Menu Fechar

Praias

José Gonçalves

Dia quatro de outubro vamos a eleições. Eleições importantes para o futuro do País, independentemente, da lengalenga das campanhas na praia – que Cavaco Silva não queria, mas vai ter… já as tem, e até, com muitas bolas de Berlim à mistura! -, ou, após mergulho refrescante, num rio ou piscina qualquer, que, esse ato ajude os portugueses a refletirem sobre o dia de amanhã.

Espera-se, em boa verdade, que esta campanha não seja de lengalenga, que é como quem quer dizer, que seja, de uma vez por todas, esclarecedora, que não engane os portugueses. Que seja séria!

Já se sabe que por aí vêm apitos, aventais, t-shirts, rebuçados, porta-chaves, almoçaradas e jantaradas… muito pimba, muito bailarico! É da época! E muita areia a mais para a “camioneta” de alguns. Tenha paciência senhor Cavaco! A campanha já está na praia! Errou no calendário!

Não só errou no calendário, como parece não conhecer os políticos e os portugueses. Aliás, o senhor Cavaco não conhece os portugueses há muitos anos. Conhece alguns e só os que lhe interessa. Mas, até esses vão estar na praia.

Passos Coelho, por exemplo, escolheu a melhor: Manta Rota. A manta em que deixou o país. Ou seja, o nome da praia diz tudo.

Como diz tudo, ainda que o género possa ser alterado, o nome da praia onde Cavaco Silva vai dar uns mergulhos é: Praia da Coelha.

Já, Paulo Portas, o “irrevogável”, estará em “praia inserta”, ou seja, talvez numa em que lhe dê a hipótese para reparar um certo e determinado submarino, “mergulhado” em águas profundas – com uns milhões às costas e nas costas – para depois emergir em areias de Manta Rota.


praias

O socialista António Costa vai estar a trabalhar, mas, por certo, também irá à praia. Não se sabe ao certo qual, mas se calhar, a de Porto Seguro, na Bahia. Será?

Ah! “Seguro”?! Não! Talvez a Praia da Baleia, que é o que ele terá de digerir se perder as eleições. A baleia!

Jerónimo de Sousa vai tranquilo para o Sul, com certeza para o seu Alentejo. Há muitas praias para o camarada comunista. Não se sabe ao certo qual a sua, mas que tal a de Sines, e aí retomar a ideia do tal TGV (mercadorias e não só) rumo a Espanha, com bitola europeia? Tudo com contas em escudos, porque com escudos, diz defender o País das tempestades capitalistas .

Por seu turno a bloquista, Catarina Martins, não irá à praia. Poderia, é certo, e como mulher do Porto que é, ir à do Molhe ou à do Leme. Bola de Nivea não, porque o esférico não está nacionalizado.

Mas, não, a Catarina vai estar com “família cá dentro”. Onde? Não se sabe muito bem, ou melhor, não se sabe. O que se sabe é que família antiga é menos numerosa que a atual… é Livre é Agir é…o que é! Se segurar o “Leme” pode ser que não “morra” na praia!

Brincando, sem ofender, o importante é que, os portugueses que não acreditam em mentirosos, votem no dia 04 de outubro. Pela democracia. Por Portugal. Pelo futuro dos nossos filhos. Por todos nós que somos Gente, ainda que desempregada, à míngua, sem qualquer tipo de apoios sociais, no limiar da pobreza… com dificuldades (muitas) mas sem deixar (nunca!) de ser Gente.

Foto: Pesquisa Google

01ago15

Partilhe:

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.