Menu Fechar

As tretas da Troika

 

Maria de Lourdes dos Anjos

 

 

Quem falou em eleições? Que raio de treta é essa?! E a troika?

Em tempo de vacas tuberculosas, porque raio íamos gastar uma pipa de massa em eleições?

Não estão bem assim, seus papalvos? Eleições para quê? Este povo ignorante não percebepatabina de engenharias financeiras, nem de métodos de Hont, nem  de ratings e para por outra vez os nossos compadres na gamela, não vale a pena.

Este povão acaba por se calar… caladinho, fica mudo e calado! Mamar por mamar, mamam estes que são mais novos e um bocado mais tapados das vistas. Ainda não pensam nos netinhos, querem umas bombas boas e uma garinas com curvas onde os pneus chiem.

Que se lixem as eleições!

 

 

 

Estamos de tanga pessoal! Está calor pra caraças e é tempo de ver as catraias descascadas. É cada lasca! Os olhinhos também comem, se comem (!), e fica-se consoladinho de ver tanta coisa boa. Também não percebo como é que, pais e maridos e irmões, deixam andar o material tão solta, assim tudo ao léu…à solta, tão à solta…um tipo não é de ferro !

Depois admiram-se do outro chamar manso ao tio do Xico.

São mansos, ai são, são!

É pá, lembrei-me, agora mesmo, que não há cheta de subsídio pró pessoal Que porcaria …da-se!”

 

Nunca me passou pela tola chegar a esta situação. Tirar ao pagode os seus direitos, direitos adquiridos, porra!

Só queria ser da administração  duma empresa dessas que são exceção, e que pagam muitoguito aos que mandam na gamela. Olha, como a RTP que convém estar bem controladinha por causa das pulgas.

Que falem da bola, do Rounaldo e do menino feito por inseminação em vacas selecionadas, como os vitelos de raça , das tipas boas do Papa, da fruta tropical dos árbitros que passem muitos, muitos telenovelos  para entreter as cotas, mais quatro milhões de Fernando ponto come e arrota no final da tarde, mais uns concertos de verão com ervas para a canalhada e, de resto, Bico aite, ó tu!

 

Deixem o Coelhito descansado a pastar nas Relvas, o Duarte a limar as unhas, o Silva consoladinho a fazer contas às suas poupanças com a Maria e os meninos recém servidores da pátria, a lavar o baixo ventre na piscina dos resorts.

É pá já chega de falar do parque escolar, que até foi uma festa para  a arquitetura, para a engenharia e para a trolhice em geral, dos estádios onde as ratazanas jogam a bola com as toupeiras, das estradas com duas e três faixas às moscas, do diabo do Fique Forte ou lá como se diz, do maldito cidadão inglês ou do Socras, coitado que cheio de vergonha por causa desses mintiras, foi prás obras pra Paris de França…inmigrou, coitado do homezinho!

 

Estamos de férias, por isso, não se esqueçam de dar corda aos vitorinos, em vez de perder tempo a ler e ouvir mintirosos que só vos querem mal.

Não sejam piegas!,

Parem de andar com o martelo na mão à procura de sítios para dar marteladas.

Não pensem pagar com o corpo as dívidas que se consolaram a fazer, porque depois ficam mais magros e cansadinhos!

Mostrem aos vizinhos que ainda são gente fina e com posses, muito diferentes dessa gentalha falida e… partam para férias.

O Algarve espera-vos para, pelo menos, darem banho ao cão!.

Com um nobre e leal abraço da Lourdes dos Anjos

 

 

SAUDADE E CINZA

 

Neste Porto de saudade e cinza.

Neste Porto de rio e mar que resiste

Nos caprichos deste céu enevoado
Neste granito enegrecido e cinzelado
Há vida renascida e alma e mais Porto.

E na névoa que chega sem data marcada
E na voz corajosa que acorda o pregão
E até naquela rua vazia, despovoada
Da primeira casa até à derradeira
Ainda mora a pureza da alma tripeira.

No céu do Porto, vagueia o nosso sotaque
Que, heroico, resiste a ser asfixiado
Pelas mãos assassinas do poder enlameado
E a cidade luta e resiste entre rio e mar
E há um sol de esperança que abraça o luar.

E há cinzas acesas na cinza das pedras
E paredes solitárias que contam estórias
E vidas e mágoas e canções e memórias
E risadas incontidas e lágrimas sentidas
E há uma cidade… e há mais e mais Porto

 

 

Em agosto, a sementeira da poesia é menor, mas nem por isso menos gratificante.

Vou andar por aí:

 

 

02ago12 – IGREJA DE PARAMOS (Espinho), às 21horas, para acompanhar o tenor SÉRGIO MARTINS e um dos seus coros.

 

03ago12- ACAPO– Associação de Cegos e Amblíopes de Portugal, à rua do Bonfim (Porto), pelas 21 horas.

 

10ago12- PARALELO 38, Furadouro (Ovar) – 22horas

 

18ago12 – GALERIA VIEIRA PORTUENSE – Largo dos Lóios-17h

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.