Menu Fechar

CENSURA: “Eles” renasceram e andam por aí! Cuidado com os “ensaios”…

O PS, PSD e CDS estão juntos – agora já não se sabe se estão ou não – numa proposta (projeto de lei) que prevê uma comissão mista entre a Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) e a Comissão Nacional de Eleições (CNE) com o objetivo de “controlar” a ação editorial de cada órgão de comunicação social para a campanha eleitoral das próximas “Legislativas”.

Querem eles – ou queriam eles! – que todos os “órgãos de comunicação social, que pretendam fazer a cobertura de períodos eleitorais, tenham (tivessem!) de enviar previamente um plano de ação a uma comissão composta por três elementos – dois da CNE e um da ERC”.

Este “visto prévio” é (seria!) válido para todas as notícias, reportagens, entrevistas e debates e aplica-se (aplicava-se!) a todos os media, incluindo as plataformas informativas na internet, “devendo chegar esse plano editorial à comissão mista antes do início do período de pré-campanha”. Quem não obedecer (obedece-se) a estes princípios poderá (poderia!) “ser penalizado em coimas diárias de mil euros por atraso e por falhas da entrega do referido plano editorial, revertendo esses valores para o Estado”.

Bem. Este projeto de lei, ou coisa que o valha, já mereceu os mais veementes protestos de jornalistas e constitucionalistas, assim como, ao mesmo tempo, se registou o fugir com o” rabo à seringa” de alguns doutos deputados, principalmente dos que fazem parte dos grupos parlamentares dos tais partidos dodenominado “arco da governação”, ou seja, dos que tiveram o atrevimento de tentar reintroduzir a censura em Portugal, de uma forma “soft”, sub-reptícia, malandra, politicamente esquizofrénica e neofascista.

Queriam os tais senhor(a)s que assinaram esse documento (não sei ainda quem foram) controlar, mais do que já controlam, as redações dos órgãos de comunicação em Portugal. De Espanha, por exemplo, veio através do “El Paìs” a estupefação de um documento destes surgir um dia antes de se comemorar os 41 anos da Liberdade de Expressão, um dos pilares da Revolução de Abril.

Meus amigos. Já há censura que chegue em muitas das redações de jornais, rádios e televisões portugueses (ler entrevista de Froufe Andrade ao nosso jornal, na rubrica “Convidado”). Já há ameaças que cheguem aos jornalistas que querem desenvolver um trabalho livre e sem preconceitos. Já chegam as pressões de caciques e dos grandes grupelhos económicos sobre os profissionais da comunicação social deste país. Já chega o trabalho precário nas redações, mas como se isso não bastasse, houve ainda alguém, não sei quem, mas houve (!) que se atrevesse a ensaiar – cuidado com estes ensaios! Repito: cuidado com estes ensaios!”, tentar legislar, uma  modernizada censura, apoiada, por certo e a nível internacional, por regimes ditatoriais, com o principal “patrocínio” do da Coreia do Norte.

Este plano de disparates morreu à nascença! Mas – volto a repetir –, cuidado com estes ensaios; com estes treinos de “bola parada”; com este “deixa ver se pega”.

A coisa não vai “pegar”, mas num futuro muito próximo “eles” vão voltar à carga: repito “eles” vão voltar à carga! Está feito o aviso.

Eles querem introduzir-se nas redações, querem condicionar as agendas dos órgãos de comunicação social, querem – e, infelizmente, até já podem – chantagear jornalistas, sem que estes tenham uma só instituição à altura que os defenda. É o… “Não cumpres vai prá rua! Que há mais dez cães atrás do osso”.

Não me alongo mais sobre este assunto, porque o assunto morreu, mas… só por agora! A ameaça é constante e a Liberdade de Expressão, um dos pilares da democracia, corre o risco de se desmoronar.

Atenção que, de momento, o “pilar” precise, urgentemente, de obras de restauro.

Estejam atentos, porque estes ensaios; estas tentativas sub-repticias de instalação gradual de uma neocensura vão continuar.

Tenho 30 anos de profissão e, como jornalista, nunca vi uma tentativa declarada como esta contra a Liberdade de Expressão.

Eles andam por aí, e, como os criminosos compulsivos, apresentam-se sempre muito simpáticos, sempre muito sorridentes, sempre amigos (da onça) de toda a gente, dão abraços e beijinhos, mas pelas costas atacam, ou tentam atacar, sem dó nem piedade.

Cuidado com eles e com estes ensaios. Eles andam por aí!

O Diretor

José Gonçalves

 

24abr14

 

 

 

Partilhe:

2 Comments

  1. josé lopes

    Parabens José Gonçalves pela clarividência do teu texto de indignação e alerta! Pena é que, ainda que em muitos casos deviso exatamente pelo que denuncias, que não hajam mais jornalistas sem medo como tú!
    Na verdade tudo isto foi tanto mais estranho quando passam 41 anos do 25 de Abril e 40 da Constituição da República em que foram inscritas conquistas que resultaram tambem da luta do povo que saiu à rua, como a LIBERDADE DE IMPRENSA…

  2. Carla Ribeiro

    É necessária a Liberdade de Expressão
    É necessária a Liberdade de Pensamento
    è necessario sermos livres

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.