Menu Fechar

BOAVISTA FUTEBOL CLUBE COMEMORA 115 ANOS DE EXISTÊNCIA! DO BESSA PARA O MUNDO UMA INSTITUIÇÃO QUE ORGULHA A CIDADE DO PORTO…

Uma das mais antigas e emblemáticas instituições sediadas na cidade do Porto, o Boavista Futebol Clube, comemora hoje (01ago18) 115 anos de existência, com uma simbólica cerimónia (hastear da bandeira) a decorrer esta tarde (18horas) no Estádio do Bessa.

Estádio do Bessa
Estádio do Bessa

Fundado a 01 de agosto de 1903, o Boavista Futebol Clube, mais conhecido pelas suas equipas de futebol (com destaque para a sénior) é, no entanto, um dos mais ecléticos clubes nacionais, com atletas a representar a coletividade axadrezada em de dezasseis modalidades desportivas, destacando-se, recentemente, os feitos da atleta (juvenil) Ana Costa, que conquistou, esta época, os títulos nacionais, assim como duas medalhas de ouro nos IX Jogos CPLP realizados em São Tomé e Príncipe.

Ana Costa com o técnico Amândio Costa
Ana Costa com o técnico Amândio Costa

Futebolisticamente falando, e recuando no tempo, “o primeiro “Boavistão”, surgiu nos anos 1970, sob a presidência do major Valentim Loureiro e com José Maria Pedroto como treinador, iniciou a radiosa aventura que conheceu a segunda página em 91/92, com eliminação da Internazionale (Inter de Milão – Itália) no Estádio Guiseppe Meazza (0-0 depois de uma vitória por 2-1 no Bessa)

José Maria Pedroto
José Maria Pedroto

O “Boavistão” que continuou a crescer com o mesmo presidente sob a batuta de Manuel José na década de noventa, e, já na presidência de João Loureiro e com Jaime Pacheco a treinador, fechou o século XX com o título de campeão nacional, iniciando o século XXI com as presenças na Liga do Campeões e nas meias-finais da Taça UEFA. Hoje em dia, não há treinador na Europa que não esteja familiarizado com o “esquisito xadrez” de uma camisola que levou mais de trinta anos a descobrir o padrão ideal. Neste percurso de glória, marcado pela família Loureiro, além de uma vez campeão nacional, o Boavista foi ainda por três vezes vice-campeão, tendo vencido 3 Taças de Portugal e 5 Supertaças.

Boavista: campeão nacional
Boavista: campeão nacional
João Loureiro
João Loureiro
Valentim e João Loureiro
Valentim e João Loureiro
Jaime Pacheco, o treinador campeão
Jaime Pacheco, o treinador campeão

História

boavista - emblemas

“A história mostra-nos que o “The Boavista Footballers”, a primeira versão do clube, fundada a 1 de Agosto de 1903, equipava de camisa preta e calção preto e era o orgulho de alguns jovens ingleses e portugueses, moradores no bairro da Boavista, que ganharam a paixão pelo futebol ao observarem as partidas disputadas pelos mestres e técnicos ingleses da Fábrica Graham.

A equipa do Boavista em 1903
A equipa do Boavista em 1903

Dois jovens, Harry e Dick Lowe, receberam do pai uma bola importada da Inglaterra e encontrado os companheiros e o terreno adequado, lançaram as bases para a criação do clube. A influência inglesa na coletividade recebeu “sentença de morte” em 1909, quando alguns dos jogadores britânicos, respeitando os preceitos da Igreja anglicana, se recusaram a jogar aos domingos.

Reuniram-se, então, os sócios para resolver a situação, naquela que se pode considerar a primeira Assembleia Geral. A votação foi claramente a favor dos jogos ao domingo e o rosto da direção do clube alterou-se, passando a ser composta por portugueses. Em 1910, o Boavista Footballers desapareceu para dar lugar ao Boavista Futebol Clube.

Em 1911, foi inaugurado o campo do Bessa e o clube começou a viver dias de expansão, interrompida poucos anos depois. A I Guerra Mundial teve início em 1914 e o Boavista viu partir os jogadores ingleses para defenderem a pátria, dos quais alguns não voltaram a ser vistos.

As camisolas voltaram a assunto do dia nos anos 1920, com o aparecimento do calção branco, mas ainda não seria desta que a equipa encontrava a sua identidade.

A nova década trouxe ventos de bonança e o clube ampliou o número de modalidades e intensificou a atividade internacional, disputando vários jogos com clubes estrangeiros que demandavam ao Porto, casos do Real Madrid, Celta de Vigo ou Vasas de Budapeste. E os jogadores boavisteiros passaram a ser chamados à seleção, como o guardião Casoto e o defesa Óscar de Carvalho.

