Menu Fechar

Fala-se, fala-se… fala-se!

 

Maria Lourdes dos Anjos

 

Fala-se de crise. Fala-se em contenção de despesas. Fala-se da senhora alemã que é agiota e domina as finanças. Fala-se, fala-se, fala-se.

Nasci na crise e cresci na crise. Aprendi a viver com o que tenho e não com o que queria ou gostava de ter. Sempre me disseram que para ter direitos tinha que cumprir com as minhas obrigações. Quase velha e cansada, desiludida e envergonhada com tudo o que vejo à minha volta, concluo que, se calhar, fui mal-educada.

Devia saber armar-me ao pingarelho e fazer de conta que era rica, pedir emprestado, não pagar e ser feliz.

Mas, apesar de tudo, estou muito bem comigo  por nunca ter esquecido a moral e os bons costumes que no berço me deram.

 

 

 

Claro que ainda transpiro de raiva com estes ladrões que tomaram o poder já lá vão mais ou menos 30 anos e que rolam e rolam e rolam e enriquecem e gozam de fininho com quem é política e financeiramente analfabeto.

Claro que continuo a minha luta renhida para acordar os mais frágeis e distraídos. Claro que ando por aí a fazer papel de mal aparafusada da mona, lendo, partilhando e malhando, malhando, malhando.

Quando todos sentimos o garrote sobre o pescoço, porque continuam a alimentar estas “aberrações”?

Ora digam lá se isto tem jeito, expliquem-me porque estou a ficar muito loira:

 

Como é a Tropa portuguesa?

O Comando Militar:

Os generais, por definição, comandam unidades. Brigadas, Divisões, Corpos de Exército e Exércitos.
5 tropas  -> 1 cabo.

10 tropas + 2 cabos -> 1 sargento.
40 tropas + 8 cabos + 4 sargentos -> 1 Alferes.

200 tropas + 40 cabos + 20 sargentos + 5 Alferes ->1 capitão.

1.000 tropas + 200 cabos + 100 sargentos + 25 Alferes + 5 capitães -> 1 tenente coronel.

8.000 tropas + 1.600 cabos + 800 sargentos + 200 alferes + 40 capitães + 8 tenentes coronéis e General de Brigada.

Somando toda a linha de cima, cada General tem abaixo de si 10.648 homens.

As Forças Armadas portugueses têm menos de 64 mil efetivos, logo, deveriam ter, aproximadamente, seis generais! Mas, pasme-se, têm 123 (cento e vinte e três) e pagam pensões brutais a um sem-número deles, que se aposentaram nos últimos 25 anos.

Em dois “pequeno” e “pouco desenvolvidos” países – Canadá e Alemanha – as Forças Armadas contam com um general de quatro estrelas, cada. Em Portugal há quatro generais de quatro estrelas?

Assim o Estado vai penalizando os que menos têm! E os comentadores dizem e falam, mas vão escondendo e esquecendo os senhores das fardas com estrelas que aparecem ao lado dos chefes do bando em dia de festa.

E os agentes que dão o corpo ao manifesto nas ruas , nos bairros problemáticos e até na segurança das casas dos senhores grandes em “tamanhura” de vencimentos, perdem ordenado, regalias e vontade de cumprir o seu dever. Que liberdade é esta? Que nome tem este reino?

 

Depois vem toda a procissão de abades e anjinhos … o bombo da festa é este povo que quer ter carros e casas e férias e roupas de marca XPTO, e ir à marisqueira ao fim de semana, ao ginásio ao fim do dia, e estar cheio de dívidas ao meio do mês.

E os tropilhas de carreira sobem e descansam no terraço dos quartéis e os deputados brincam no Facebook em S..Bento, e os politiqueiros compram bancos e poltronas e o desemprego aumenta e as pequenas empresas não recebem o que o próprio Estado lhes deve, mas são obrigadas a apresentar uma declaração das finanças dizendo que têm os impostos em dia para poderem concorrer a mais trabalho do estado.

 

Claro que malho nesta cambada que se governa e depois se pira para outros cargos no estrangeiro, e querem regressar para se candidatarem a uma presidência qualquer, onde “não ganham para as despesas”. Coitaditos… temos pena!

Razão tem o dr.Rui Rio, quando diz que para ser presidente do PSD  ou se candidatar à cadeira de Belém, tem de habitar os túneis lisboetas. Fez-se Luz mais uma vez com estas declarações. Só não se grita: “Morte ao Norte!”, porque a guita é, aqui que se produz, e é aqui que se ganha  para sustentar tantos burros a pão de ló.

E se fizer uma campanha com altas patentes das forças desarmadas, será que não vence? A mim , não me convence de certeza, mas tente, tente !

 

Olhem amigos, sabem que mais, aprecio , ainda aprecio dois políticos que nunca trocaram de ideologia e lutaram por tudo em que acreditaram : Álvaro Cunhal e Adriano Moreira. Os outros são troca-tintas coloridos e perfumados, viajados e sábios na arte de bem enganar qualquer morcão.

Já agora, cantemos juntos uma qualquer canção de Zeca Afonso que foi vaiado em Grândola, espezinhado em Lisboa, esquecido por todas as esquerdas, mas mantém viva a voz dum povo nobre e leal que precisa crescer e aparecer e mostrar ao mundo que há uma alma lusitana que é imortal e invencível…mesmo lutando com  submarinos usados e canhões apodrecidos.

