Menu Fechar

OVAR – CELEBRAÇÕES QUARESMAIS RECOLHERAM AS PROCISSÕES NUM PROFUNDO SILÊNCIO

A relevância dos eventos religiosos como as celebrações quaresmais, com tradições seculares em Ovar, num momento de recolhimento para enfrentar uma pandemia global como é o novo coronavírus, ganha certamente mais sentido entre os fiéis e crentes cristãos, que estavam, numa antiga relação com as Irmandades dos Passos e da Ordem Terceira, disponíveis para participar e protagonizarem as vivências da Paixão e Morte de Cristo, através de um ciclo celebrativo em que se destaca o Culto da Cruz. Uma demonstração pública, através das procissões quaresmais, que representam um valioso património da cidade, com todo o património artístico e arquitetónico que reúne as várias Capelas dos Passos, que datam do século XVIII, mas que neste ano 2020 em pleno século XXI, se mantiveram de portas fechadas às Celebrações Quaresmais que recolheram num profundo silêncio.

Dos vários eventos que estavam anunciados para as Celebrações Quaresmais deste ciclo pascal em Ovar. A sempre imponente Procissão dos Terceiros, que se realiza no 2.º Domingo da Quaresma, pela Ordem Terceira de São Francisco, este ano tinha como data para sair à rua o dia 8 de março. Vivia-se ainda no país e no caso concreto de Ovar, a aparente tranquilidade de uma comunidade acabada de sair da folia carnavalesca e sem medos do convívio social, acabando mesmo por ser a chuva a impedir a saída desta primeira manifestação religiosa pelas ruas da cidade. Uma decisão sempre difícil para os fiéis, mas inevitável na defesa da segurança de quem transportas os vários e pesados andores, bem como a preservação do rico património que representam os vários elementos de arte sacra.

A chuva não voltou com precipitação suficiente para impedir a concretização da programação das Celebrações Quaresmais, pelo contrário, o sol raiou, mas rapidamente caiu sobre o país e esta cidade, uma nuvem ameaçadora do pesadelo do vírus Covid-19, que exigiu “confinamento social” e a suspensão das mais diversificadas atividades sociais, culturais, económicas, incluindo as cerimónias religiosas do Mistério da Cruz, de cuja calendarização constava ainda, a Procissão dos Passos (22 de março), entre vários outros eventos em abril até ao domingo de Páscoa, que passariam pela Procissão dos Ramos (5 de abril), a 5.ª Feira – Santa e a 6.ª Feira – Santa.

Momentos do tema da Paixão que tradicionalmente se desenrolam com passagem pelas 7 Capelas dos Passos – Pretório (Igreja Matriz), Queda, Encontro, Cireneu, Verónica, Mulheres de Jerusalém e Calvário, que aqui recordamos com recurso a imagens de arquivo num período de tempo em que a população de Ovar vive o “estado de calamidade” e o país, o “estado de emergência”

E a pandemia obrigou a sacrificar a festa em família das Celebrações Quaresmais em nome da salvação dos homens e das mulheres infetados pela epidemia do coronavírus, que desafiou também nas questões da fé, a devoção à Paixão e Morte de Cristo no presente recolhimento destas tradicionais manifestações religiosas, num profundo silêncio de sacrifício, angustia e esperança.

 

Texto e fotos (*): José Lopes

(*) Arquivo

01mai20

 

 

 

 

 

 

 

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.