Menu Fechar

PROCESSIONÁRIAS “INUNDARAM” PINHEIROS NA ÁREA DA PISCINA MUNICIPAL DE OVAR

A área verde que envolve a Piscina Municipal de Ovar na zona escolar da cidade, é composta entre outras espécies, por pinheiros, em alguns casos ainda são exemplares que foram enquadrados paisagisticamente na arquitetura de equipamentos públicos que foram construídos numa zona que era pinhal. Mas a resistência dos pinheiros, mesmo em espaços públicos de gestão municipal, não tem sido fácil, tais são os efeitos destruidores da Lagarta do Pinheiro ou Processionária que literalmente “inunda” os pinheiros na área exterior da Piscina Municipal de Ovar e que finalmente foram alvo de uma intervenção dos serviços municipais, que passaram pela colocação de cinta autocolante azul.

José Lopes

(texto e fotos)

O estado dos pinheiros afetados pelos ninhos das Lagartas, há muito davam sinais de falta de respostas adequadas para combater e controlar o desenvolvimento da Lagarta do Pinheiro. Como a ramagem verde nos topos destas árvores atingidas por zonas queimadas, resultante da atividade e do ciclo de vida da Lagarta do Pinheiro, que nos últimos anos ali tem encontrado ambiente natural e ausência de medidas que exigiriam diferentes fases, como seria o corte de ramos com ninhos entre outras.

Na ausência da eliminação atempada dos ninhos, ali bem visíveis nos pinheiros envolventes a um equipamento público como é uma Piscina Municipal, a colocação da cinta autocolante azul, ainda que promova uma imagem de eficiência no combate à Lagarta do Pinheiro. Estes bichinhos e suas consequências nefastas no contacto com animais e seres humanos, que podem resultar da sua reação defensiva, com projeção dos pelos urticantes e originar graves alterações do aparelho respiratório ou alergias cutâneas, acabaram por se antecipar este ano à cinta autocolante que ajudaria a travá-las e assim facilitar uma recolha mais organizada e posterior eliminação adequada, segundo recomendações do próprio Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e da Direção-geral de Saúde.

Considerando que em cada unidade de ninho se desenvolvem várias dezenas de Processionárias e que os pinheiros entretanto assinalados nesta área envolvente estão “inundados” por outras muitas dezenas de ninhos. A sua antecipação na descida para a fase seguinte do estudado ciclo de vida, quer passa pela formação de casulo no interior da terra, ainda antes da colocação das cintas autocolantes, facilitou mais uma vez o seu ciclo de vida até à formação da borboleta que retomará este ciclo natural. Ficou no entanto a intenção de se quebrar o ciclo de vida da Lagarta do Pinheiro para o próximo ano. Assim os serviços competentes do Município de Ovar a exemplo de outros no país, assuma um acompanhamento planificado com medidas concretas e intervenção regular de monitorização, para um combate a esta praga do pinheiro que não deve ser desvalorizada e que ajude a minimizar as condições naturalmente favoráveis na zona e eventualmente no Concelho.

01mar19

 

 

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.