Menu Fechar

Onde cair… levante-se !

Weihua Tang

 

É difícil esquecer um vídeo desportivo, que vi no dia 01 de janeiro. Quantas vezes via, quantas vezes chorava emocionada.

Ma Xiaohui, uma menina chinesa de oito anos, natural de Pequim,  comoveu o povo chinês depois de ter conquistado o campeonato na corrida de patinagem de velocidade, em pista curta. Entretanto, o jornal da China, o mais oficial e prestígiado, “Diário do Povo” e a CCTV, apreciaram-na imenso pelo seu espírito de pequena heroína e deram-lhe um grande elogio.

No momento de ouvir o sinal da corrida, Ma Xiaohui escorregou e caiu na linha de partida. Sem hesitar, ela levantou-se de imediato e correu o mais rápido possível. Evidentemente, ela ficou bastante atrasada atrás das colegas. No entanto, ela não desistiu e, conseguiu ultrapassar todas as concorrentes na penúltima volta. Naquele momento, todos os espectadores  ficaram impressionados e levantaram-se, enquanto começavam a aclamar com aplausos.

Após a competição, a jornalista perguntou-lhe o motivo de tanta luta e qual seria o seu sonho. A menina respondeu que sonhava  participar no Jogos Olímpicos de Inverno, quando fosse grande. Porém, o seu comportamento serviu de inspiração para todos os pais. Se o seu filho caísse, nesta situação, a primeira reação deveria ser completamente de “colapso”, ou seja, o “desespero”. Todavia, os pais devem dar mais espaço e oportunidades para os filhos crescerem. Seja como for, essa queda seria um “desastre” para qualquer pessoa que estivesse na “linha de partida”, contudo, ela ganhou a vitória em circunstâncias desfavoráveis. E, suficientemente demonstrou a verdade simples, na qual os chineses costumam dizer: “Onde cair, levante-se”! Aliás, o princípio é sempre assim: quanto mais simples, mais profundo, e também é mais difícil chegar lá.

Ainda me recordo de uma cena semelhante quando o meu filho tinha apenas três anos. Ele começou a correr quando viu o seu pai na janela.

– “Não corras filho! Vais cair!” – gritei atrás dele.

Drasticamente, ele caiu no chão e chorou alto.

-“Levanta-te sozinho! Homem não chora!” – repeti sem o ajudar.

Obviamente, o meu marido ficou mesmo furioso pela minha indiferença e crueldade. Na realidade, como mãe, também me doía muito o coração, sobretudo quando vi o seu olhar inocente. O que eu queria era que ele fosse mais forte, em vez de um menino mimado. Honestamente, este tipo de exigência para uma criança, representava uma maneira de educar os filhos, tal como a nossa própria geração na China. Aos olhos dos ocidentais, é exigente demais, não é?!

Imaginem, se fôssemos a Ma Xiaohui , poderíamos ter a mesma atitude, ou simplesmente ficávamos no gelo a chorar?! De facto, no momento de levantar-se, ela realmente já era uma vencedora. E, quando ela continuou a correr em vez de desistir, a imagem dela mostrou que esse era o espírito real e a verdadeira força do desporto.

Inevitavelmente, toda a gente talvez tenha a probabilidade de cair no caminho da vida, mas não são todos os que possuem o potencial para ultrapassarem o obstáculo. O importante é que não tenham medo de cair e, é preciso terem a persistência e a coragem para continuarem a andar. Indiscutivelmente,  a pequena Ma Xiaohui deixou-nos uma sensação de bom exemplo.

Um ditado chinês diz assim: “A seta lançada nunca volta para trás”. E a nossa vida ?! Exatamente igual, é sempre para a frente! Viver é a única coisa que não dá para deixar para depois!

 

Foto: pesquisa Web

 01mar21

 

 

 

 

 

Partilhe:

4 Comments

  1. acaldevilla@gmail.com

    Sempre a encantar com lindas e inspiradoras das histórias de vida.
    Parabéns Querida professora.

  2. Ana Pereira

    PARABÉNS pelas palavras tão inspiradoras, principalmente nos dias que vivemos. Como sempre uma escrita leve e doce, mas repleta de conteúdo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.