Menu Fechar

Especialistas alertam para o aumento de casos de “olho seco” associados ao atual contexto sanitário

As queixas associadas ao olho seco, cansaço ocular, pressão nos olhos e vista irritada têm aumentado em Portugal durante a pandemia da Covid-19, segundo a Sociedade Portuguesa de Oftalmologia.

Este crescimento é consequência do aumento de atividades como o teletrabalho ou o incremento da utilização de dispositivos móveis. Além disso, um estudo recente desenvolvido por especialistas do Centro de Investigação e Educação Ocular (CORE)nos EUA observou que a utilização generalizada de máscaras faciais, embora essencial para a prevenção da transmissão do coronavírus, também aumenta os casos de secura e irritação ocular, ao orientar o ar para cima (em direção para os olhos) e secar a sua superfície.

O olho seco é uma das síndromes oculares mais usuais em Portugal. Esta condição ocular aparece como consequência da falta de lágrimas ou má qualidade das mesmas. Trata-se de uma síndrome crónica que afeta a superfície ocular por não estar devidamente hidratada.

É necessário prestar atenção aos sintomas do olho seco, tais como vermelhidão ocular, irritação ocular, comichão ou picada, encandeamento ou visão desfocada. Os peritos recomendam que, com o surgimento de novos hábitos, como o uso generalizado de máscaras, deve haver uma maior proteção dos olhos e tratamento contra a secura e irritação a longo prazo.

Neste sentido, e com o objetivo de sensibilizar o público para os cuidados da saúde ocular, a Alcon Portugal lançou a campanha “Sorria com o olhar”, que visa transmitir uma mensagem positiva, apesar da pandemia, encorajando as pessoas a cuidar dos seus olhos e salientando a importância de utilizar lágrimas artificiais, que ajudam a aliviar os sintomas de olho seco, e consequentemente, melhorar a sua qualidade de vida.

Conselhos para reduzir o risco de olho seco durante a pandemia

Embora o uso de uma máscara facial seja essencial para evitar a transmissão do coronavírus, esta pode causar secura e irritação do olho. Para reduzir esse risco, os profissionais da Alcon recomendam:

  1. Optar por utilizar máscaras com fio nasal flexível, prestando atenção à forma do mesmo para evitar que o ar seja dirigido para os olhos.

 

  1. Fazer pausas do uso de máscara sempre que a situação o permita.

 

  1. Aplicar periodicamente gotas lubrificantes nos olhos para manter a hidratação e proporcionar um alívio duradouro.

 

  1. Realizar exercícios de piscar os olhos, de vez em quando.

 

 

Texto: Sandra Antunes (Tnkle) / Etc e Tal jornal

Foto: pesquisa Web

01abr21

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.