Menu Fechar

Criado “capacete inatacável” para o hóquei em patins por investigadores do Porto

Um grupo de investigadores da Universidade do Porto criou um capacete especial para proteger os guarda-redes de hóquei em patins, com características únicas. Encontrar parceiros no mercado para a sua comercialização é o próximo passo.

Após várias experiências científicas e testes com um canhão pneumático para disparar bolas a mais de 100 quilómetros por hora, estudos de impactos com as viseiras em uso e registos de vídeo de alta velocidade para verificar os danos e simulações em computador, a equipa multidisciplinar do Porto desenvolveu um protótipo do capacete, inspirado nos modelos do hóquei no gelo.

Em conjunto, os elementos da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), da Faculdade de Medicina Dentária (FMDUP), do Labiomed – Laboratório de Biomecânica da Universidade do Porto, do Instituto de Ciência e Inovação em Engenharia Mecânica e Engenharia Industrial (INEGI), e do Mestrado em Design Industrial da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto (FBAUP), centram agora esforços na procura de um parceiro industrial para o lançamento do produto no mercado e não descartam a possibilidade de procurar financiamento europeu.

A estimativa é que, se tudo correr bem, o capacete seja comercializado por volta de 2021, informou à Lusa Mário Vaz, professor da FEUP e investigador, e um confesso aficionado daquela modalidade desportiva.

Mas os atuais capacetes não protegem os hoquistas suficientemente bem? Segundo o investigador do Labiomed e do INEGI, não. Uma das causas, aponta, está relacionada com o facto de os atuais capacetes permitirem o levantamento da viseira, uma das “debilidades da atual solução.

Os atuais capacetes dos hoquistas podem sofrer fraturas com os impactos da bola e provocar lesões na testa, olhos, orelhas, queixo ou na articulação temporomandibular, articulação fundamental que permite mastigar e falar, alerta ainda Mário Vaz. Aliás, contabiliza que, por época, os guarda-redes partem dois a três capacetes.

O hóquei em patins é um desporto muito acarinhado em Portugal e, nos últimos anos, está em franco crescimento. Em julho deste ano, a Seleção das Quinas sagrou-se campeã mundial da modalidade, frente à Argentina, pondo fim a um “jejum” que durava há 16 anos.

Texto: Porto. / EeTj

Foto: pesquisa Google

01out19

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.