Menu Fechar

Maria… a “Belém”

José Gonçalves

Maria de Belém Roseira anunciou, formalmente, no passado dia 17 de agosto, a sua candidatura à Presidência da República, para satisfação de milhares e milhares de portugueses, que se revêm numa Mulher de consensos, de convicções, humanista, conhecida do povo e com provas dadas na política, quanto mais não seja no exercício da pasta da Saúde, entre 1985 e 1992.

maria de belem roseira - presidente

Belém caminha para Belém já com o apoio do histórico e “peso-pesado” do PS, Manuel Alegre. Mas, mais apoios surgirão, por certo, nos próximos dias, e não só oriundos do Partido (socialista) do qual foi presidente de 2011 a 2014, e que durante esse espaço de tempo soube “controlar” as diversas fações internas (“seguristas”, “socristas”, “costistas”, “soaristas” e por aí fora), num período politicamente complicado.

manuel alegre

As reações à candidatura de Belém a Belém não se fizeram esperar. Com Sampaio da Nóvoa já no terreno, contando ele com o apoio de outros “pesos-pesados” (leia-se os dos ex-presidentes da República, Ramalho Eanes, Mário Soares e Jorge Sampaio) os diversos “posicionamentos” no interior do PS (que já não são de agora… tem histórico!) e logo em tempo de campanha eleitoral para as “Legislativas”, foram ao rubro.

Considerada, por alguns, a sua candidatura de “divisionista”(?), ou, pior ainda, de uma “mulher que não fez nada na vida, nem na política” – infelizes palavras de um outro candidato à Presidência da República também ele “socialista”, Henrique Neto” – Maria de Belém Roseira sabe que terá de enfrentar, ,a seu tempo, estes jogos (alguns sujos) de bastidores. Mas, com certeza, que com a força e a coragem que a caracteriza, Ela os debelará sem grandes dificuldades, até porque o eleitorado da esquerda – e não só o feminino e do PS – está, como estará, em grande percentagem, ao seu lado.

Para além destas guerrilhas internas, a ex-ministra da Saúde (popularmente assim conhecida, porque fez um excelente trabalho nesse setor) terá ainda pela frente o facto de uma parte considerável dos portugueses considerar que o Palácio de Belém é reservado a Homens e só a homens! Pois!

O atual, porém, não foi, e não é, de todo, um bom exemplo. Cavaco revelou-se, como ainda se revela, sectário, demagogo, arrogante e conivente, por mentor, com a política de austeridade do atual governo: um Presidente de alguns portugueses.

antonio costa - 01set15

Será que Maria de Belém Roseira terá o apoio oficial do PS? Para responder a esta pergunta poderia recorrer ao baralho (viciado) de cartas Tarot, do comentador da SIC, Luís Marques Mendes, mas, sem os dotes do “cartomante”, prefiro dizer que Belém não precisa de apoio oficial do PS… já o tem nas bases.

António Costa, entretanto, está a braços com um problema bicudo, até porque já apaparicou a candidatura de Sampaio da Nóvoa, e, dependendo dos resultados eleitorais do próximo dia 04 de outubro, terá de dar a conhecer o apoio do PS a um(a) candidato(a). Tarefa nada fácil, e que mais difícil se tornará se perder as eleições. A coisa, para já, está preta!

sampaio da novoa

Em boa verdade, Roseira não necessita de fazer uma campanha para se dar a conhecer. Ela é conhecida por muitos e bons motivos. Não tem rabos-de-palha, é simpática, honesta, trabalhadora, consensual, humanista … uma mulher “falsamente frágil”, como o disse Manuel Alegre.

Quanto ao confronto direto com os candidatos da direita – não serão tão poucos quanto isso – Maria de Belém Roseira, como até Sampaio da Nóvoa, terão uma palavra a dizer. Dessa ala poderão aparecer Marcelo Rebelo de Sousa (eterno candidato a não ser candidato), Rui Rio e Pedro Santana Lopes. Quem avançará?

De acordo com as sondagens só um deles poderia medir forças, numa segunda volta, ora com Maria de Belém Roseira, ou com Sampaio da Nóvoa: Marcelo.

Neste quadro e analisando “popularidades”, a Esquerda teria mais probabilidades de vencer com Maria de Belém, mesmo assim, com ambas as candidaturas, ela (a esquerda) está bem representada. Só que Belém, em meu entender, estaria mais perto da vitória, até porque iria (vai) captar votos ao centro e até ao centro-direita, sendo ela uma mulher de esquerda, mas consensual, isto sem se esquecer das suas convicções, das suas origens, e da sua ideologia.

maria de lourdes pintasilgo

O importante apoio do PCP (que apresenta sempre um candidato à primeira volta) estará, numa segunda “ronda” mais inclinado para Nóvoa, mas, se for Roseira, lá terão os comunistas de comer não um sapo, mas só umas coxinhas do mesmo. Tanto o Bloco, como o Livre também não deixarão, neste caso, de apoiar a candidata.

A tal candidata que é natural do Porto, tem 66 anos, é formada em Direito e conhecida pelo excelente trabalho desenvolvido no ministério da Saúde. É, como Maria de Lourdes Pintasilgo (1986), a única mulher com hipóteses de chegar a Belém, mas desta feita, com um maior leque de apoiantes do centro à esquerda.

Não desviando os holofotes da realidade, o que interessa agora são as Eleições Legislativas de 04 de outubro! Depois falar-se-á (oficialmente) das “Presidenciais” e dos (para já 12) candidatos à corrida a Belém. Uns já começaram a dar certos passos, enquanto outro(a)s estão a fazer exercício de aquecimento; um aquecimento muito importante para uma “maratona” que terá por meta Belém e, por certo, uma Maria na luta pela vitória.

Fotos: Pesquisa Google

01set15

 

Partilhe:

1 Comment

  1. josé lopes

    Compreendo mas não me convence, ainda que numa segunda volta possa vir a ter que engolir quem fechou a maternidade do hospital de Ovar quando era ministra da saúde…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.