Menu Fechar

LOMBA VAI REAPARECENDO NO MAPA DO PORTO! REQUALIFICAÇÃO DE RINGUE DESPORTIVO É A MAIS RECENTE OBRA CAMARÁRIA NO (AINDA DEGRADADO) BAIRRO DA FREGUESIA DO BONFIM…

Um dos bairros mais pitorescos e antigos da cidade do Porto, o da Lomba (freguesia do Bonfim), está a ganhar uma nova e merecida vida. Depois de décadas esquecido pelos executivos da Câmara Municipal do Porto, a verdade é que nos últimos anos foram algumas as intervenções dignas de registo na zona, principalmente no que concerne a obras de melhoramento na Rua de Vera Cruz (pavimento e passeios que não eram arranjados desde os anos 30 do século passado), e, mais recentemente, a requalificação do ringue desportivo e zona contígua, área, agora, gerida pela (dinâmica) associação de moradores da zona.

Rua de Vera Cruz
Rua de Vera Cruz

Este último acontecimento, mereceu a visita, na tarde do passado dia 28 de março, do presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira, acompanhado, por Fernando Paulo, responsável pelo pelouro da Habitação e da Coesão Social, Cristina Pimentel, com a pasta da Mobilidade, Barbosa Pinto, da Domus Social, e do presidente da Junta de Freguesia do Bonfim, José Manuel Carvalho.

camplomba(01)-mar18-fn

camplomba(02)-mar18-fn

camplomba(04)-mar18-fn

O edil entregou as chaves do espaço ao presidente da Associação de Moradores da Lomba (AML), Serafim Faria; espaço esse constituído por um ringue requalificado (novo tapete de relva sintética), uma área para estacionamento de viaturas, e uma zona verde que agora terá acesso restrito, depois de, durante vários anos, ter sido mal frequentada e ser uma ameaça para a segurança das largas centenas de jovens que frequentam o local.

Foram ainda reparados e pintados os muros; substituída a vedação do recinto desportivo; alargada a rampa de acesso ao futuro parque de estacionamento – que tem novo pavimento -, e ainda a revisão da drenagem de águas pluviais.

Opini-José-Fernando_2

José Gonçalves            Fernando Neto

(texto )                           (fotos)

A obra agora inaugurada – na confluência da Rua de Vera Cruz com a Travessa da Lomba-, foi integralmente realizada pela Câmara Municipal do Porto, durou cerca de cinco meses a ser concretizada, e teve um custo de 35 mil euros.

camplomba(05)-mar18-fn

“Este é o bairro mais emblemático do Porto, e tem uma associação de moradores ativa, facto esse que ajudou à concretização desta obra”, começou por dizer Rui Moreira, que salientou este como um “exemplo vivo da pequena remodelação que pode ser feita na cidade, com a participação direta e empenhada dos moradores”. E neste caso, acresce ainda o facto de que “só com o assumir, por parte da Associação de Moradores da Lomba, da responsabilidade em zelar pelo equipamento e pelo espaço envolvente é que esta empreitada foi possível. Esta foi, por assim dizer, uma obra público-privada, entre a Câmara Municipal do Porto e a Associação de Moradores da Lomba”, autarquia que juntamente com a Domus Social assegurou toda esta operação.

Serafim Faria, presidente da AML, aproveitou a ocasião para agradecer a Rui Moreira a obra feita: “Foi uma das promessas que o senhor presidente nos fez. Como não poderia esperar outra coisa, cumpriu-a e deu-nos uma grande alegria”.

Esta operação de requalificação tem a curiosidade de ter nascido à custa da colocação errada de um sinal de trânsito, junto ao recinto intervencionado. Numa visita à área, juntamente com o presidente da Junta de Freguesia do Bonfim, José Manuel Carvalho, para se assegurar do que se estava a passar, Rui Moreira reparou, então, no (péssimo) estado em que se encontrava o recinto (inaugurado em 2003,  com Rui Rio, na altura, a liderar os destinos da cidade, e que, assim, acabou com uma centenária lixeira existente no local), mostrando-se, desde logo, interessado em resolver a questão.

camplomba(08)-mar18-fn

A área, que servirá também de parque de lazer e de estacionamento – útil para os moradores, uma vez que na Rua de Vera Cruz, com a colocação de pins junto aos passeios, não é permitida a paragem de viaturas – é ainda espaço, de excelência, para centenas de jovens praticarem futsal.

