Menu Fechar

PÓVOA DE VARZIM – S. PEDRO SEM IGUAL! FESTA VAI DURAR MAIS ALGUNS DIAS MAS O QUE FICA REGISTADO FOI DO AGRADO DOS MILHARES QUE INVADIRAM A CIDADE…

Quem vos escreve (verdade se diga!) nunca se tinha deslocado à Póvoa de Varzim, ainda que o faça periodicamente (as Bolas de Berlim “dão cabo” de mim), em Noitada de São Pedro, e a verdade (lá está a “verdade” num jornal de verdades) tem de ser dita: é uma Festa sem igual!

É evidente que cada festejo em honra a São Pedro, por esse país fora, tem as suas caraterísticas, pelo que o da Póvoa de Varzim não escapa às suas, sendo, desde já de destacar a salutar competição entre os bairros da cidade, nas rusgas que se realizam na véspera do dia do santo, e das quais fizemos alguns registos fotográficos.

Mas também na convivência e alegria que se vive nas bonitas ruas poveiras, entre a sardinha assada (e que boa ela estava), uma boa pinga e um pé de dança. De registar a presença de muitos (mas muitos!) jovens nestes festejos…

O repórter não pôde, infelizmente, assistir ao fogo-de-artificio, uma vez que tinha de regressar ao Porto, e como utiliza transportes públicos, o último Metro era à meia-noite e tal.

Metro que, diga-se de passagem, e numa noitada como esta, fez-se circular (tanto de “Expresso” como de trânsito normal) com uma só composição. Fácil de imaginar será a quantidade de pessoas que teve de experimentar, a sensação única, de ser sardinha enlatada uma vez na vida. Fica o reparo à Metro e à consideração que a mesma deveria ter em relação à importância destes festejos.

Vamos às fotos:

O último retiro para quem se divertiu até às tantas no São Pedro da Póvoa de Varzim…

Atenção que estas fotos (dada a indisponibilidade de repórter fotográfico) foram tiradas através de telemóvel. A qualidade não é a melhor, pelo facto pedimos as nossas desculpas. Mas os os registos estão cá!

Texto e fotos: José Gonçalves

E agora, o noticiário normal, a cargo da e-noticias:

O pontapé de saída para as famosas sardinhadas poveiras foi dado no dia 27 de junho, às 12h30, pela Casa da Juventude, que acompanhou os petiscos com um arraial e gincana de jogos tradicionais. A finalizar o dia, às 22h00, os bairros de Belém, Matriz, Mariadeira, Norte, Regufe e Sul inauguraram os seus Tronos, um momento sempre encarado com muita expectativa pelos poveiros.

O Mercado Municipal também se associou à grande festa, no dia 28 de junho, às 12h00, com a organização de uma sardinhada especial em parceria com a PROANDI, abrindo o apetite para a grande Noitada de S. Pedro, de 28 para 29 de junho.

29 de junho feriado local, o Dia de S. Pedro começou logo pela manhã. Às 11h00, a Igreja da Lapa foi celebrada uma missa pela ocasião festiva, que foi seguida por uma arruada pela Banda Musical da Póvoa de Varzim e Banda Marcial de Gueifães, da Igreja Matriz até à Praça do Almada, a culminar num grande concerto, com a interpretação conjunta do tema “S. Pedro Poveiro”.

Depois de nova arruada, desta feita até à Igreja Matriz, ali principiou a majestosa Procissão de S. Pedro, que incorporou os três Santos Populares (S. Pedro, Stº António e S. João) e recolhe na Igreja da Lapa.

A culminar o grande Dia de S. Pedro, Nego do Borel, convidado de honra das Festas nesta edição de 2019, subiu ao palco em frente ao Casino da Póvoa para um mega concerto gratuito.

No rescaldo do concerto do feriado, a Marginal da Póvoa de Varzim recebeu o melhor do atletismo nacional, com a realização da XXXI Corrida de S. Pedro, a partir das 10h00 do dia 30 de junho.

