Menu Fechar

Memorável animal

Benigno de Sousa

Definir animal como ser vivo que tem sensibilidade e movimento próprio com estímulos e instintos. Portanto, animal é Ser que anima; alma em potencia e ato. E quero lembrar maravilhoso animal que amei! Pelas 23 horas do dia 22 de Novembro em 1999, dormia no sofá frente à televisão. Acordei. Nesse momento vi um animal envolto num cobertor ao colo da ex-companheira, tivera a impressão que era um peluche: os seus olhos pareciam berlindes.

Na cabeça lhe toquei e logo reagiu saltando para mim. E de seguida ouvi: – “É uma cadelinha!” Nesse instante disse: – “Anda Margarida!” Estava neste mundo há dois meses e daqui encetei  todo um processo educacional como se estivesse ensinando filha. Sim! Aperfilhei a canídea Margarida!

“Canis lupus familiaris” é quadrupede da família dos canídeos. Acredita-se que o cão descende do lobo asiático que foi domesticado há 10.000 anos e é provavelmente o mais antigo animal domesticado. Existem mais de 400 raças de cães classificadas em grupos e categorias. Excelente olfato e audição aprendem rápido e interpretam pedidos e comportamentos do homem.

Com expetativa de vida que varia entre dez e vinte anos é muito social que, na maioria das vezes, aceita o seu dono como “chefe da matilha”; possui várias características, que o tornam de grande utilidade.

Diferentes, do que algumas pessoas pensam, não têm a visão em preto e branco mas a visão dicromática (diferente do ser humano que tem visão tricromática). Distinguem amarelo, azul, branco e preto. Porém, as cores verdes, rosa e laranja veem-nas branco e preto. Margarida era raça shih-tzu!

cadelinha - 01

Evidentemente, se quiserem adotar um cão deverão refletir a problemática: aumenta fazeres e os cuidados a ter com esta espécie animal; ensinar que necessidades fisiológicas se deverão fazer na rua, de preferência à mesma hora. Deverão caminhar bastante para o animal conhecer o local. Vive exclusivamente de amor. Está sempre pronto para obedecer ao seu dono oferecendo docilidade, afetividade, necessita de mútua confiança, estar bem alimentado, elogios do seu amigo/a para se sentir feliz.

Quando pequenos são engraçados e todos lhes querem tocar. Em casa é alegria; depois chegam à idade adulta e já não há tempo para eles. Então abandonam-nos. Monstros amarram ao para-choques dos automóveis e os arrastam pela estrada até ficarem esfolados. Outros atiram da falésia com uma pedra amarrada ao pescoço. Só patifes são capazes a tal! Ainda dizem que puta não tem filho, mas por aí anda tanto filho da puta!

cadelinha - 02

Há várias interrogações acerca da linguagem, se compreendem a nossa, como também se raciocinam ou se têm alma. Sim! Diz a minha experiência que a Margarida comunicava, raciocinava e possuía alma!  Queria sair ao seu passeio higiénico e mostrava seu frenesim com latidos aflitos! Mas se não queria ir por algum caminho, indicava para onde queria; e eu fazia-lhe a vontade. Até ao primeiro ano de idade ensinei-lhe sem trela caminhar só à minha voz: atravessava a rua na passadeira.

Possuía alma!

Os mamíferos são notáveis na sua afetividade, como o cão, manifestam grande sensibilidade no seu devotamento. A Margarida não traía nem era hipócrita, ao contrário dos humanos. Eu chegava em casa angustiado pela crueldade, injustiça, política grotesca e degradação social; a ela desabafava horripilante humanidade! A “minha “menina”, vendo-me revoltado, animava-me com lambidelas!

Adeus Margarida!

cadelinha - 03

Até que o dia do adeus chegou! Fluido magnético onde se mesclam cóleras e paixões. Essa alma envolve reclamando dor, formam tempestades e terrores elétricos, desencadeia catástrofes, uivos noturnos em desespero, e ninguém lhe sente o peso: é morte! Aconteceu no dia 22 de Abril de 2015. Ajoelhei-me para me despedir do Ser mais puro que conheci! Dos meus olhos as lágrimas como rio; senti-me impotente por não poder travar o cenário da morte!

Estava serena como estivesse dizendo: “ Quando a tua chegar, concebe-a como destino”.

A canídea Margarida morreu!

E na vida eu fiquei com saudades da princesinha que jamais esquecerei!

Fotos: Benigno de Sousa

16jun15

 

 

 

 

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.