Menu Fechar

VINTE E QUATRO INSTITUIÇÕES RECEBERAM “LUZ VERDE” PARA APOIO DO FUNDO MUNICIPAL PARA O ASSOCIATIVISMO POPULAR

Os contratos para a obtenção do Fundo Municipal de Apoio ao Associativismo Popular foram formalmente celebrados no passado dia 17 de dezembro, numa cerimónia em que participaram o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, e as entidades cujas candidaturas foram aprovadas ao PopUp.

Foram 24 as instituições que viram as suas candidaturas serem distinguidas pelo júri, presidido pelo professor Hélder Pacheco, que afirmou na cerimónia que decorreu nos Paços do Concelho, ter sido “uma tarefa complicada porque apareceram 90 candidaturas”.

Ainda assim, “penso que no próximo ano haverá possibilidade de atingir mais instituições”, declarou Hélder Pacheco, que considera existir na cidade do Porto “a emergência de um novo sentido do associativismo, com soluções para novas áreas da sociedade que não estão cobertas”.

O Fundo Municipal de Apoio ao Associativismo Popular – PopUP  havia disponibilizado 400 mil euros para apoiar associações e coletividades da cidade, mas “esta verba será dobrada“, anunciou o presidente da Câmara, que acrescentou que “em vez de 400 mil euros, vamos passar a ter 800 mil euros”, numa perspetiva de “reforçar aquilo que é o associativismo na cidade do Porto e que, como foi salientado pelo senhor professor Hélder Pacheco, tem uma raiz histórica”.

Rui Moreira salientou, ainda, “a inspiração que surgiu por parte da senhora vereadora Ilda Figueiredo que, em boa hora, nos recordou que, independentemente do apoio que a Câmara já vem dando às instituições, havia que ir mais longe”, muito embora “já o façamos em várias áreas, como o desporto, a coesão social, a cultura, e de várias formas, através da disponibilização de equipamentos e de espaços municipais e também em vários projetos”, admitiu.

Rui Moreira: “Este concurso foi um sucesso!”

O presidente da Câmara do Porto considerou, também, que este tipo de iniciativa “tem uma raiz de cidadania importantíssima e tem hoje um novo fulgor, mas vive muitas vezes confrontada com grandes dificuldades”. Ainda assim, para Rui Moreira, “este concurso foi um sucesso”, tendo apenas ressalvado que algumas das instituições que ficaram excluídas “já estão a ter apoio da Câmara, porque consideramos que os projetos eram de tal maneira virtuosos que mereciam, mesmo assim, ser apoiados”, explicou na cerimónia em que também marcou presença o vereador da Habitação e Coesão Social, Fernando Paulo, que acompanhou todo o processo de atribuição deste Fundo, além do vice-presidente da Câmara do Porto, Filipe Araújo, da vereadora da Juventude e Desporto, Catarina Araújo, do vereador do Urbanismo, Pedro Baganha, e da vereadora eleita pela CDU, Ilda Figueiredo.

“O exercício da cidadania não pode ser apenas exercido pelo poder público, precisamos que os cidadãos se organizem e o associativismo é a forma mais generosa de organização. (?) Falamos de uma parceria virtuosa de que a câmara quer fazer parte”, concluiu o autarca, deixando uma palavra de agradecimento e de ânimo para um futuro próximo, de modo a “que possam surgir novos projetos e ideias em anos sucessivos”, no sentido de “termos uma cidadania mais presente, mais solidária e mais ativa”.

As instituições aprovadas

As entidades, cujas candidaturas foram aprovadas ao PopUp são as seguintes: Académico Futebol Clube, Associação Desportiva Judo Force, Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto, Centro de Atletismo do Porto, Clube Infante de Sagres, Coro de S. Tarcísio, Estrela Vigorosa Sport, Grupo Desportivo do Viso, Mocidade Invicta Futebol Clube, NOVO ACTO – Associação de Artes Performativas, Rancho Folclórico do Porto, Sport Comércio e Salgueiros, TIPAR – Teatro Independente de Paranhos, VIVER CIDADE – Associação para a Promoção de Arte, Associação das Escolas Jesus, Maria, José; Associação de Ludotecas do Porto (A.L.P.), Associação dos Doentes Renais de Portugal – ADRP, Associação Moving Cause, Associação Portuguesa de Deficientes, Benéfica e Previdente – Associação Mutualista, Casa Madalena de Canossa, Centro Comunitário de São Cirilo, Fundação de Assistência Médica Internacional, Mundo a Sorrir.

Texto: Porto. / EeTj

Fotos: Miguel Nogueira (Porto.)

01jan20

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.