Logo restabelecidos do exercício físico da manhã, todos foram convidados a assistir ao concerto da Banda do Exército, no Cine-Teatro Garrett, realizado no âmbito das comemorações do dia da Escola dos Serviços e dos 150 anos do Serviço de Administração Militar. À noite, a Avenida dos Banhos e a Avenida dos Descobrimentos iluminam-se com o Cortejo Luminoso das Rusgas de S. Pedro.

E a festa ainda não acabou…

Em julho, as festas continuam com um programa recheado de animação cultural, um pouco por toda a cidade. O palco do Largo do Passeio Alegre recebe os concertos musicais da Banda Top5, de Ricardo Carriço, do Grupo Replika 7 e dos The Lush Life Duet, às 22h00 dos dias 1, 2, 3 e 4 de julho, respetivamente; o Centro Ocupacional da Lapa promove um arraial popular com as instituições séniores do concelho, no dia 3 de julho, às 15h00 e a Escola dos Serviços assinala o aniversário da Unidade Militar da Póvoa de Varzim, no dia 5, às 9h00.

A 2.ª Noitada de S. Pedro, um dos momentos mais aguardados das Festas da Cidade, realiza-se a 5 de julho. O fervor bairrista terá a companhia das melhores iguarias até ao amanhecer, sem esquecer o habitual fogo-de-artificio presente em cada um dos bairros poveiros.

A grande festa da cidade termina em grande no dia 6 de julho. Às 11h00, a Praça do Almada recebe a grande novidade desta edição: o maior Arroz de Sardinha do Mundo, promovido pela Confraria dos Sabores Poveiros e às 22h00, o Estádio do Varzim SC será pequeno para a habitual enchente proporcionada pelo tradicional Espetáculo das Rusgas da Póvoa, MAPADI, Regufe, Belém, Mariadeira, Norte, Matriz e Sul. Este ano, o palco voltará ao centro do relvado e a iluminação irá incidir sobre as Rusgas e não sobre o público nas bancadas, por forma a dar o merecido destaque às tricanas, “as estrelas da noite”, conforme explicou o vice-Presidente da Câmara Municipal, Luís Diamantino. A festa irá culminar num espetáculo piromusical na Avenida dos Banhos, Largo do Alto do Martim Vaz e Marginal Norte.

Importa sublinhar a realização de uma grande panóplia de atividades paralelas no âmbito do S. Pedro. O Diana Bar e a Praia da Lagoa promovem as Bibliotecas de Praia, entre 1 de julho e 31 de agosto. Relativamente às exposições artísticas, o Museu Municipal de Etnografia e História da Póvoa de Varzim terá patentes as exposições: “O Cego do Maio e a História Trágico-Marítima dos Poveiros” (até dezembro), “Atlântico” de Hélder Luís (de junho a agosto), “Camisolas Poveiras” (de junho a outubro) e “Como se brincava no tempo dos nossos pais, avós e bisavós” (até dezembro de 2019); a Biblioteca Diana Bar acolhe “Entre Olhares” de Francisco Candeias (de 2 a 28 de julho); a Biblioteca Municipal Rocha Peixoto expõe “P de Pintura 3” de Leonel Cunha (5 de julho a 30 de agosto) e o Centro Ocupacional da Lapa recordará “Memórias de Bairro” (entre junho e outubro).

EXECUTIVO CAMARÁRIO APROVOU “PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO PARA A IGUALDADE E A NÃO DISCRIMINAÇÃO”

Na reunião do executivo realizada ontem, 18 de junho, o Presidente da Câmara Municipal deu conhecimento da decisão tomada pelo Tribunal Administrativo e Fiscal do Porto relativamente ao processo que em 2014 foi movido pela CDU contra o executivo e assembleia municipal a propósito d’A Poveira.

Em causa estava um terreno que permitiu a mudança da fábrica A Poveira das antigas instalações para o Parque Industrial de Laundos. A decisão deste processo “dá ganho de causa em todos os quesitos à Câmara Municipal. É, portanto, um assunto que fica definitivamente encerrado e que demonstra que a decisão tomada pela Câmara e Assembleia Municipal tinha toda a fundamentação legal”. A este propósito, o edil adverte para o facto de, caso não tivessem avançado, “podermos ter perdido uma unidade de excelência no que diz respeito às conservas e tradição desta área”.

