Menu Fechar

MUSEU DE OVAR CONVIDA ALUNOS A “REVIVER O PASSADO” COM EXPOSIÇÃO SOBRE AGRICULTURA

A estação do ano de Outono, como tempo de introspeção e de fortalecimento para novas fases da vida, ou tempo de preparação da terra para várias sementeiras, foi a época do ano escolhida para o Museu de Ovar convidar alunos das escolas de Ovar, propondo-lhes “reviver o passado” através de uma exposição sobre “Agricultura” em que predominam vários exemplares de alfaias agrícolas do século XIX/XX que integram o seu espólio etnográfico e podem ser observadas até 20 de dezembro.

A inauguração da exposição “Agricultura reviver o passado” teve lugar no dia 19 de outubro, reunindo verdadeiras peças de museu, como: semeador, ventilador, sachador de madeira, charrua, arado de madeira ou a grade. Entre várias outras alfaias agrícolas, destacando-se um antigo carro de bois. Um cenário em que não faltaram alguns produtos agrícolas (feijão, milho, cabaças), incluindo um quadro natural lembrando época das típicas desfolhadas. Elementos que no seu conjunto trazem à memória, vivências da agricultura tradicional de cariz familiar muito característica na região.

Na cerimónia de inauguração, que contou com a representação etnográfica de elementos do Grupo Folclórico “Os Moliceiros de Ovar” da Marinha e do Grupo Folclórico “As Tricanas de Ovar”, em nome da Direção do Museu de Ovar, António Dias falou da vertente pedagógica que se pretende com tal exposição, referindo a divulgação junto das escolas para que os alunos possam aproveitar esta oportunidade de admirarem antigas alfaias agrícolas, em alguns casos “utensílios artesanais e ancestrais”.

Como realçou o presidente da Assembleia Geral do Museu de Ovar, Oliveira Dias, as visitas de alunos serão valorizadas ao serem guiadas pelas funcionárias da Instituição, com profundo conhecimento dos elementos expostos, neste caso, Leonor Silva e Lurdes Barbosa a quem mais uma vez foram deixadas palavras de agradecimento pela sua dedicação.

Para alem do ênfase na componente pedagógica, as memórias de diferentes gerações marcaram as palavras deixadas ainda por José Pimenta em representação da Câmara Municipal de Ovar, Chefe de Divisão da Cultura, que não resistiu a partilhar as memórias que uma tal mostra ali lhe despertou, referindo vivencias famílias de seus avós no Baixo Vouga e sua relação com a agricultura, afirmando que, “eu gosto e respeito muito este mundo”, em que, como acrescentou, “procuramos as memórias, compreendendo de onde vimos”.

De memórias da meninice em lugares rurais como Marinha e Torrão do Lameiro, falou igualmente José Fragateiro, presidente da Assembleia de Freguesia da União de Freguesias de Ovar, São João, Arada e São Vicente de Pereira. Para quem a exposição sobre agricultura é “uma força viva”, porque, “para além dos objetos expostos, é algo vivo que havia no nosso concelho”.

Texto e fotos: José Lopes

01nov19

 

 

 

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.