Menu Fechar

Autarcas com a gestão da STCP queixam-se do “avultado investimento” para a manutenção e melhoria do serviço

Os presidentes de câmara e autarcas dos seis municípios que assumiram a gestão intermunicipal da STCP reuniram na tarde do passado dia 15 de novembro, na Câmara do Porto, para o primeiro encontro presencial. Encontro, em que se avaliou o desempenho do novo modelo municipalizado da STCP, e no qual participou também o conselho de administração da empresa pública de transportes.

Rui Moreira, presidente da Câmara do Porto, foi o anfitrião da primeira reunião presencial da Unidade Técnica de Coordenação – UTC da STCP, organismo constituído pelos seis municípios onde a rede de transportes opera e a Área Metropolitana do Porto (AMP).

A reunião, a que presidiu o Município do Porto enquanto acionista maioritário da empresa de transportes pública (53,69%), teve como objetivos fazer um balanço sobre os primeiros dez meses de gestão intermunicipalizada da STCP, bem como avaliar a coordenação do exercício dos poderes delegados enquanto nova Autoridade de Transportes.

Além de Rui Moreira, que se fez acompanhar pela vereadora com o pelouro dos Transportes, Cristina Pimentel, participaram na reunião, que decorreu na Sala D. Maria, o presidente da Câmara de Vila Nova de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, a presidente da Câmara de Matosinhos, Luísa Salgueiro, o presidente da Câmara de Valongo, José Manuel Ribeiro, o vice-presidente da Câmara de Gondomar, Luís Araújo, o primeiro-secretário da AMP, Mário Rui Soares, bem como o conselho de administração da STCP, presidido por Manuel Queiró, e ainda a CFO da empresa, Isabel Botelho Moniz.

A UTC foi constituída em março de 2019, data em que foi celebrado o contrato interadministrativo de delegação e partilha de competências da exploração do serviço público de transporte de passageiros operado pela STCP, entre a Área Metropolitana do Porto (AMP) e os municípios do Porto, Vila Nova de Gaia, Matosinhos, Maia, Gondomar e Valongo.

No entanto, só entrou efetivamente em funções a 1 janeiro de 2021, altura em que a intermunicipalização da STCP avançou após um longo processo de reivindicação dos autarcas junto do Governo para a transferência de competências nesta matéria, e que, ainda assim, não livra os municípios de assumirem um investimento avultado para a manutenção e melhoria do serviço da STCP, que é a operadora de transportes exclusiva da cidade do Porto.

O novo modelo de gestão intermunicipal da STCP visa a elevação dos atuais patamares de eficiência e sustentabilidade no desenvolvimento do serviço público de transporte de passageiros, ao nível da universalidade do acesso e da qualidade dos serviços, da coesão económica, social e territorial, do desenvolvimento equilibrado do setor dos transportes e da articulação intermodal.

 

Texto: Porto. / Etc e Tal jornal

Foto: Filipa Brito (Porto.)

 

01dez21

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.