O executivo ratificou o Protocolo de Cooperação para a Igualdade e a Não Discriminação, celebrado no dia 4 do corrente mês de junho com a Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género, visando a promoção, execução, monitorização e avaliação da implementação de medidas e ações que concorram para a territorialização da Estratégia Nacional para a Igualdade e a Não Discriminação 2018-2030 “Portugal + Igual” (ENIND), ao nível do Município da Póvoa de Varzim.

Foi aprovado o apoio ao Programa de Apoio à Redução Tarifária (PART) sendo o valor que o Município da Póvoa de Varzim deve comparticipar, relativo ao ano em curso, de 22.179,77 €.

O executivo aprovou um conjunto de apoios, nomeadamente, para a Comissão de Festas de Nossa Senhora das Neves, ao Social Bonitos de Amorim na cedência de transporte, para a deslocação a Cantanhede da sua equipa de seniores femininos de futebol, que irá disputar a fase de apuramento de campeão do Campeonato Nacional da 2.ª Divisão e à Confraria do SS. Sacramento para a organização das solenidades do Corpo de Deus.

Foram ainda aprovados dois contratos de comodato: um, com o Aver-o-Mar Futebol Clube para a cedência do uso gratuito de uma sala no Centro Comunitário de Aver-o-Mar, destinada à instalação da sede social do Clube e ao desenvolvimento da sua atividade associativa; outro, com o PAC – Póvoa Andebol Clube, visando titular a cedência do uso gratuito do edifício anexo ao equipamento denominado “Central de Camionagem”, destinada à instalação da sede social do Clube e ao desenvolvimento da sua atividade associativa.

TRABALHOS NO BAIRRO DA MATRIZ ARRANCAM ESTE MÊS 

Na sessão da Assembleia Municipal realizada a 19 de junho foi aprovado o pedido de autorização para a contratação de um empréstimo de médio e longo prazo, até ao montante de 195.000,00€, para aplicação na Operação Portugal 2020 Norte – Requalificação do Espaço Público no Bairro da Matriz, correspondente ao financiamento parcial da contrapartida nacional de investimento municipal, junto do Banco Europeu de Investimento.

Sobre esta empreitada, o Presidente da Câmara Municipal informou que “no início do mês de julho, teremos obra no terreno”, acrescentando que, previamente, haverá “uma equipa para abordar os habitantes da zona envolvida no sentido de prestar todos os esclarecimentos necessários”.

Ainda sobre este assunto, Aires Pereira adiantou que “o projeto está concebido de forma a retirar o trânsito de atravessamento do bairro de modo a que este tenha melhores condições de habitabilidade”.

A Assembleia Municipal aprovou a proposta apresentada pelo Vereador da Mobilidade e Transportes para excecionar os veículos elétricos do âmbito de aplicação do artigo 3º do Regulamento de Utilização de Lugares Públicos de Estacionamento Pago com duração limitada, pelo período de 10 anos.

RENOVAÇÃO DO MERCADO MUNICIPAL VAI PERPETUAR JOSÉ AZEVEDO

No Dia Nacional do Pescador, 31 de maio, o Diana Bar, encheu-se para a apresentação do livro Cego do Maio: uma vida a salvar vidas de José de Azevedo. A edição municipal é o número 32 da Coleção “Na Linha do Horizonte” e a sua publicação integra-se nas comemorações do bicentenário do nascimento do Cego do Maio.

A sessão contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, Aires Pereira, e do Vice-Presidente, Luís Diamantino.

José de Azevedo começou por agradecer “aos meus amigos que se dignaram estar presentes no lançamento deste modesto livro. Um livro que me deu muito trabalho, muita pesquisa e que me roubou muitas horas de sono e algumas de saúde”.

Os agradecimentos estenderam-se ao presidente e vice-Presidente e ainda “à minha família, mulher e filhos, em especial ao meu filho Pedro, que me auxiliou a encerrar este projeto”.

Sobre o livro, o autor revelou: “tentei dar a maior notoriedade à grande figura desta cidade, um herói que cativava pela sua humildade, que vivia para ajudar os outros, um benemérito da humanidade. Viveu pobre, mas tinha uma riqueza de caráter de morrer de inveja. Um herói nacional que a politiquice caseira menosprezou. Foi condecorado com a mais alta distinção do Reino, recebeu medalhas de ouro e prata, mas nenhuma da sua cidade”.

