Menu Fechar

O Mar

Carlos Sameiro

O mar enrola na areia diz a canção, então abraça os marinheiros, os pescadores e o suave flutuar das ondas. Mar salgado das lendas de pequenas sereias e de uma Moby Dick. Ao amanhecer o sol torna-te prata, ao crepúsculo o sol beija, tornando-te ouro.

Búzios e conchas adornam-te, são pedaços de um mar imenso. Para lá do horizonte és veludo azul, por isso és simplesmente, mar.

 

 

01abr20

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.