Menu Fechar

Porque Não Existe Nenhuma Árvore na “Cidade Proibida”?!

Weihua Tang

 

É sabido que a China é uma das quatro civilizações mais antigas do mundo. A única diferença dos outros países é que os cinco mil anos de história nunca foram quebrados. Por isso mesmo, chamamos aos chineses de ‘Descendentes do Dragão’. 

Além de ser conhecida como a ‘pérola do Oriente’, a China realmente possui uma riqueza enorme de cultura e, permanece misteriosa, não só para os estrangeiros, mas também para os chineses. Em 1987, cinco grandes palácios mundiais foram escolhidos como património cultural pela UNESCO, entre eles o ‘Palácio Antigo’ da China. Uma vez que era chamado a ‘Cidade Proibida’, este ficou em primeiro lugar por causa do seu maior complexo de palácios de madeira e do seu design ímpar. Este edifício extraordinário foi construído em 1406, na Dinastia Ming e concluído em 1420, na Dinastia Qing.

 Seja como for, apresenta um fenómeno misterioso dentro do palácio: não existe nenhuma árvore! Sabem porquê?! 

O palácio divide-se em duas partes, as quais são a corte imperial e os quartos traseiros. A parte frontal que fica no centro da cidade, é o escritório do imperador, onde são realizadas as grandes cerimónias. O motivo de não ter nenhuma árvore é para sobressair a majestade do poder imperial. Desde a Praça de Tian’an Men até ao portão final, não há nem um sinal de uma árvore em todos os pátios. Entretanto, o relance da praça espaçosa e do salão imponente, aumentava o estresse mental dos ministros, enquanto passavam pelo corredor imperial.

Além disso, psicologicamente, podia causar o temor invisível perante o poder do imperador. Se plantassem as árvores, verdes agradáveis juntamente com os cantos dos pássaros iam estragar a atmosfera majestosa. 

Na parte traseira, ficam os palácios particulares onde vive o imperador e as concubinas. Pelas várias razões, vamos ver o porquê da inexistência de árvores. Pela perspetiva geográfica, o palácio situa-se no norte da China, onde está muito frio no inverno. Por isso, ao invés de plantarem árvores, as habitações em grande densidade /baixa altura podiam manter o ambiente bem quentinho. Essa arquitetura maravilhosa no século XV revelou a sabedoria e a sagacidade do povo chinês. 

Pela perspetiva da segurança do imperador, não era adequado plantar árvores. Todos os palácios eram feitos em madeira. As árvores poderiam espalhar o fogo incontornável caso houvesse um incêndio. 

Contudo, o imperador era supremo na China antiga. Porém, sempre havia a possibilidade de assassinatos. E as árvores poderiam facilitar para os assassinos se esconderem. Portanto, não era permitido plantar árvores. 

Por último, pelas características de construção, os salões foram feitos em estilo de “layout do pátio”(Sì Hé Yuàn). Ou seja, a aparência parece um grande quadrado, como se fosse uma “boca” (Kou). Conforme a estrutura da língua chinesa, se plantassem as árvores (Mù) dentro, já poderia formar outro caracter chinês (Kùn), o qual significa ‘preso’. 

Segundo o raciocínio chinês, seria uma proibição gravíssima, enquanto o imperador estivesse ‘preso’.

Pois, faz sentido, não faz?!

 

 

01set22

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.