Por fim, José de Azevedo agradeceu ao Grupo de Teatro do Bairro Sul, que se quis associar ao evento com um quadro cénico da sua autoria, “O naufrágio do Quim Farrapa”.

O presidente da Câmara começou por recordar a concessão da Medalha Militar da Cruz Naval de 1.ª classe a José Azevedo, na sequência da comemoração dos 700 anos da Marinha Portuguesa na Póvoa de Varzim, para constatar que “temos vindo a materializar um conjunto de desejos que faltava cumprir”.

Neste sentido, referiu-se a um outro compromisso de José de Azevedo: escrever um livro a propósito dos 250 anos da Igreja da Lapa, “uma empreitada que já está praticamente concluída”.

Aires Pereira assumiu que “enquanto Presidente de Câmara, nada mais gratificante do que estar aqui à sua beira e poder participar neste momento”. A este propósito, anunciou que “no dia 15 de junho, sábado, às 10h00, no Mercado Municipal, vamos proceder à inauguração do último arranjo do Mercado”. Lembrando que o Mercado Municipal foi inaugurado por José de Azevedo, na altura Presidente da Câmara Municipal, referiu que “nada melhor do que com a inauguração desta remodelação perpetuar para sempre a renovação com o nome José de Azevedo”.

Terminou agradecendo a José de Azevedo os seus quase 84 anos de dedicação à Póvoa de Varzim e a sua “vontade de continuar a fazer com que continuemos a ter orgulho nesta terra”.

“MELHOR AMBIENTE, MENOS CUSTOS, MELHOR QUALIDADE DE VIDA!”: INAUGURADO EQUIPAMENTO DE REFERÊNCIA NA PÓVOA DE VARZIM

O Presidente do Conselho de Administração da Lipor e Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, Aires Pereira, inaugurou, no passado dia 15 de junho, o Ecocentro e Estação de Transferência da Póvoa de Varzim, em Laundos.

Além do executivo municipal, estiveram presentes na sessão Fernando Leite, Administrador-Delegado da Lipor, e Quirino Jesus, Vereador da Câmara Municipal de Espinho, autarquia que também terá um equipamento semelhante ao inaugurado.

Aires Pereira transmitiu que o dia marcava “uma nova etapa na vida da Póvoa de Varzim e no nosso compromisso com esta área tão importante como é a recolha e transformação de resíduos e com as metas ambientais que todos temos obrigação de contribuir e atingir de modo a termos um planeta mais sustentável”. O edil explicou que “com a nova estação de transferência, os camiões de resíduos já não terão que se deslocar à Lipor I ou II para fazer a descarga dos resíduos diariamente durante a noite. Vão entregá-los aqui e depois serão encaminhados para os diferentes sistemas. Teremos menos transporte, menos camiões na rua, menos desperdício de tempo e menos custos”.

O autarca informou que no dia 1 de julho entra em funcionamento o Ecocentro, acrescentando que “investimos 1,5 milhões de euros, num terreno que tem 60 hectares, propriedade da Lipor”. Os equipamentos ocupam 10 hectares e os restantes 50 destinam-se a uma incubadora de empresas ligadas à área do ambiente”.

O Presidente revelou que “no mês de maio a Lipor já atingiu as metas nacionais fixadas em termos daquilo que é a nossa responsabilidade, ou seja, dos 50 kg por habitante no que diz respeito à recolha, já atingimos 53 kg e na Póvoa de Varzim 51,2 kg”.

Relativamente a estes números, Aires Pereira fez questão de deixar uma palavra aos cidadãos que estão a colaborar, destacando a importância da “sustentabilidade do nosso planeta e da economia circular, ou seja, termos a capacidade de reutilizar tudo aquilo que utilizamos e cada vez menos ir procurar matérias-primas virgens. Esta é uma obrigação e um compromisso de todos e de cada um”.

Sobre a recolha porta-a-porta implementada inicialmente na zona sul, agora a avançar na Matriz e, em breve, na zona norte, transmitiu que “entre janeiro e maio deste ano permitiu aumentar o total em 1,7 mil toneladas o material enviado para reciclagem”.