Estádio do Bessa, na década de 60 do século XX
Estádio do Bessa, na década de 60 do século XX
Os primórdio do novo "Bessa"
Os primórdio do novo “Bessa”

Com tanto positivismo, a cor negra das camisolas começou a incomodar muita gente. O Boavista equipou às riscas verticais pretas e brancas e calção preto, mas ainda não estava bem. O preto continuava demasiado dominante e chegou-se então ao extremo. Do sombrio passou ao berrante, com ostentação, em 1928, de uma camisola com riscas verticais vermelhas, brancas e azuis, um calção preto e meias às riscas horizontais brancas e pretas.

A mudança não agradou a ninguém e mereceu muitos comentários irónicos da Imprensa. Então, Artur Oliveira Valença foi ver as modas a França e regressou obstinado a fazer mais uma alteração no visual do Boavista.

O presidente, um homem de admirável bagagem cultural, fundador do jornal desportivo “Sports” e promotor de espetáculos desportivos, observou uma equipa francesa que alinhava com camisola xadrez. Como a mesma correspondia às cores “preto e branco” do seu clube, resolveu copiar o modelo.

boavista - equipamento

Começou aí a história aos quadradinhos pretos e brancos do Boavista. O dia 29 de Janeiro de 1933 é como um segundo nascimento da coletividade. O Boavista bateu o Benfica por 4-0, na estreia do equipamento axadrezado, do novo emblema (o atual) e, sobretudo, dos jogadores profissionais, pois foi a primeira equipa a aderir à profissionalização, feito que lhe valeu uma suspensão de um ano. Desde lá para o Boavista Futebol Clube, abriu-se uma porta e a história ganhou um novo rumo à entrada do século XXI.

Século XXI

O clube, no final de 2012 encontrava-se numa situação de insustentabilidade financeira. Após as reclamações dos credores no processo PER intentado pelo presidente Manuel Maio ascendiam a cerca de 65 milhões de Euros.

Em 28 de Dezembro de 2012 na sequência de um movimento de associados que recolheu centenas de assinaturas, foi novamente eleito como presidente João Loureiro tendo tomado posse a 2 de Janeiro de 2013.

Em 2 de Fevereiro de 2013 o Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) anulou a descida administrativa ocorrida em 2008 graças ao facto de a decisão de descida de divisão do Boavista na sequência do processo Apito Final ter prescrito.

Boavisteiros revoltados
Boavisteiros revoltados

Em 4 de Setembro de 2013 no final do processo PER, no que foi considerado um momento histórico para o Boavista FC, que assim assegurou a sua sobrevivência e afastou o espectro da iminente insolvência, numa negociação conduzida por João Loureiro, uma larguíssima maioria de 93% dos credores do clube votou a redução do seu passivo global de 65 milhões de Euros para 32 milhões de Euros, a pagar em 12,5 anos, mercê de um plano de recuperação com medidas exigentes que deverão se implementadas a partir desse momento, de forma a regularizar de vez as dívidas respetivas.

Foi assim conseguida a salvação do clube, cujo rigor e disciplina na gestão terão que prevalecer.

Em Fevereiro de 2014 foi também outorgado um acordo SIREVE pela Boavista FC.

Em 1 de Abril de 2014, a Comissão Executiva da Liga aprovou a candidatura da Boavista FC à participação na 1.ª Liga na época 2014/2015. Através de comunicado, a referida Comissão explica que a candidatura do clube recebeu ainda parecer favorável da Comissão Técnica de Estudos e Auditoria.

Na época 2014-15 voltou ao fim de seis anos à Primeira Liga, tendo conseguido o objetivo de se manter na 1ª Liga com sucesso, tal como aconteceu de novo nas épocas de 2015-2016, 2016-17 e 2017-18 (8.º lugar).

Modalidades

Mas, o Boavista não é só futebol, brilha também em outras modalidades, entre as quais, o ciclismo, o atletismo, o boxe, o ciclismo, entre outras.

José Santos, técnico da equipa de ciclismo
José Santos, técnico da equipa de ciclismo

boavista - ciclismo 1

boavista - boxe

boavista - ginastica

boavista - futebol feminino

E eis a história de uma grande instituição desportiva da cidade do Porto, que hoje comemora 115 anos de existência: Boavista Futebol Clube.

boavista - pantera

Texto: EeTj / Wikipédia

Fotos: Pesquisa Google

01ago18

 

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.