Menu Fechar

Perdem-se os valores

Carla Ribeiro

Tatua-se em nós há nascença o peso de uma cidade, e dos valores familiares.

Fica desde essa data um código de barras, cravado em nós, como um registo que nos vai seguir por toda a caminhada da nossa vida.

Esta tatuagem vai acorrentar-nos com um laço, a um pedaço de terra e a uma antropologia familiar.

São os valores e os ensinamentos, com todo o peso de um ancestral familiar, que nos vai transportar num conjunto de antropologias e tradições, quer familiares quer sociais.

A Cidade, que nos transporta, para um conjunto de tradições e de costumes, nesse veículo intemporal, da História, da qual passamos também a fazer parte integrante.

E neste caminho de vida, vão-se perdendo os valores e até alguma da integridade, destruindo-se pedaços da nossa história e da antropologia familiar.

Transmitem-nos valores de família, amizade e verdade, até de respeito, por nós e pelo próximo, que vemos, nos tempos de hoje quase destruir-se.

Lembro-me tantas vezes de ficar á conversa com o meu Amigo de Rua, o nosso saudoso Amigo, a quem com o devido carinho e respeito tantos chamávamos de “Avozinho António”, ele que tanto gostava de ver os jovem a rodeá-lo e contar-lhe histórias da sua vida e lições para apreenderem e fixarem.

Falávamos de Amizade, e no auge e pleno da sua sabedoria, dizia-me ele:

– “ Uma triste realidade menina. A Amizade é como as Putas, mesmo vestidas de Senhoras, serão sempre Putas. As falsas Amizades sempre vêm ao de cima menina, mesmo que vestidas de amigas, quando não passam de cobras…”.

INTERROGAÇÃO

E desta forma, a cada noite este nosso Amigo nos dava uma aprendizagem, um concelho, e muitos sorrisos.

Achava muito engraçado e de uma veracidade enorme, a definição que ele nos dizia sobre Puta.

Perguntava sempre com sabedoria:

– “ Sabem dizer-me quantos tipos de Putas existem?”

E rapidamente dizia, a menina já sabe, não pode responder, pois ao longo de vários anos ele passava este ensinamento aos elementos que de novo integravam a equipa.

O ar de espanto e sem saberem bem o que responder, fazia com que ele prosseguisse:

– “ Temos três tipos de Putas. As Putas, a Puta Senhora e a Senhora Puta. Mas eu explico-vos:

– A Puta, é aquela Mulher, que para alimentar os seus filho e a si mesmo, vende o seu corpo, e presta um serviço, é tantas vezes mal tratada, mas fá-lo pela necessidade para sobreviver;

– A Puta Senhora é aquela mulher que faz sexo com uns e outros, para fazer mais dinheiro, para pagar os seus luxos, e viver acima da média que o seu ordenado permite;

– E chegamos há Senhora Puta, sim essa que gosta de sexo, e que não olha a meios nem a fins para atingir os homens que quer. Essa apenas os usa para ter sexo, pois o que tem com o seu marido, pois por regra são casadas, não lhes chega. São como os viciados, uns necessitam de droga e compram-na, elas querem sexo e são as chamadas “porquinhas”, pois usam os homens apenas para ter sexo, e muitas das vezes usam esses favores sexuais para os ter presos e atingirem objetivos sociais.”

E desta forma tão clara e simples este Senhor, este Homem, mostrava-nos o quanto os valores sociais e antropológicos da nossa sociedade se destroem a cada dia.

Não vou dizer que este flagelo é de hoje, pois vejamos, a mais velha profissão do mundo é a de Puta, mas nessa altura como sobrevivência. Anos mais tarde foi-se mudando a sociedade e as mentalidades e esta fachada mudou e tornou-se num negócio ainda mais rentável.

No meu intender, perderam-se muitos valores, e faz todo o sentido a definição que este nosso saudoso Amigo fazia,

Mas transponhamos então esta sabedoria, para os nossos dias e para a nossa realidade.

Sem qualquer dúvida, estamos rodeados de Putas Senhoras, que não respeitam nada nem ninguém, para atingirem os seus fins, mesmo que isso signifique o desrespeito e a mentira.

Felizmente, temos ainda, laços firmes e saudáveis, a quem eu chamaria de Puta, esses laços francos e verdadeiros que são o balsamo da nossa vida, dos quais podemos esperar respeito e verdade.

Mas onde ficaram afinal os restantes laços, esses que se perdem na nossa sociedade e nas relações interpessoais?

Perderam-se no atropelo do desrespeito e da mentira, onde a mentira dos outros tenta ser uma verdade, na qual tantas vezes nos tentam, fazer viver e acreditar.

Desenganem-se, pois a vida ensina-nos a distinguir o bem do mal, a mentira da verdade, e tantas são as vezes que fazemos acreditar numa mentira, tão-somente para não criarmos uma batalha, pois mais tarde ou mais cedo, e é em regra quando menos se espera, a mentiras desconstrói-se como com castelo feito com um baralho de cartas que com um sopro cai e se desfaz.

A mentira, mesmo que alicerçada e aparentemente bem construída, tarde ou cedo cai e sabe-se a verdade. Como sempre ouvi dizer ao longo da minha vida:

– Uma puta, mesmo que bem vestida e a parecer uma Senhora, jamais deixa de ser puta, é como uma porca, que mesmo lavadinha e bem arranjada, jamais deixa de ser Porca.

E ficaríamos a falar de valores e da nossa antropologia, do nosso ADN, e tanto que poderíamos dizer, mas vou deixar-vos por hoje.

Não corram atrás de ilusões e de inverdades.

Ofereçam uma Flor, quando for um ato de puro Amor e não para se esconderem numa mentira.

Como dizem os ditados:

“Mentira tem perna curta”,

“Não faças a ninguém o que não queres que te façam.”,

“A ambição cerra o coração.”,

“Amigo disfarçado, inimigo dobrado.”,

“Pelas costas dos outros se vêm as nossas.”,

“Tão ladrão é o que vai à horta, como o que fica à porta.”.

Foram apenas alguns provérbios que me lembrei, que são sempre tão verdadeiros.

Sejam felizes, sem atropelos.

CORES-CORAÇÕES

E para quem ainda vai de férias… Boas férias

A todos sem igual,

Obrigada

Até breve com novos “sentir”, novos “amar”…

Namasté

 Fotos: Pesquisa Google

01ago17

Partilhe:

6 Comments

  1. Mary Horta

    Excelente texto e verdadeiro …
    Por mais que se tentem esconder , os falsos sempre se conhecem …
    Beijinhos linda <3

  2. Antonio Dias

    Um texto excelente e que poderia justificar algum debate sobre o tema.
    Mas isso são contas de outro rosário.
    Parabéns!
    Beijinhos

  3. Candida Costa Lameira

    Donna Carla boce tem un don tans grande pour tout que boce faz muito obrigado toudos seus poèmes et pour tout vous travaillez muito beijjinhos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.