O Presidente lembrou que a Lipor é empresa de referência no universo dos resíduos, sendo que já representa 12% dos resíduos nacionais: “somos a maior empresa pública do país a tratar resíduos”, acrescentando tratar-se de “um exemplo para o país e para a Europa, uma vez que a Lipor tem delegações em vários países”, desde Malta a Roménia, Israel e parcerias com o Brasil.

Aires Pereira revelou ainda que a Lipor tem um desejo e um sonho: “transformar-se numa empresa produtora de produtos”.

AVENIDA 25 DE ABRIL TERÁ FINALIZAÇÃO PARA BREVE

O 46.º aniversário da elevação da Póvoa de Varzim a cidade ficou marcado pela inauguração da Instalação da Viatura Chaimite na Avenida 25 de Abril.

A cerimónia decorreu na manhã de 16 de junho e contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, Aires Pereira, do Coronel Armando José Rei Soares Ferreira, Comandante da Escola dos Serviços (ES), que assinaram o protocolo de cedência da viatura.

O Presidente da Câmara Municipal revelou que a cedência da viatura Chaimite V200 ao Município “é fruto da colaboração entre a cidade da Póvoa de Varzim e a instituição militar com a presença ininterrupta há mais de 100 anos na nossa cidade onde se sentem em casa e onde nós sentimos que fazem parte da família poveira”.

Aires Pereira constatou que “não haveria outro sítio na cidade onde pudéssemos colocar tão emblemática viatura que neste sítio (Avenida 25 de Abril)”.

O edil deixou uma palavra ao arquiteto Rui Bianchi pelo trabalho da instalação onde está apoiada a viatura e toda a recuperação e iluminação, acrescentando que “este monumento será um marco para todos aqueles que visitam ou passam nesta Avenida que, assim, não precisa de placas”.

O Presidente da Câmara aproveitou o momento para anunciar que “nos próximos dias abriremos o concurso para a finalização desta Avenida, uma obra que urge terminar com a sua ligação ao extremo norte do concelho. Trata-se de um concurso público de aproximadamente 4 milhões de euros para concluirmos esta tão importante infraestrutura rodoviária de circulação entre um extremo e outro da cidade da Póvoa de Varzim”.

O Coronel Armando Ferreira referiu que “a viatura que simboliza o espírito do 25 de Abril será mais um cartão de visita que perpetuará indelevelmente a ligação e presença militar de mais de 100 anos nesta cidade que tanto nos tem acarinhado”.

O Comandante da Escola dos Serviços acrescentou que “esta cerimónia fortalece a ligação do exército e da Escola dos Serviços com o Município e com a comunidade e as gentes da Póvoa. O Exército está ao serviço de Portugal e dos portugueses pelo que a Escola dos Serviços estará sempre disponível ao serviço do Município e dos poveiros, como sempre tem estado”.

O Coronel Armando Ferreira lembrou que este ano se completam 25 anos do Quartel de Beiriz, um marco importante que será assinalado no Dia da Unidade, em julho.

 “PÓVOA ARENA” APRESENTADA NO “DIA DA CIDADE” 

O Cine-Teatro Garrett acolheu a cerimónia de homenagens do 46.º aniversário da elevação da Póvoa de Varzim a cidade. No ano em que se assinalam os 25 anos da celebração do Dia da Cidade, o presidente da Câmara Municipal quis, além de distinguir os cidadãos escolhidos, apresentar a todos os presentes a Póvoa Arena que fará parte da Nova Póvoa.

A Póvoa Arena, que resulta da demolição da Praça de Touros, terá capacidade para três mil pessoas e o investimento estimado é de sete milhões de euros. No projeto, a nova arena manterá apenas a forma circular, lembrando a praça que ali esteve durante mais de 60 anos. O espaço multiusos e auditório coberto será utilizado para grandes concertos, feiras, conferências, exposições e atividades desportivas e terá zonas de comércio e uma cobertura ventilada.

Este projeto apenas vem reforçar a constatação do edil no seu discurso de que “a cidade é cada vez mais competitiva” e “é por isso que quando nós dizemos que «É bom viver aqui» – esta afirmação é mais que um slogan de marketing territorial: é uma realidade, que mais e mais cidadãos constatam.

