraram a Associação Cultural e Desportiva do Bairro de Falcão.

A Junta de Freguesia de Campanhã foi, assim, a grande vencedora das Rusgas de São João 2019, realizadas no final de tarde do dia 23 de junho. A União de Freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos foi a 2.ª segunda classificada, com menos 4 pontos que a vencedora, enquanto a Junta do Bonfim fechou o pódio desta edição.

O desfile, que juntou milhares de pessoas em redor da Avenida dos Aliados, foi realizado ontem, ao final da tarde, na Praça do General Humberto Delgado, em frente ao edifício da Câmara do Porto. Cada uma das sete rusgas participantes, em representação de cada uma das freguesias e uniões de freguesia da cidade, cumpriu a obrigatória exibição perante o júri, composto por um total de sete elementos.

As formações foram classificadas com base na coreografia, cenografia, figurinos e musicalidade. Embora fossem livres na escolha dos temas, as rusgas tinham de apresentar um cunho tradicional e evocar factos e costumes da história da cidade.

Somadas todas as pontuações, a Associação Cultural e Desportiva do Bairro de Falcão conquistou para a Junta de Freguesia de Campanhã a vitória na edição deste ano, totalizando 220 pontos e repetindo, assim, os triunfos de 2016, 2017 e 2018. Composta por 250 elementos, a Rusga de Campanhã prestou este ano homenagem aos grandes monumentos da cidade do Porto.

Com menos quatro pontos que a vencedora, a União de Freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos ficou em 2.º lugar. O tema da sua rusga foi “A Sardinha”, um dos elementos mais centrais das festas do São João do Porto.

A Junta de Freguesia do Bonfim, representada pelo Praça da Alegria Futebol Clube, foi a 3.ª classificada, com 196 pontos. A mais numerosa das rusgas participantes nesta edição, com 300 elementos, contou a história do São João das Fontainhas.

Classificação das Rusgas de São João 2019

1.º Junta de Freguesia de Campanhã (Associação Cultural e Desportiva do Bairro do Falcão)

220 pontos

2.º União de Freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos

216 pontos

3.º Junta de Freguesia do Bonfim (Praça da Alegria Futebol Clube

197 pontos

4.º União de Freguesias de Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória (Associação Solidariedade da Zona das Fontainhas)

180 pontos

5.º União de Freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde, (Orfeão da Foz do Douro)

145 pontos

6.º Junta de Freguesia de Paranhos (Rancho Folclórico de Paranhos)

144 pontos

7.º Junta de Freguesia de Ramalde (Associação Recreativa e Cultural Conjunto Dramático 26 de Janeiro)

133 pontos

Mil e duzentos representantes

O tradicional cortejo das Rusgas de São João cumpriu-se num ambiente de grande festa, mais de 1.200 participantes vão desfilar e tentar a vitória para a freguesia que representam.

O desfile fez-se pela Avenida dos Aliados, de modo a permitir ao público assistir ao espetáculo, sendo a Praça do General Humberto Delgado, frente à Câmara do Porto, como local da exibição final perante o júri.

Os temas presentados pelas diferentes rusgas foi o seguinte:

Junta de Freguesia do Bonfim: a história do São João das Fontinhas, com os bailes típicos desta noite e os comerciantes das farturas, manjericos, sardinhas e gelados, não esquecendo a Cascata das Fontainhas e os sempre divertidos carrosséis.

Título da música: “São João das Fontainhas”

N.º de elementos: 300

União de Freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde: “à moda antiga”, com os seus trajes reportados aos anos 60 e adereços que representam divertimentos e costumes antigos. Os visitantes vinham das aldeias, cantando e bailando, e, no final, acompanhado com cantigas e danças, partilhavam a comida que traziam.

Título da música: “São João Padroeiro”

N.º de elementos: 110

Junta de Freguesia de Paranhos: a história da Noite de São João. Atenta às antigas tradições do Porto, irá recriar este fenómeno de Rusgas, reportando-se à época entre 1880 e 1910.

Título da música: “Gentes de Paranhos”

N.º de elementos: 120

Junta de Freguesia de Ramalde: “É Ramalde que passa com Alegria”, pretende-se vincar o caráter divertido, espontâneo e alegre que é apanágio dos seus habitantes.

Título da música: “É Ramalde que passa com Alegria”

N.º de elementos: 125

União de Freguesias de Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, S. Nicolau e Vitória: “Varanda da Saudade”, que representa o património arquitetónico e cultural da freguesia e da cidade. Estarão representadas as várias atividades profissionais do presente e do passado (carquejeira, amolador, varina, leiteira, padeira, etc.) e as brincadeiras de outros tempos: pião, carro de rolamentos, arco. Através da coreografia e da indumentária, representarão o azulejo característico das fachadas da cidade bem como a Sé Catedral e Vímara Peres.

Título da música: “Varanda da Saudade”

N.º de elementos: 250

Junta de Freguesia de Campanhã: homenagem aos grandes monumentos da cidade do Porto. Como o Homem do Leme, na Foz do Porto, que este ano comemora 85 anos, também ele uma homenagem aos pescadores, representados pelo homem que agarra vigorosamente um leme. Serão também representados outros magníficos monumentos característicos da nossa cidade.

Título da música: “Porto e os seus Monumentos”

N.º de elementos: 250

União de Freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos: “A Sardinha”. Este tema foca um dos elementos mais centrais das festas dos santos populares e do São João do Porto em particular. A Rusga integrará personagens que se relacionam com os bailaricos tradicionais de São João, não descurando as diversas profissões existentes no início do século passado, bem como outros elementos cénicos que retratam costumes da União de Freguesias, como por exemplo, os pescadores, as lavadeiras, as varinas, as vendedoras de fruta, entre outros.

Título da música: “A Sardinha”

N.º de elementos: 180 pessoas

 

(*) Texto: José Gonçalves

Textos: Porto. / EeTj

Fotos: Filipa Brito, João Queirós e Miguel Nogueira

 

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.