Menu Fechar

RELATÓRIO REVELA ESTADO CRÍTICO DA FERROVIA NACIONAL! SÓ NO ESPAÇO DE UM MÊS REGISTARAM-SE DOIS DESCARRILAMENTOS…

Os troços ferroviários de Ovar a Vila Nova de Gaia (Linha do Norte), do Tua ao Pocinho (Linha do Douro), de Espinho a Oliveira de Azeméis e de Aveiro a Sernada do Vouga (estes dois últimos pertencentes à Linha do Vouga – via estreita) são, segundo o Relatório de Estado de Infraestruturas de maio de 2017, divulgado em princípios de março, pelo jornal “Público”, os que se encontram em pior estado, se bem que 60 por cento da ferrovia nacional tenha um desempenho “medíocre ou mau”.

Estação de Ovar (JL)
Estação de Esmoriz – Linha do Norte (JL)

E não podia ter sido mais oportuna a publicação deste relatório, já que num espaço, precisamente, de um mês registaram-se dois descarrilamentos, um deles numa linha apontada pelo referido Relatório como uma das mais problemáticas (do Tua ao Pocinho), e que se verificou no passado dia 20 de março (com 35 passageiros e provocado pelo deslizamento de terras e pedras), enquanto um outro aconteceu a 20 de fevereiro, na Linha da Beira Alta, entre Nelas e Mangualde, com um vagão de um comboio de mercadorias.

Estação de Valadares
Estação de Valadares – Linha do Norte (PNS)

Mesmo assim, a Infraestruturas de Portugal (IP), que é responsável pelo estado de conservação, restauro e modernização da ferrovia, garantiu, entretanto, que o desempenho das referidas vias é “globalmente positivo” e que o seu estado “constitui somente um dos noves parâmetros avaliados no relatório, sendo que todos os restantes indicadores de desempenho são francamente mais positivos”. A IP aproveitou a oportunidade para informar ainda que “está a desenvolver o maior programa de investimentos das últimas décadas na modernização da rede ferroviária nacional”,

Sindicato da Construção de Portugal alerta para a urgência de obras

Foto: PNS
Foto: PNS

Entretanto, e reagindo à publicação do Relatório de estado das Infraestruturas, o Sindicato da Construção de Portugal (SCP) salientou em comunicado que “vem alertando há anos para que houvesse uma intervenção a nível nacional na Via Férrea, dado o avançado estado de degradação que se verificava e que, hoje, está ainda mais degradada”.

Estação de Ovar (JL)
Estação de Ovar – Linha do Norte (JL)
Linha do Vouga - Vouguinha (JL)
Linha do Vouga – Vouguinha (JL)
"Vouguinha" (JL)
“Vouguinha” (JL)

O SCP reconhece que “as composições têm mais qualidade” (a verificar pelas imagens… nem todas), mas “as estruturas onde circulam não foram, em muitos casos, renovadas.” Assim, e ainda de acordo com o referido sindicato “terá que ser feita uma renovação dos carris e das travessas, nas zonas mais degradadas do País, para evitar acidentes de grande dimensão. O serviço público de transportes tem que ser de qualidade e não de risco”.

Texto: EeTj

Fotos: José Lopes e Pedro N. Silva (Arquivo EeTj)

01abr18

 

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.