Menu Fechar

SEIS ANOS DEPOIS… EM TRIBUNAL POR 22 EUROS!

Afinal parece que o Ministério da Justiça não tem assim tanto excesso de processos como diz,  já que em Lisboa, uma Empresa de Transportes Públicos vai a tribunal por causa de uma reclamação de 22 euros…

O senhor X comprou um passe num ponto de venda dessa empresa. Depois de perceber que se tinha enganado, solicitou a devolução do dinheiro. Foi, então, informado que a devolução só poderia ser feita num Gabinete de Apoio ao Cliente da referida empresa, ou, na impossibilidade de se poder deslocar, teria de deixar o cartão no ponto de venda, para depois um estafeta interno o levar ao Gabinete de Apoio ao Cliente e trazido de volta. Como o processo levaria até 24 horas o cliente decidiu reclamar.

Seis anos depois, esta empresa vai a um tribunal de Lisboa responder por esta situação, onde o Sr. X para além do valor do passe pede ainda uma indemnização por danos morais e psicológicos. O Sr. X, por ser uma pessoa de baixos rendimentos tem direito a um defensor oficioso.

No final do processo, e visto que a empresa, atuou dentro das normas implementadas pela AML…quem vai pagar as despesa de tribunal, o advogado defensor oficioso? Mais uma vez os contribuintes!

Como é possível que uma reclamação, de pouco mais de 20€, possa desencadear um processo tão dispendioso para o estado e para a própria Empresa de Transporte Público.Esta situação ficou sem decisão, visto à hora do início da sessão, queixoso, réu e testemunhas terem sido avisados que a sessão iria ser adiada por doença da Dr.ª Juíza.

Vítor Lagarto

(texto)

 

foto: pesquisa Google

01abr20

Partilhe:

1 Comment

  1. Sandra Janeiro

    Será para rir??
    Enquanto isto processos graves vão ficado em espera, ao ponto de ultrapassar os prazos legais de detenções e alguns até prescrevem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.