Menu Fechar

MEIO MILHAR DE CRIANÇAS PARTICIPARAM EM MAIS UMA AÇÃO DO “HOSPITAL DOS PEQUENINOS” REALIZADA NO “SANTO ANTÓNIO”

Cerca de 500 crianças participam no Hospital dos Pequeninos promovido pela Associação de Estudantes do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto, que decorreu de 16 a 20 de dezembro último, no Centro Hospitalar do Porto – Hospital de Santo António.

Esta foi já a 18.ª edição da iniciativa, cuja principal finalidade é desmistificar a figura da “bata branca”, proporcionando às crianças um contacto com os estudantes de Medicina e com o ambiente hospitalar num cenário adaptado às suas idades. O público-alvo são crianças em idade pré-escolar, dos 4 aos 6 anos de escolas da Região Norte.

O “Hospital dos Pequeninos” é inspirado no projeto Teddy Bear Hospital, concretizado pela International Federation of Medical Students Association (IFMSA) e pela European Medical Students Association (EMSA), tendo entre os objetivos diminuir a ansiedade e o medo que o contacto com o médico gera nos mais novos.

Para tal, é proporcionada às crianças uma inversão de papéis: a criança é convidada a levar consigo um boneco que irá assumir a função de doente e será o alvo da observação e cuidados na presença da própria criança, a qual assumirá o papel de pai ou mãe do “doente”.

Este projeto, que permite aos estudantes do ICBAS e de outras faculdades da Universidade do Porto o contacto com a população mais jovem, contribuiu, assim, para construir uma relação de confiança entre a criança e o “médico” (estudante de Medicina), aproveitando-se a ocasião para explicar às crianças o objetivo de situações como a administração de vacinas ou a prática de consultas de rotina.

Ao mesmo tempo, foi feita sensibilização dos mais novos para a importância de uma alimentação saudável, da prática de atividade física, da manutenção de um boa higiene oral e do uso racional de medicamentos.

Texto e foto: Porto. / EeTj

01jan20

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.