Menu Fechar

“Ali”, um jogador árabe no europeu!

Joaquim Castro

No jogo entre a Sérvia e Portugal, a contar para o Campeonato da Europa de Futebol de 2020, tornou-se notória a utilização do termo “ali”, supostamente, como advérbio de lugar. Mas, às tantas, já estava a pensar que havia um jogador árabe em campo. Só não sabia se alinhava por Portugal ou pela Sérvia.

O animado e extasiado narrador utilizou a palavra “ali”, tantas vezes, entre cada jogada que relatava, que me deixou pensativo. Por isso, lembrei-me de fazer uma estimativa das vezes que a palavra foi utilizada durante o jogo. Nesse sentido, fiz o seguinte cálculo: em cada minuto, o homem da Antena 1 pronunciou, pelo menos, cinco vezes, a expressão “ali”. Ora como o jogo tem 90 minutos (fora o tempo extra), a palavra teria sido pronunciada 450 vezes. É obra!

DUAS MULHERES!

Ter duas mulheres, não! É errado. Errado é você ler, sem respeitar a vírgula.

Na frase, “Padres, burros e livros”, que li num jornal nacional, logo me lembrei do valor da vírgula. De facto, uma coisa é “Padres burros e livros”; outra coisa, “Padres, burros e livros”. Ou seja, no primeiro caso, “burro” pode funcionar como adjectivo. Mas como os padres, geralmente, nada têm de burros, a vírgula faz todo o sentido.

Contudo, a minha preferência continua a ir para uma frase, que é já um clássico. Diz o seguinte: “Um lavrador tinha uma vaca e um filho do lavrador era também o pai da vaca”. Mas que frase sem sentido, dirão os leitores, e com razão. Mas vamos pontuar a frase: “Um lavrador tinha uma vaca e um filho. Do lavrador, era também o pai da vaca”, ou seja o boi!

ENCARAR DE FRENTE”

Este é um dos pleonasmos que muita gente utiliza, sem se aperceber que é uma frase errada. Num jogo de futebol da Liga Portuguesa, uma comentadora, de um canal televisivo, que estava a relatar a partida, em directo, cujo vídeo não era visível, disse que a equipa, teoricamente mais fraca, iria “encarar de frente” a equipa favorita. Mas encarar, já significa olhar de frente. Portanto, a expressão é um pleonasmo, dispensável.

LEGUMES E FRUTAS

Uma superfície comercial está a anunciar, “descontos, em todos os legumes e frutas”. Ou seja, todos os legumes têm descontos, mas, como se infere do anúncio, não é certo que todas as frutas o têm. Em minha opinião, a frase correcta teria de ser, “descontos, em todos os legumes e todas as frutas”.

QUE PODE-SE

Um recruta perguntou ao sargento, como se pronunciava: “o jeep atolou-se” ou “o jeep se atolou”. Eis a resposta do instrutor: Se for com as rodas da frente, diz-se, “o jeep atolou-se”; se for com as rodas de trás, diz-se “o jeep se atolou”. Com tal resposta, o instruendo magicou e voltou à carga: “e se o jeep se atolar com as quatro rodas. Resposta imediata do sargento: nesse caso, diz-se, o “jeep se atolou-se”!

A respeito de um incêndio, ouvi um responsável proferir a frase: “esta é uma situação, que “pode-se” inverter, a qualquer momento”. Pelo que aprendi e pelo quem tenho aprofundado, entendo que seria de utilizar a frase: “esta é uma situação, que “se pode” inverter, a qualquer momento”. Mas há muitos falantes, que utilizam o “se”, a seguir ao verbo.

FLORESCENTE, FLUORESCENTE E FOSFORESCENTE

Esta expressão, florescente, é muitas vezes mal utilizada, por confusão, com fluorescente e fosforescente. Numa emissão televisiva, o narrador de um jogo de futebol, de uma partida, da Primeira Liga, disse que um guarda-redes estava equipado de amarelo florescente!

Então, analisemos, resumidamente, os casos:

Florescente, refere-se ao que floresce. Em sentido figurado, pode ser em sentido próspero;

Fosforescente, refere-se a um fenómeno de luminescência, relacionada com a capacidade de uma espécie química emitir luz, mesmo no escuro, após exposta a exposição prévia a uma fonte de luz;

Fluorescente, está relacionado a propriedade da fluorescência. É também a designação de uma lâmpada tubular, em que a corrente eléctrica passa através do vapor de mercúrio, dando origem à radiação ultravioleta, que activa uma camada com capacidade de fluorescência, existente na parede interna do vidro.

“DESVANEIOS”

No noticiário das 20 horas da SIC, de 20 de setembro de 2019, uma voz que acompanhava um vídeo da campanha das Legislativas de 2019, citou um político, que referiu que as promessas de um outro partido eram “desvaneios”. Mas o problema, é que essa palavra deixa muitas dúvidas, parecendo que “devaneio” é a palavra mais utilizada, tanto na escrita como na oralidade. A propósito, “devaneio” significa quimera ou fantasia.

O PONTO COME!

Já está melhor. Muita gente, já começa a pronunciar, tal como se escreve “ponto com”, como é em (gmail.com). Mas há ainda muita gente, especialmente na publicidade dos canais de TV e nos da Rádio. Deste modo, ainda se ouve muitas vezes a expressão “ponto come”, que não passa de um disparate pegado.

 

Nota: Por vezes, o autor também erra!

 

Fotos: pesquisa Google

01out19

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.