E sendo a cidade uma construção dos seus cidadãos, a excelência da cidade é expressão do excelente povo que somos. Por isso, o estímulo da participação cidadã é a missão mais elementar de uma gestão inteligente da cidade.

A distinção das pessoas singulares ou coletivas que mais se distinguiram pelo serviço à comunidade num determinado período ou no decurso de uma vida é sobretudo um sinal e um estímulo: há quem esteja atento e valorize o que se faz pela comunidade”.

É o caso de Dionísio Vinagre, Administrador da Varzim Sol, distinguido com a Medalha de Cidadão Poveiro, grau prata, por “prestar à nossa cidade relevantes serviços culturais, através dos quais aprofundou a relação da concessionária da Zona de Jogo com a cidade.

A abertura do Casino à realização de espetáculos com fins solidários e beneficentes, a parceria com o município para a animação das festas a S. Pedro, a oferta da estátua de Fernando Pessoa, a edição do livro “A Igreja de S. Pedro de Rates – um património artístico milenar!” e sobretudo a instituição, desde 2004, do prémio “Casino da Póvoa” (um dos grandes prémios literários portugueses, associado ao “Correntes d’Escritas”) – foi isso, e muito mais, mas sobretudo o empenho e a dedicação com que tudo fez”.

Profundamente agradecido pela distinção, Dionísio Vinagre revelou que “há muito me sentia cidadão poveiro mesmo não o sendo por nascimento” e salientou a relação com o Município baseada no respeito mútuo.

A João Marques, distinguido com a Medalha de Reconhecimento Poveiro, grau prata, quis “o município agradecer tudo quanto fez, e continuará a fazer, pela promoção da Póvoa de Varzim enquanto destino de excelência para a vivência das artes e particularmente da música, de cujo ensino foi figura maior no nosso concelho e na região.

O Dr. João Marques é indissociável da história da nossa Escola de Música (da qual foi fundador, diretor pedagógico e diretor executivo, além de professor), como é indissociável do nosso Festival Internacional de Música (a que está ligado desde a sua criação e onde exerceu, sucessivamente, e até 2018, as funções de diretor executivo, diretor artístico, programador e coordenador-geral), como é indissociável de inúmeras outras iniciativas congéneres na região, para cujo prestígio o seu contributo foi determinante”.

João Marques entende que “transmitir a música é missão de utilidade pública” e daí a sua inteira dedicação a esta missão ao longo de tantos anos da sua vida.

Manuel António Correia Martins, distinguido com a Medalha de Reconhecimento Poveiro, grau prata, “é uma grande referência no domínio da Ortopedia – e o nosso Hospital beneficia, há décadas, do seu conhecimento e da sua dedicação, a ponto de aquela especialidade passar a constituir uma referência clínica emblemática, com a notoriedade que hoje lhe é reconhecida.

Acresce que o Dr. Correia Martins confere à sua profissão uma vertente solidária, integrando uma equipa multidisciplinar que todos os anos presta Serviço Médico nas regiões mais distantes e desfavorecidas do nordeste transmontano, além de ter servido, durante anos e em regime de voluntariado, o Varzim Sport Club.

Correia Martins disse que “a Póvoa, terra milenar, carregada de muitas tradições, teve sempre no seu seio poveiros de grande relevo local e nacional” e enumerou diversas figuras marcantes da nossa terra nas diversas áreas. Falou da sua juventude e da opção que tomou após ter feito a sua licenciatura: “preferi a Póvoa pela qualidade de vida que tem”.

O Presidente da Assembleia Municipal, Afonso Pinhão Ferreira transmitiu que “os nossos homenageados exercem e exerceram a profissão com sentimento e projetaram com o seu prestígio o Município da Póvoa de Varzim.

