Menu Fechar

Museu Nacional Soares dos Reis e Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar mostram “Ciclo da Vida”

A partir da alegoria “Quatro Estações”, uma série de quatro telas do século XVII, o Museu Nacional Soares dos Reis e o Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS) oferecem a exposição de pintura “Ciclo da Vida”.

Procurando estabelecer uma relação com as diferentes fases da vida do Ser Humano, a mostra pode ser visitada até 7 de janeiro. “A exposição permitirá explorar algumas das pistas deixadas pelos organizadores de Ciclo da Vida ao encabeçar as quatro estações por pintores do século XVII-XVIII da Escola italiana, como Vivaldi fez, magistralmente, com a música”, garante Manuel Sobrinho Simões, que assina o texto de abertura. O médico e investigador reconhece ainda que “num segundo plano, somos desafiados a procurar compreender de onde vimos e para onde vamos”.

No Museu Soares dos Reis, as telas são confrontadas com um conjunto de oito retratos, com assinatura de Marques de Oliveira, dos irmãos Carlos Alberto e José Júlio de Sousa Pinto, João Augusto Ribeiro e de José Alberto Nunes.

Nas palavras de José da Costa Reis, conservador do Museu, “nesta série [Quatro Estações] encontramos, debaixo de um teatralismo galante, a fantasia de mãos dadas com o retrato de corte, dentro de uma sensibilidade artística tipicamente Barroca, embora também possível no anterior Maneirismo”.

“Ciclo da Vida” assinala o lançamento de Outros Lugares, o programa de itinerâncias a que o Museu Soares dos Reis quer levar as suas coleções. “O objetivo é afirmar o Museu como uma marca fora do seu espaço formal, envolvendo curadorias próprias, tendo em conta as especificidades dos parceiros, o local de apresentação e os contextos em que tal acontece”, adianta a instituição.

Para o ICBAS, a exposição “marca o arranque de uma série de iniciativas que visam exaltar o papel que as várias expressões artísticas têm” na sua história, permitindo, igualmente, “afirmar-se como um centro cultural das ciências da vida e da saúde, contribuindo diretamente para a dinâmica da agenda cultural da cidade do Porto”.

Nos dias 11 e 23 de novembro, há visitas orientadas pelos comissários executivos.

 

Texto e foto: Porto. / Etc e Tal jornal

 

01nov21

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.