Menu Fechar

METRO DO PORTO – QUARTO RELATÓRIO DO JÚRI VOLTA A DAR VITÓRIA À “CRRC TANGSHAN” PARA O FORNECIMENTO E MANUTENÇÃO DE 18 METROS LIGEIROS

O quarto relatório preliminar do concurso público para o fornecimento e manutenção de 18 novos metros ligeiros para o Metro do Porto voltou a considerar a proposta da CRRC Tangshan como a melhor classificada.

Depois de em agosto o primeiro relatório preliminar ter dado como vencedor o grupo chinês, o júri decidiu afastar a CRRC Tangshan do concurso devido a “irregularidades na submissão da proposta”. No entanto, a empresa chinesa apresentou uma pronúncia contestando a decisão do júri do concurso. Entretanto, esta semana, o júri apresentou um novo relatório preliminar onde volta a admitir no concurso a proposta da CRRC Tangshan, considerando que as “anomalias” verificadas não lhe proporcionaram “quaisquer vantagens competitivas” em relação à proposta submetida pelo outro concorrente, a Skoda Transportation.

Após a emissão deste relatório, e caso não exista contestação no prazo de cinco dias, a decisão segue para avaliação final por parte da administração da empresa do Metro do Porto e posterior adjudicação.

Proposta da CRRC Tangshen com mais 20 pontos que a Skoda

Entre os critérios de avaliação do concurso estavam o preço (25%), a valia técnica (40%) e o design – capacidade, conforto e acessibilidade (35%). Ao que a TeR soube, o grupo chinês obteve melhor pontuação nas componentes “preço” e “design”, com a Skoda a ter melhor pontuação na componente “valia técnica”. Em relação ao “preço”, a proposta apresentada pela CRRC Tangshen, para fornecimento do material circulante e manutenção, foi de 49.574.000 euros. Já a proposta da Skoda foi de 56 milhões de euros, valor muito próximo ao valor de referência de 56,1 milhões de euros, lançado pela Metro do Porto para o concurso. Neste sentido, o júri deu uma pontuação de 102,59 à proposta do fabricante chinês e apenas 1,85 aos checos da Skoda.

Na componente “valia técnica”, a Skoda teve uma pontuação de 79,56, contra os 55,90, obtidos pela CRRC. No “design”, a CRRC voltou a ter uma pontuação mais elevada, com 88,32, contra os 74,76 da Skoda.
Globalmente, a proposta da CRRC teve uma pontuação de 78,92 e a Skoda obteve 58,45, mais de 20 pontos de diferença.

Texto:  Pedro Pereira (Transportes em Revista) / EeTj

Foto: Pedro N. Silva (Arquivo EeTj)

01dez19

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.