Fala-se de uma geração bem preparada que tem de partir, fala-se , fala-se, fala-se mas ainda se vai cumprir Portugal!

 

 

ESTOU FARTA!

 

 

Estou farta !

Falam de verdade, 

de sucesso e liberdade.

Falam de paz,

de amor e democracia.

Falam de futuro, 

de progresso, de cultura 

e até de justiça social…

Falam de sonho.

Falam de esperança

e prometem um novo Portugal !

Estou farta!

Só vejo mentira,

fracasso, prisões…

Vejo guerra e ódio.

Nesta democracia, 

vejo um país repleto

de cautelas de penhor 

e casas de tia!

Estou farta!

De ver os velhos mais velhos

e os jovens agrilhoados

às drogas que injetam 

e os tornam castrados

E por me achar cheia de razão

rejeito tanta merda que ma dão!

Rejeito esta justiça 

e esta cultura, 

o novo riquismo

 e a corrupção.

Rejeito a miséria 

coberta de cetim

e quase me rejeito a mim!

E porque fui traída e humilhada

me sinto só e enganada,

mando a política pró raio que a parta

porque estou farta!

 

(10 de junho de 1993)

 

 

Em Outubro a Poesia vai andar comigo por estes caminhos:

 

DIA 03-Casa da Beira Alta, rua de Santa Catarina (Porto) -18h00

DIA 05-Baião -AJA Norte-21h30

DIA 06-Casa da cultura de Paranhos (Porto)-16h00

DIA 06-Centro Recreativo de Mafamude-21h30

DIA 12-Paralelo 38 (Ovar) -22h00

DIA 13-Estudos  Brasileiros-16h00

DIA 14-Escola Dramática e Musical de Valbom -17h00

DIA 19-Flor de Infesta-21h30

DIA 20-Galeria Vieira Portuense-Largo dos Lóios (Porto) -17h00

DIA 26-Associação de Pais da Senhora da Hora-21h30

DIA 27-Universidade Sénior de Gondomar-21h30

DIA 31-Junta de Freguesia de Lordelo do Ouro -15h00

Partilhe:

6 Comments

  1. Lourdes dos Anjos

    muito obrigada a todos pelos vossos comentários, é sinal que tiveram algum tempo para ler o que escrevo ; especialmente para a Maria de Fátima do Barreiro QUE DIZ QUE ME ESQUECI DO CABO,DO SOLDADO E DO SARGENTO, PASSO A TRANSCREVER UM OU DOIS DOS PARÁGRAFOS: Assim o Estado vai penalizando os que menos têm! E os comentadores dizem e falam, mas vão escondendo e esquecendo os senhores das fardas com estrelas que aparecem ao lado dos chefes do bando em dia de festa.

    E os agentes que dão o corpo ao manifesto nas ruas , nos bairros problemáticos e até na segurança das casas dos senhores grandes em “tamanhura” de vencimentos, perdem ordenado, regalias e vontade de cumprir o seu dever. Que liberdade é esta? Que nome tem este reino?

  2. Waltermr Rodrigues

    Parabéns querida Maria Lourdes dos Anjos, Grandes versos bem arregimentados que mostram em poucas linhas um pensamento singular,
    És de um talento raro, Estimo muito este estilo de escrita, bem
    revelador e e firme, As palavras bem direcionadas mostram Uma grande vontade de contemplar dias sempre melhores,e grandes mudanças para o bem de todos, é lindo sem duvidas.
    parebenizo vossa digna pessoa por tão belo escrito.

    Do seu fã Brasileiro.

    Waltermir Rodrigues.

  3. José Gonçalves

    Os militares são, normalmente, os maus da fita, mas quando cai o “Carmo e a Trindade” a eles recorrem. Está certo que á desigualdades, concordo, mas nem todos são generais! A senhora devia também ter em consideração que nem todos têm as mordomias que levantou. Ao não levantar o resto substancial da questão, esqueceu-se do essencial… do soldado, do cabo e do sargento.
    A senhora escreve lindamente. O seu poema é de todo formidável. Mas ao escrever em prosa não se esqueça de certos factos… dos outros factos.
    A senhora deve ter um coração aberto e tão aberto quanto revoltado. Compreendo.

    Maria de Fátima – Barreiro

  4. carlos monteiro

    É pena que o título de “Fala-se…” não alerte de imediato os tleitores para o interesse do artigo que escreveu. Tem razão em certas coisas que escreve acerca dos militares, mas a instituição não se circunscreve aos mesmos.Há gente que é militar e passa por dificuldades. E ser militar não é uma brincadeira qualquer. Deixem-nos respirar e logo verão!
    Escrever só sobre generais não chegua. Fale do resto cara senhora e não denigra a classe seja ele do Exército, Marinha e Força Aérea.

    Carlos Monteiro – Lisboa

  5. José M Tavares Rebelo

    Força, Maria de Lourdes!
    Que a a sua voz seja sempre uma arma em prol da justiça e da generosidade para com tantos que sofrem por este Portugal desgovernado.
    Um abraço
    JMTR

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.