Menu Fechar

Vamos continuar a poetizar

Carla Ribeiro

O novo ano já começou, estamos já no segundo mês.

Já tantas foram as nossas vivências e os caminhos percorridos.

Já rimos, sorrimos, choramos, gritamos… e sempre continuamos a caminhada, pois a vida não para.

E não faltando ao prometido, este mês vou deixar-vos com mais alguns trabalhos, com os quais participei no decorrer de 2015 em alguns livros.

Foi para mim um ano de novas caminhadas, em que me desafiei eu mesma a participar em livros, uns a convite, outros por concurso.

Assim, aqui ficam mais alguns dos trabalhos.

poetisar - 01

Livro: “A Arte pela Escrita Oito”, coletânea de Prosa e Poesia, organizado pelo grupo Escritartes.

O silêncio

Hoje senti vontade, vontade de me deitar ao teu lado.

De ficar a ouvir-te contar histórias, do teu sorriso, e do brilho do teu olhar.

Fiquei no silêncio, fechei os olhos, e escutei o meu coração.

Batia forte, parecia que ia saltar.

Fiquei no silêncio, escutei apenas o meu coração,

E no meu ouvido ouvia cada historia tua.

Sentia-te sussurrar cada palavra, cada sentimento, cada dor.

E eu sentia cada palavra tua no meu coração, como se estivesses ali ao meu lado.

E continuavas a sussurrar-me, bem junto do meu ouvido,

Como se estivesses a cantar-me uma linda melodia.

As Tuas palavras soltas na pauta, eram a melodia, que alimenta o meu coração.

Uma por uma, em cada música um sentir, a cada pauta uma nova sensação,

Um novo sentir no meu coração.

O meu coração sentia, o olhar sorria, outras, até chorava.

No silêncio, um sorriso no meu rosto, um semblante triste, triste e preocupado.

Mas no silêncio, eu ficava a escutar-te a sussurrar-me.

E no meu coração eu sentia.

No meu rosto sempre um sorriso para ti.

Sempre um olhar cheio de brilho, um carinho, o verdadeiro sentir.

Sempre o Amor…

E neste silêncio,

Sempre todo o meu Amor…

(Carla Ribeiro)

2014.01.25

poetisar - 02

Ebook: ”Poeta Sou… viva a poesia”, organizado pelo grupo de poesia “Solar de Poetas”, disponível na plataforma da ISSUU.

Poesia é vida

Olhei o mar, e nele escrevi o teu nome.

Olhei o sol, e nele aqueci o meu rosto.

Olhei a lua, e vi nela o brilho do teu olhar.

Escrevi na areia o teu nome,

Mas veio uma onda e o apagou…

Segurei uma tela, e nela pintei o teu sorriso.

Procurei um pedacinho de papel, e nele escrevi o Amor.

Colhi uma flor, e nela senti o pulsar da vida.

Peguei uma folha, e nela escrevi-te uma carta.

Corri na areia, e em cada passo,

Deixei um pedaço de mim.

Segui caminho, continuei a caminhar,

Reconheci pegadas, e nelas senti-me despertar.

Continuei a escrever na areia, nas ondas do mar,

Nas nuvens que vão a passar, com as estrelas,

E até no reflexo do mar,

E como poeta não sou, senti-me em constante transformação.

Mas se poeta é Viver, é sentir e Amar,

É um ser que acredita que pode realizar.

Mas poeta eu não sou…

Quero apenas continuar a despertar, transformar e realizar…

Carla Ribeiro

2015.09.22

poetisar - 03

Livro:  “Erosário 2016”, um Poemário Erótico, da Silkskin Editora.

Quero sono

Estou cansada, fecho os olhos,

E sinto as tuas mãos percorrerem o meu corpo.

O teu corpo a repousar, a tua respiração ofegante,

As tuas mãos percorrem suavemente os meus cabelos.

Quero sono, quero repousar, quero serenar.

Nos nossos corpos, o perfume do desejo,

Cansados agora da luxuria de se amarem.

Corpos nus, corpos suados, murmúrios e suspiros de prazer.

Vou dormir no teu colo, e sentir o teu respirar.

Vou dormir no teu colo, e sentir a tua pela em mim.

Quero sono, mas tenho desejos de te sentir,

Vontade do teu corpo beijar, e de morder a tua orelha.

Quero sono, mas de desejos o meu corpo não consegue serenar.

Suavemente desperta, o teu corpo com carícias e beijos.

Sinto o estremecer do teu desejo, os gemidos do teu prazer.

Quero luxúria, quero gritos, quero murmúrios,

Quero até que me peças para te tocar.

Fecho os olhos e entrego-te o meu corpo.

Beijos trocados beijos desejados, bocas secas.

Nossas línguas percorrem o nosso corpo

Em cada recando, em cada curva, suspiros e gemidos.

Prendes os meus cabelos, e fugazmente puxas-me para ti,

Procuras a minha boca, sedentas por se encontrarem.

Nos nossos corpos o aroma do desejo, do prazer, da luxúria.

Puxas-me para ti, sento-me em ti, e os nossos corpos colados

Nossos sexos encaixados agora numa dança de prazer,

As nossas mãos acariciam os nossos corpos, beijas o meu peito

Nesta dança o frémito, os gemidos, os gritos de puro prazer

Quero sono, fecho os olhos…

(Carla Ribeiro)

2015.04.22

poetisar - 04

E mais teríamos para falar, sobre outros trabalhos em que durante 2015 fui participando.

Portas novas que se abriram, pessoas maravilhosas que conheci, e que para este ano que ainda agora começo e já vai a passou largos no seu segundo mês, eu quero que continuem pertinho de mim.

Não sei ainda do que vamos falar no próximo mês, nem importa ainda, pois é ainda cedo para falar do futuro…

Feliz mês de Fevereiro, e não podemos esquecer que temos o carnaval, para com ele brincarmos…

A todos sem igual,

Obrigada

Até breve com novos “sentir”, novos “amar”…

Carla Ribeiro

Fotos: Pesquisa Google

01fev16

 

Partilhe:

6 Comments

  1. Luciana

    Menina Carla
    Sentir dessa forma deve ser belo e intenso.
    Entre o silencio, a poesia e o sonho eu simplesmente me deixei flutuar nas suas palavras, ou melhor, no seu sentir.
    Obrigada pelas suas palavras e pelo seu sentir, que desta bela forma partilha connosco.

  2. Joaquim

    tamb+em eu ás vezes tenho sono, mas nunca com essa profundidade de sentimentos.
    Obrigado, pela sua partilha e por essa beleza que tem no seu sentir.
    Se pudesse oferecia-lhe uma flor, mas como não posso ofereço-lhe um imenso carinho de alguem que ademira e muito a sua escrita.
    Cumprimento Joaquim

  3. A A

    Menina Carla
    Como é bonito, ler o que escreve
    Impossivel ficar indiferente ás suas palavras.
    Obrigado, pelas suas partilhar
    um amigo, um esconhecido, mas que muito ademira o seu trabalho

  4. Pedro M

    Carla,
    Já tinha saudades de te ler
    e como me soube bem…
    continua com essa garra que nos habituaste e com esse amor sem fim.
    que nunca a solidão te faça perder essa força de MULHER enorme que és. pelo seer belo qu vive dentro de ti.
    Namasté, e aquele imenso abraço que damos a cada reencontro.

  5. MARIA M.

    Olá menina Carla
    E como não continuar a le-la, com tão lindos sentimentos que sempre nos transmite.
    Obrigada por estas suas partilhas, e nunca pare de sonhar, caminhar e Amar
    Beijinho de amizade e carinho
    Maria

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.