Menu Fechar

PRIMAVERA NUM ESPAÇO ESCOLAR EM TEMPO DE “QUARENTENA”

Perante a necessidade de uma “quarentena” generalizada para combater a pandemia do vírus Covid-19, que, chegada a Portugal, depois de várias semanas de noticias sobre as suas consequências e rastos de morte na China, Irão e Itália. Rapidamente colocou Ovar nos “mapa” das pessoas infetadas, acabando mesmo por evoluir de forma preocupante ao ponto de exigir medidas de exceção, a exemplo do decreto do Governo, que estabeleceu o concelho de Ovar em “Estado de Calamidade” depois dos apelos da Câmara Municipal de Ovar, entrando assim em “quarentena geográfica” com uma “cerca sanitária”. Medida que antecedeu o estabelecimento pelos Órgãos de Soberania, do Estado de Emergência com o conjunto de medidas definidas pelo Governo. A vivência em meio escolar foi naturalmente interrompida.

Ainda que com algum atraso, as aulas tenham sido finalmente suspensas no dia 16 de março, sendo decidida pelo Governo a “quarentena” para os alunos. As escolas só encerraram portas por tempo indeterminado no dia 18, permitindo assim aos docentes e não docentes contribuírem também para a imperiosa fase de “quarentena”, como estratégia fundamental para quebrar o sistema de transmissão deste vírus que trás transporta medos e mortes.

Sendo a “quarentena” o mais eficiente exercício de responsabilidade e cidadania, que todos terão de assumir durante este doloroso período de tempo, como colaboração e solidariedade para com todos os profissionais das diferentes áreas de intervenção, na primeira linha – profissionais de Saúde, Proteção Civil e Segurança, bem como de garantia do abastecimento de bens essenciais. Docentes e discentes terão certamente meios para partilharem experiencia de trabalho em casa, mesmo na incerteza da evolução do calendário escolar que o Covid-19 acabou, sem “burocracias”, por colocar em causa independentemente das metas curriculares a atingir.

No meio deste cenário dramático, com riscos de pânico e que obriga a um consciente isolamento social. As comunidades escolares não podem partilhar presencialmente a alegria proporcionada pela Primavera que nos vem dar força e esperança, com a mensagem de que tudo floresce, renasce e se transforma.

Neste ciclo da vida natural em meio escolar, em que habitualmente se desenvolvem atividades alusivas à sensibilização e educação ambiental, ou assinalam dias como – o Dia Mundial da Arvore e da Floresta ou o Dia da Água. Em que há momentos de convívio com a beleza da Primavera, que o vírus Covid-19 marcou surpreendentemente. As comunidades escolares, que têm o privilégio de serem rodeadas de vida das plantas e das árvores, de sentirem, de observarem, de usufruírem toda a beleza, cor e aromas proporcionados pela biodiversidade alimentada em cada meio escolar, foram separadas por uma “quarentena”, que todos desejam, nos liberte como vencedores contra o vírus inimigo da humanidade, e nos permita festejar em meio escolar, como em qualquer lugar do Planeta, em tempo primaveril, o Dia Internacional da Terra (22 de abril), ou o Dia Mundial do Ambiente (5 de junho).

Sendo possível mesmo em “quarentena”, as mais imaginativas vivencia e iniciativas particularmente nesta relação entre as comunidades escolares. Deixam-se aqui registos que nos anunciaram a Primavera neste caso concreto, no espaço escolar da EB (2º ciclo) António Dias Simões, que dão esperança, alegria, força, coragem e resistência para “colher” os frutos da Natureza que esperam por todos nós.

Nota: Este texto escrito em pleno “Estado de Calamidade”, decretado ao concelho de Ovar, que deu origem a uma “cerca sanitária”. Sendo um manifesto desejo de solidariedade global, face a uma tal pandemia, tem como mais próximos destinatários, entre familiares e amigos, uma comunidade escolar e educativa em que me incluo como assistente operacional, no Agrupamento de Escolas de Ovar, mais concretamente na Escola EB (2.º ciclo) António Dias Simões, que travam igualmente esta luta contra o Covid-19 com sentido de responsabilidade, numa prova de resistência como a “quarentena” exige, para vencer esta dura batalha com alegria, determinação, força, coragem e saúde.

 

Texto e fotos: José Lopes

01abr20

 

 

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.