Menu Fechar

Desbloqueie a autoconfiança

Patrícia Moreira

Por vezes na vida sentimos que estamos como que bloqueados e a nossa autoconfiança não se exprime no seu melhor. Existem bloqueios mentais que levam a essa sensação de impotência perante as mais diversas situações da vida. Perante o medo, a ansiedade, a frustração, surgem sentimentos como a culpa e instala-se a sensação de incapacidade de resolução dos problemas.

Tipos de bloqueios

1.Bloqueio cognitivo 

Surge quando sentimos que não temos conhecimento suficiente perante uma proposta ou um desafio.

2.Bloqueio afetivo

Devem-se a bloqueios emocionais decorrente de situações passadas e presentes que geram culpa, medo, pessimismo, decorrentes muitas das vezes de abusos físicos e/ou psicológicos.

3.Bloqueio cultural ou ambiental

Surge devido á falta de integração em contextos que promovem a convivência e diferentes aprendizagens.

Muitos de nós ao longo da vida sentimos mais uns ou outros bloqueios, no entanto devemos ter atenção ao facto de que quanto mais importância damos ao bloqueio maior ele se torna. O melhor é relaxar, distraindo a mente e deixar ativar o subconsciente que naturalmente encontrará um forma de ultrapassar o bloqueio.

Deixo-lhe algumas dicas para desbloquear:

Para o bloqueio cognitivo, mantenha-se atualizado, lendo livros sobre assuntos da atualidade como politica, história, saúde entre outros. Leia jornais em papel e online. Mantenha-se atualizado no seu trabalho, dominando o melhor que poder a “arte” em que está envolvido. Tenha os assuntos organizados por importância e tenha-os escritos e sempre á sua mão. Assim evitará de ter de relembrar o que precisa de não se esquecer.

Para o bloqueio afetivo, tire tempo para si. Por vezes é mesmo necessário parar para refletir.

Não seja tão impaciente e exigente consigo. Ouça musica, faça pintura, faça exercício físico ou até pode aderir á prática da meditação. Procure perdoar-se a si mesmo e experimente perdoar os outros. O perdão é libertador.

Para o bloqueio cultural ou ambiental, liberte-se dos preconceitos e lembre-se somos cidadãos de um mesmo mundo. Atreva-se a sair da sua zona de conforto e participe de eventos, grupos da sua ou de outra comunidade. Se o ambiente onde está inserido causa desconforto mas não o pode evitar na atualidade, faça pausas e saia para dar uma volta, caminhar, apanhar ar fresco e respirar fundo. Crie estratégias que permitam estar focado no trabalho sem sofrer da má influência de quem está á sua volta.

Viver feliz, depende de nós.

 

Fotos: pesquisa Google

01out19

 

 

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.