Menu Fechar

MATOSINHOS – BLOCO EXIGE OBRAS URGENTES NA ESCOLA SECUNDÁRIA DA BOA NOVA (LEÇA DA PALMEIRA)

O Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda questionou, recentemente, o Governo sobre a situação na Escola Secundária Boa Nova, em Leça da Palmeira, Matosinhos, através do deputado eleito pelo círculo do Porto, Luís Monteiro. A Escola Secundária da Boa Nova, em Leça da Palmeira, concelho de Matosinhos, é frequentada por cerca de 750 alunos e, segundo o Bloco de Esquerda “apresenta sinais preocupantes de degradação.

A escola foi construída em 1986 e, devido à falta de obras de remodelação, acumula hoje vários problemas. De acordo com os bloquistas “há problemas de infiltrações, a água a correr por cima da instalação elétrica. Não se liga a luz em dias de chuva. A canalização e as instalações elétricas estão obsoletas. Prejudicando todas as aulas e em particular todas as atividades e aulas que impliquem o uso de computadores. Há também problemas nos balneários, os alunos têm de tomar banho com água fria por causa da falta de pressão da água, que impede o seu aquecimento. Há problemas de isolamento das portas e janelas, por vezes os alunos têm de levar cobertores para fazer face ao frio”.

De acordo com Marisa Mota, presidente da Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Secundária da Boa Nova (APEEESBN), esteve prevista a construção de uma nova escola em 2011, processo interrompido devido à intervenção da troika. A APEEESBN tem intervindo junto da autarquia desde 2017 apelando à realização de obras e o projeto é sucessivamente adiado. Aguardando-se atualmente a abertura de concurso para a realização das obras.
Este é um assunto que preocupa a comunidade escolar. Razão pela qual, no passado dia 28 de fevereiro, centenas de alunos e encarregados protestaram junto à Escola Secundária da Boa Nova, em Leça da Palmeira, exigindo condições de trabalho e segurança.

O Bloco de Esquerda, quer, assim, saber se o Ministério tem conhecimento dos problemas da escola e de que forma irá o Ministério da Educação agir para garantir que os alunos, os professores e o pessoal não docente da Escola Secundária da Boa Nova, em Leça da Palmeira têm acesso a uma escola com condições de segurança, conforto e higiene”.

“BIOWORLD”, “PINK TECH” E “BLUECONTAINER” VENCEM PRÉMIO DE INOVAÇÃO PROMOVIDO PELA CÂMARA DE MATOSINHOS

BioWorld, PinkTech e BlueContainer: estes são os três vencedores do BluAct – projeto promovido a nível nacional pela Câmara Municipal de Matosinhos e que envolve sete cidades europeias, com o objetivo de estimular a economia azul de forma sustentável.

O anúncio dos vencedores foi efetuado após a apresentação de um “pitch” ao júri, com um painel composto por elementos da Câmara Municipal de Matosinhos, da UPTEC e do Super Bock Group.

A fase seguinte da iniciativa contempla a incubação dos projetos, durante um ano, na UPTEC-Mar, em Leça da Palmeira. Destaque-se, ainda, que o Super Bock Group atribuiu um prémio no valor de 5.000 euros ao BioWorld, ideia de negócio centrada na redução de plástico.

BioWorld – a revolução das embalagens biodegradáveis

Centrado no desenvolvimento de uma nova solução de biopolímeros produzidos a partir do desperdício de águas e resíduos orgânicos com aplicação em embalagens biodegradáveis, o BioWorld assume-se como o grande vencedor do BluAct. O projeto visa o desenvolvimento de biopolímeros biodegradáveis com princípios bioativos, direcionados para os diferentes requisitos de embalagens. Refira-se que este novo produto, que poderá potenciar uma redução significativa da utilização de plásticos, distingue-se de outros polímeros e biopolímeros pela sua resistência ao rasgo, pelo controlo na produção e pela proteção UV, contendo, ainda, características antibacterianas e antioxidantes.

PinkTech – a inovadora alimentação cor-de-rosa para peixes

No campo da investigação científica, o projeto PinkTech foi o grande vencedor. A tecnologia “cor-de-rosa” aposta na utilização de bactérias ricas em carotenoides – Planctomycetes – para fornecer novas fontes de alimentação para peixes. A solução pretende melhorar os parâmetros reprodutivos, como o crescimento e a densidade populacional sob diferentes condições de cultivo e alimentação. Recorrendo a organismos vivos na dieta alimentar de peixes de aquacultura, a alternativa permitirá manipular a qualidade nutricional do alimento fornecido.

Blue Container – de contentores marítimos a casas habitáveis

Já no âmbito da economia circular, o projeto Blue Container destaca-se pela reutilização e transformação de contentores marítimos em casas habitáveis. O projeto visa a reutilização de contentores marítimos através da utilização de materiais recolhidos na costa portuguesa, nomeadamente plásticos e madeira, com o objetivo de criar estruturas de habitação temporárias de baixo custo. O Blue Container pretende, ainda, desenvolver estruturas de apoio móvel às praias, capitalizando um turismo autossustentável, substituindo o sistema de construção tradicional de caráter permanente.

 

Texto e foto: Central de Informação / EeTj

01abr20

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.