Aliás, e no que ao incentivo desportivo diz respeito, a própria Associação de Moradores da Lomba (AML) conta com cerca de meia centena de atletas (todos eles de futsal) divididos por três escalões (infantis, iniciados e juvenis) que participam em campeonatos distritais da responsabilidade da Associação de Futebol do Porto.

Interessante é de referir, que a AML promove, todos os meses, o Dia do Atleta, destinado aos jogadores do escalão infantil, que entre as 09h30 e as 18 horas convivem na associação, aprendendo um pouco sobre trabalho associativo (o que na prática se traduz por arrumar a biblioteca existente no local, etc e tal); a problemática do futsal e depois o lazer, com a realização de jogos de xadrez e de futsal no tal ringue…

Mas, além disso, são largas as dezenas de jovensm e não só mque ao ringue se deslocam para dar uns chutos e conviver com os amigos, facto sempre salutar numa zona que ainda é degradada e de nítidos contrastes sociais.

O Bairro da Lomba

Travessa da Lomba (foto Pedro N. Silva)
Travessa da Lomba (foto Pedro N. Silva – Arquivo EeTj)
Rua da Lomba (foto Pedro N. Silva)
Rua da Lomba (foto Pedro N. Silva – Arquivo EeTj)
Rua da Lomba (foto Pedro N. Silva)
Rua da Lomba (foto Pedro N. Silva – Arquivo EeTj)

O Bairro da Lomba é ainda uma das zonas mais degradadas da freguesia do Bonfim e mesmo da zona oriental do Porto, sendo de destacar o sem-número de “ilhas” lá existentes, parte delas já com casas desabitadas e em degradação.

O quarteirão é delimitado pelas ruas de Pinto Bessa, Padre António Vieira, Heroísmo, António Carneiro e Bonfim, contando no seu seio com seis artérias (Rua da Lomba, Travessa da Lomba, Rua do Lourenço, Rua de Frei Heitor Pinto, Rua de Silva Pereira e Travessa Particular de Vera Cruz), habitando o local cerca de cinco mil pessoas.

A Lomba foi em tempos uma pequena aldeia fora, então, dos limites da cidade do Porto, perto de um outro aglomerado muito conhecido (a sul) na altura e ainda hoje existente, a Formiga, e a poente, do Bom Retiro, hoje também um bairro, mas outrora um lugarejo.

A “revolução industrial” verificada no burgo, e principalmente na zona oriental da cidade, com a instalação de diversas unidades fabris, assim como a chegada do caminho-de-ferro e a construção da estação de Campanhã, fizeram com que muitos trabalhadores se fixassem neste bairro. Por isso ser considerado, até há pouco tempo, um “bairro do operariado”.

A Associação de Moradores da Lomba

associacao moradores lomba - logo

A Associação de Moradores da Lomba foi fundada a 05 de fevereiro de 1977, tem cerca de três centenas de associados e é presidida por Serafim Faria, desenvolvendo as suas atividades em diversas vertentes, com o desporto, o recreio e a cultura a terem papel de destaque.

O desporto concentra dezenas de jovens, enquanto as atividades culturais são desenvolvidas em parceria com outras instituições do Bonfim, todas elas ligadas ao Conselho Cultural da freguesia, da responsabilidade do pelouro da Cultura e Atividades Recreativas da Junta, liderado por José Soares.

(foto Pedro N. Silva)
(foto Pedro N. Silva – Arquivo EeTj)

A Lomba, e a sua associação de moradores, anda, normalmente, nas “bocas do mundo”, pela melhor das razões, aquando dos concursos de cascatas e presépios promovidos pela Câmara Municipal do Porto, tendo conseguido diversos primeiros prémios.

(foto Pedro N. Silva)
(foto Pedro N. Silva – Arquivo EeTj)

Todos eles (os prémios) através de obras produzidas por Fernando Neto, o autor também das principais fotos desta reportagem.

E é esta um pouco da história do bairro e da associação de moradores da Lomba, um aglomerado habitacional com muitas estórias que só as suas gentes sabem contar…

Como nota de rodapé, saiba que foi nesta associação que, há oito anos, nasceu o “Etc e Tal jornal”.

01abr18

 

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.