Menu Fechar

“MUSEU DE OVAR” MOSTROU DESENHOS DO SEU ESPÓLIO

A programação cultural do Museu de Ovar de fevereiro a março, dedicou uma das suas exposições ao desenho, recorrendo a obras de alguns dos artistas naturais ou com afinidades a Ovar, que fazem parte do espólio desta arte doado por vários nomes consagrados.

O tema “desenho” e a sua versatilidade, foi assim apresentado como, “uma forma de manifestação de arte já que o artista pode transferir para o papel imagens e criações da sua imaginação. É, basicamente, uma composição bidimensional constituída por linhas, pontos, formas e sombras”, que estiveram significativamente representados na Exposição de Desenhos, assinados por: Ana Tudela, Abel Salazar, Armando Andrade, Beatriz Campos, Hipólito Andrade, Jorge Barradas, Júlio Resende e Luís Ferreira de Matos.

Nesta exposição foram reunidas obras em desenho, que vão dos anos 20 a 70, assinalando várias gerações de autores de desenhos, que ali refletem profundos laços familiares e de amizade com artistas, que enriqueceram o espólio do Museu de Ovar desde a sua fundação há quase seis décadas. Histórias e memórias que o Museu de Ovar guarda e vem proporcionando a sua mostra através das muitas coleções de obras de arte.

De Abel Salazar, natural de Guimarães, destacou-se “Mulheres Trabalhando”. Enquanto de Júlio Resende, “Ceifando” (1959) foi a obra exposta. Na sala despertou ainda atenção o retrato da autora espanhola Ana Tudela, com o título “Laura Barradas”, a mulher do ceramista Jorge Barradas, com afinidades familiares e artísticas a Ovar, incluindo o Museu de Ovar, que na área do desenho expôs, “Caprichos” e “Costa Nova” (1928). E ainda “Vaso c/Flor” (1957).

Entre os artistas de Ovar que contribuíram igualmente para o engrandecimento e reconhecimento desta Instituição Museológica desde o seu nascimento, destacam-se nomes como Beatriz Campos que da vasta obra de pintura e cerâmica, deixou também desenhos, como “Estudo de Nu” (1942), a exemplo de uma família de artistas de São Vicente de Pereira, Armando Andrade, com “Esboços de esferográfica sobre trajo Mulheres”, pai de Hipólito Andrade, também representado com “O Velho pescador de Nazaré” (1973).

Por fim, é ainda possível observar uma das obras de desenho, do pintor e escultor natural de Arada/Ovar, Luís Ferreira de Matos, sob o título “Humanidade” (1965). Uma relíquia que o Museu de Ovar trouxe à luz do dia numa altura em que este artista ovarense, teve o seu projeto “Roma 2021” que inclui 24 painéis, em exposição entre 12 de fevereiro e 6 de março no Espaço Artes do Instituto Politécnico de Lisboa, Trata-se de uma exposição itinerante que “passando por diversas cidades portuguesas fundadas ou desenvolvidas durante o império Romano, terminará em Roma em Maio de 2021 (a apresentação final está marcada para 21 de Abril de 2021, dia de aniversário da fundação da cidade de Roma), lê-se na página do fecebook de Luís de Matos.

 

Texto e fotos: José Lopes

01abr20

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.