De todos eles ressalta um denominador comum, algo que é inerente a todos e que os qualifica: a arte de viver, olhando mais além de si mesmo. Dr. Dionísio Vinagre prestigiou a sua ocupação, elevando as artes e proporcionando o encontro da população com a cultura; o Dr. Manuel Correia Martins juntou o seu conhecimento médico e experiência política com a sua incomensurável simpatia e emprestou a sua disponibilidade à reutilização da humanidade; o Dr. João Marques foi membro fundador da Escola de Música e um excelso organizador de eventos melómanos e alimentou a Póvoa de Varzim com saborosas e inesquecíveis sobremesas musicais”.

Terminada a cerimónia no Cine-Teatro Garrett, a festa continuou no Casino da Póvoa onde todos puderam visualizar a maquete da Nova Arena.

150 MIL PESSOAS “N’OS DIAS NO PARQUE”

A maior adesão de sempre: mais de 150 mil pessoas visitaram o Parque da Cidade, de 6 a 10 de junho, durante Os Dias no Parque.

É a verdadeira festa do concelho, como tantas vezes já foi referido pelo Presidente da Câmara Municipal, Aires Pereira. Associações de todas as freguesias da Póvoa de Varzim esforçaram-se – e com muito sucesso – para que todos os visitantes se divertissem e passassem horas felizes no Parque da Cidade.

Centenas de voluntários colaboraram com as associações para que nenhum pormenor fosse descurado. De manhã até de madrugada não faltaram iguarias para provar e sempre muito bem acompanhadas pela simpatia de quem se encontrava atrás do balcão. As associações, além da oferta gastronómica, deram um brilho especial à festa através de demonstrações das suas “especialidades”: dança, karaté, yoga, kung-fu, folcore, capoeira ou defesa pessoal.

Um dos grandes atrativos d’Os Dias no Parque é, sem dúvida, a música. Na primeira noite, quinta-feira, a animação esteve a cargo de Cláudia Martins & Minhotos Marotos. Apesar da chuva que caiu de vez em quando, a banda vimaranense não esmoreceu e surpreendeu quem ainda não conhecia a sua alegria em palco. Na segunda noite, sexta-feira, o protagonista foi Matias Damásio.

A simpatia do cantor angolano, a sua interação com o público e as músicas que tão bem se conhecem encantaram os milhares que assistiram ao concerto. Richie Campbell e DJ Vibe foram os “donos” da noite de sábado, a terceira do evento. Um mar de gente assistiu ao concerto do autor do êxito “Slowly” e permaneceu, depois, junto ao palco principal, para a atuação de um dos mais conceituados DJ’s do mundo. O último grande concerto aconteceu no domingo com o Tributo Remember Queen. A banda italiana recriou a última digressão de Freddy Mercury, em 1986.

Mas, a música não se cingiu às grandes estrelas nacionais. Muitos artistas poveiros animaram as tardes, noites e madrugadas no Parque da Cidade: H2A, Francisco Nova, Noé Gavina, Joe & Crash One, DJ Bruno Guedes, MC Barbarela, Ultraviolet, ASES, Espaço DJ’s Ar de Rock Laundos, Marlene Maio, Domingos Moça, Manuel Moura, Rui Nova e Ana Oliveira, DJ João Duque, Miguel Laranjeira, Sílvia Raquel e True Band.

Sendo Os Dias no Parque um evento para toda a família, as atividades pensadas na alegria dos mais pequenos são sempre fundamentais. Insufláveis, jogos e inúmeras brincadeiras estavam à disposição para o deleite geral das crianças. Horas e horas de folia e em contacto com a natureza.

Sendo o Parque da Cidade o ícone da natureza na Póvoa de Varzim, nada mais adequado do que inaugurar a Ciclovia durante a realização deste evento. Afinal, pretende-se com esta Ciclovia que os carros sejam deixados mais vezes nas garagens e que as bicicletas comecem a ser o transporte de eleição.

Muito mais haveria para escrever sobre o evento mais querido por todos os poveiros mas nada se compararia à verdadeira emoção de o viver. A comunhão entre os voluntários, a colaboração entre as associações, o nervosismo antes de subir ao palco, a emoção dos pais a assistirem às atuações dos seus filhos, a alegria de tirar uma fotografia com o seu ídolo. Os Dias no Parque são mais do que um evento. São o ponto de encontro dos poveiros durante cinco.

Textos e fotos: e-noticias / EeTj

Texto introdutório: José Gonçalves

01jul19

 

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.