Menu Fechar

“TEATRO NACIONAL SÃO JOÃO” CELEBROU CENTENÁRIO NA PRESENÇA DE MARCELO REBELO DE SOUSA QUE LHE ATRIBUIU TÍTULO DE “MEMBRO HONORÁRIO DA ORDEM DO MÉRITO”

Milhares de pessoas celebraram, no passado dia 07 de março, o centenário do Teatro Nacional São João (TNSJ) e participaram nos numerosos eventos que tiveram lugar no edifício, Monumento Histórico Nacional, bem como nas ruas e nos outros equipamentos culturais geridos pelo próprio TNSJ.

Algumas das sessões contaram com a presença de individualidades, como o presidente da Câmara, Rui Moreira, que verbalizou “o orgulho” do Porto no teatro que se mostrou “imune aos ciclos políticos da cidade”, até quando “a cultura parecia esquecida”.

Participou também o Presidente da República, que elogiou o trabalho cultural do TNSJ e da cidade e falou na dinâmica cultural do Porto “que nem o espírito mais tacanho dos centralistas poderá negar”, tendo decidido atribuir ao TNSJ o título de membro honorário da Ordem do Mérito, no que conta com o apoio do primeiro-ministro, António Costa.

Igualmente presente nas comemorações, a ministra da Cultura, Graça Fonseca, recordou que, nos seis meses após as comemorações dos 100 anos, o TNSJ vai ser alvo de profundas obras de recuperação e remodelação, correspondentes a um investimento de 1,5 milhões de euros que “irá garantir a valorização e promoção” daquele “bem histórico-cultural público, no Centro Histórico da cidade do Porto e no perímetro da zona classificada pela UNESCO como Património Mundial”, segundo cita a Lusa.

A obra está integrada numa candidatura global a verbas do programa Norte 2020 no valor total de cerca de 2,3 milhões de euros, 85% dos quais financiados por fundos comunitários, como foi lembrado na sessão pela comissária europeia Elisa Ferreira, que enalteceu o papel da cultura ‘per si’ (e do TNSJ) na evolução da sociedade e defendeu que “o Homem é eminentemente um ser cultural e a realização cultural tem de ser uma parte integrante do desenvolvimento humano”.

Por outro lado, Elisa Ferreira apontou que “a criatividade artística, científica, tecnológica e social não é um talento em abstrato, mas uma componente essencial da economia global. É o que torna possível a inovação e o crescimento. O setor da cultura e das artes emprega atualmente 1,9 milhões de europeus. Nos últimos 20 anos, o emprego neste setor cresceu em média 1,6 % ao ano na Europa enquanto o emprego total cresceu apenas 0,5 %”. Além disso – destacou – o setor das artes e da cultura em Portugal, onde garante 23 mil empregos, “tem claramente” uma margem de crescimento e potencial para o fazer.

O programa de aniversário do Teatro incluiu numerosas iniciativas de acesso livre que atraíram o público ao edifício desenhado pelo arquiteto Marques da Silva, mas também à Praça da Batalha, Mosteiro de São Bento da Vitória e Teatro Carlos Alberto.

 

Texto: Porto. / EeTj

Fotos: Miguel Nogueira (Porto.)

01abr20

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.