Menu Fechar

Valongo – Está lançado concurso para o novo Paços do Concelho e garantidos 14,4 milhões de euros para o financiamento de investimentos municipais

A Câmara Municipal de Valongo aprovou  dois empréstimos no valor global de 14.414.000€, para financiar os principais investimentos municipais que vão arrancar em 2021, designadamente o projeto Casa da Democracia Local (futuros Paços do Concelho), cujo concurso público internacional também foi aprovado na reunião de hoje.

Além do empréstimo de 10.500.000 € destinado a financiar a construção da futura Casa da Democracia Local (Paços do Concelho), foi também aprovado um empréstimo no valor de 3.914.000 € para os seguintes investimentos municipais: Construção Parque Estacionamento do Cemitério Valongo – 550 000,00€; Parque do Leça – Alfena -794 000,00€; Circuito pedonal do Rio Ferreira – 200 000,00€; Quinta Pedagógica do Passal – Piscina – 320 000,00€; Requalificação da Rua S. Vicente – 330 000,00€; Rua da Costa – 155 000,00€; Passeio desde a Escola Profissional até ao Centro de Sobrado – 200 000,00€; Nova Gandra – 330 000,00€; Mercado de Ermesinde – 270 000,00€;

Requalificação do espaço da feira envolvente ao mercado – 210 000,00€; Requalificação da Rua da Palmilheira – 290 000,00€; Rua André Gaspar – 265 000,00€.

“Este é o tempo certo para investir. Temos boa saúde financeira. Fomos exigentes e fomos compensados”, frisou José Manuel Ribeiro, presidente da Câmara de Valongo, sublinhando que “é nas alturas de crise que o investimento público mais se justifica”.

Relativamente ao projeto da Casa de Democracia Local, o autarca salienta que se trata de “uma proposta muito ambiciosa e incontestável, por ser um projeto âncora para a atração cultural cívica regional, também nacional e internacional, mas que seja, para além do órgão executivo e administrativo do município de Valongo, um edifício didático e lúdico, com conteúdos acessíveis aos diferentes públicos que se pretende atrair.

De acordo com a proposta hoje aprovada, a Casa da Democracia Local surge como um novo espaço para a comunidade, espaço de visitação, de encontro e debate, em que se pretende privilegiar a interação dos munícipes, e, no fundo, consagrar os valores que a Democracia defende criando uma função urbana importante para a qualidade de vida das populações.

Este projeto que remete para a figura da trilobite, permitirá também acolher uma humanização do novo edifício dos Paços do Concelho de Valongo, e Praça como espaço de apropriação e utilização pública, reconhecendo aqui desde o primeiro momento o potencial dos elementos patrimoniais a criar de valor estratégico para a afirmação da cultura, quer regional quer nacional, assumindo o desafio da valorização do maior dos elementos do património cultural imaterial do concelho de Valongo, criando, para isso, um espaço marcante, diferenciador e inovador que permitirá aos munícipes, mas também aos visitantes nacionais e internacionais, ter uma experiência diferente da fruição de um edifício de génese administrativo da nossa democracia, mas agora também com uma nova apropriação de caráter mais cultural e cívica.

O projeto contempla a execução de estrutura em betão armado, instalação de caixilharias exteriores lacadas e vidros, revestimento das paredes exteriores em compósito de ardósia, cobertura em módulos fotovoltaicos, execução de sala de imersão virtual, arranjos exteriores em ardósia e scala decor e áreas verdes.

Este espaço contempla diferentes valências de que são exemplo: Espaços com funções exclusivamente políticas e administrativas; Espaços expositivos permanentes e temporários, com espólio etnográfico associado a pessoas e tradições relevantes da região; Espaço interativo, de imersão virtual, através do qual cada visitante poderá viajar, no tempo e no espaço, experienciar atividades, culturais, desportivas, aventuras radicais, etc.; espaços polivalentes em todo o edifício.

Todo o espaço interior foi pensado para ser apropriado de acordo com a funcionalidade pretendida num determinado momento sem que por isso a arquitetura mude, mantendo-se sempre uma solução encontrada dada como ótima, tendo capacidade de se adaptar à diversidade e à mudança, conservando ainda assim a sua identidade.

A humanização do edifício prolonga-se para o espaço exterior, onde surge a Praça da Democracia Local, como espaço de apropriação e utilização pública, criando assim um espaço marcante, diferenciador e inovador que permite aos munícipes, mas também aos visitantes nacionais e internacionais, ter uma experiência diferente da fruição de um edifício de génese administrativo da nossa democracia, mas agora também com uma nova apropriação de caráter mais cultural e cívica.

O concurso público da Casa da Democracia Local tem como preço base 11 milhões de euros e o prazo de execução é de 730 dias.

Na reunião, o executivo aprovou ainda a abertura dos concursos públicos para a requalificação das piscinas de Ermesinde (950.000€) e da Escola Básica EB23 Vallis Longus (3.000.000€), empreitadas que terão financiamento comunitário.

“Numa única reunião garantimos o avanço de mais de 18 milhões de euros de investimento. É gratificante ver tantos projetos tão perto de ser tornarem realidade. Nos próximos meses vamos finalmente ver no terreno obras que comunidade tanto merece nas cidades de Alfena, Ermesinde e Valongo e nas vilas de campo e Sobrado”, concluiu José Manuel Ribeiro.

AUTARQUIA ENTREGA MAIS 15 CASAS PARA REALOJAR PESSOAS CARENCIADAS

A Câmara Municipal de Valongo vai entregar mais 15 habitações sociais, para realojar condignamente nesta quadra natalícia e em plena pandemia mais 34 pessoas.

O ato público de entrega das chaves será presidido por José Manuel Ribeiro, Presidente da Câmara Municipal de Valongo, e realiza-se no dia 18 de dezembro (sexta-feira), pelas 15h00, no Auditório Dr. António Macedo (Avenida 5 de Outubro – C.C.C. Vallis Longus), onde serão cumpridas as normas de saúde pública em vigor.

No atual ciclo governativo, já foram entregues 161 casas municipais com arrendamento apoiado, tendo sido realojadas no total 432 pessoas, o que representa um investimento público superior a um milhão de euros, em obras de reabilitação dos imóveis. Cada intervenção custa em média 8.000€. Em 2020, este investimento foi de 93.952,13€.

Apesar de não dispor de casas em número suficiente para as necessidades do concelho, a Autarquia através da Empresa Municipal Vallis Habita esforça-se por dar resposta aos casos mais dramáticos de uma lista com mais de 500 agregados familiares inscritos para habitação social.

No total, o Município dispõe de 1098 habitações sociais em regime de arrendamento. As entregas de casas só podem realizar-se à medida que as habitações vão sendo desocupadas pelos anteriores moradores. Entretanto, é necessário realizar obras de recuperação em cada casa deixada vaga pelos anteriores ocupantes.

CÂMARA MUNICIPAL CONCLUI ELIMINAÇÃO DE FIBROCIMENTO EM TODAS AS ESCOLAS DO CONCELHO

Começaram hoje as obras de substituição da cobertura em fibrocimento do Pavilhão Desportivo da Escola Preparatória de S. Lourenço, em Ermesinde, o último edifício com fibrocimento que era da responsabilidade do Ministério da Educação.

“Demos mais um passo para garantir que não há amianto em nenhuma das nossas escolas, desde os jardins-de-infância às secundárias. Neste ciclo governativo, substituímos todas as coberturas de fibrocimento das nossas escolas, tenham ou não amianto, inclusive naquelas que até há bem pouco tempo não eram da nossa responsabilidade direta. Só falta concluir esta obra na EB23 de São Lourenço, em Ermesinde, e começar a da EB Vallis Longus, em Valongo, que deve avançar dentro de três meses”, salienta José Manuel Ribeiro, Presidente da Câmara Municipal de Valongo.

“Tomamos a dianteira logo em 2014, com a substituição da cobertura da Escola das Saibreiras, em Ermesinde, e ao longo dos últimos anos fomos investindo largos milhões de euros em obras de requalificação no nosso parque escolar, permitindo a retirada do fibrocimento nas escolas EB1 do Lombelho, de Cabeda e da Codiceira (em Alfena); da Retorta, de Balselhas e da Azenha (em Campo) e do Calvário, do Susão e da Boavista (em Valongo)”, refere o autarca, notando que todo este investimento nas escolas básicas do primeiro ciclo foi feito exclusivamente pelo município.

Com apoio de fundos comunitários e do Governo, foram realizadas as obras de renovação da Escola Secundária de Ermesinde que também tinha fibrocimento e serão realizadas as obras da EB23 Vallis Longus e da Secundária em Valongo.   “Em menos de 8 anos vamos resolver problemas que se arrastaram por mais de 20 anos” lembrou o Presidente da Câmara Municipal de Valongo. A obra na Escola de São Lourenço é a única no concelho com financiamento no âmbito do programa governamental de Remoção do Amianto nas Escolas.

CÂMARA MUNICIPAL VOLTA A AUMENTAR APOIO MENSAL AOS BOMBEIROS DE ERMESINDE E VALONGO

A Câmara Municipal de Valongo vai aumentar novamente o apoio financeiro mensal aos bombeiros de Ermesinde e de Valongo, que vão passar a receber mensalmente 12.500€, com efeitos retroativos a janeiro de 2020.

Recorde-se que o apoio mensal da câmara às corporações de bombeiros foi durante 9 anos de 4.540€, tendo havido desde 2017 quatro aumentos propostos pelo atual Presidente da Câmara, passando agora para os 12.500€, o que representa um aumento do apoio mensal de 175,33%.

“Os Bombeiros de Ermesinde e de Valongo terão sempre o nosso apoio, porque os nossos soldados da paz estão sempre disponíveis para ajudar a comunidade”, considera o Presidente da Câmara Municipal de Valongo, José Manuel Ribeiro, recordando que este é o segundo aumento decidido em 2020. No primeiro semestre do ano, já em plena crise pandémica, o executivo deliberara um aumento de 66% do apoio financeiro mensal aos bombeiros de Ermesinde e de Valongo, também com retroativos a janeiro, considerando as dificuldades financeiras que as corporações estão a sentir na sequência da pandemia Covid-19.

Evolução do apoio concedido às Associações Humanitárias de Bombeiros Voluntários de Ermesinde e de Valongo
Ano Apoio mensal a cada Associação Total do apoio mensal às duas Associações Total do apoio anual
2008 4 540,00€ 9 080,00€ 108.960,00€
2017 6 000,00€ 12 000,00€ 144 000,00€
2020 10 000,00€ 20 000,00€ 240 000, 00€
2 500,00€ 5 000,00€ 60 000,00€
2021 12 500,00€ 25 000,00€ 300 000,00€

 

 

Texto: Lúcia Pereira (CMV) / Etc e Tal jornal

01jan21

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.