Menu Fechar

O Mês dos Recomeços

Ricardo Guerra

 

 

Caro estudante…

Esta carta é para ti. Para ti, que, este ano, serás aluno universitário pela primeira vez. Para ti, que, neste indescritível verão, tiveste de tomar nas mãos o leme da vida e decidir os trilhos do teu futuro. Para ti, que te confrontaste pela primeira vez, sem máscara nem cinto de segurança, com a intrincada complexidade das colocações, dos cursos, das possíveis oportunidades de trabalho. Para ti que, no princípio deste apocalíptico outono, terás de abandonar tudo: o doce e familiar conforto do teu passado, os luminosos sorrisos dos colegas e amigos, e as tantas memórias escolares que te tornaram quem tu és.

Terminaste o 12.º ano e outubro é, para ti, o mês dos recomeços. Hoje, preparas-te para dar um passo em frente, de olhos cerrados, em direção ao abismo, receando a feroz voz do futuro e o mergulho nos confins de um novo oceano. As sereias seduzem e clamam por ti, mas o receio é tal e qual como um gélido mar que paralisa os ossos. E esse mar é feito de novas pessoas, novas experiências, novos espaços. Tens medo. E é por isso que esta carta é para ti.

Escrevo-te para te contar que não é só tua esta viagem. O coração de todos os estudantes acelera da mesma forma perante o nevoeiro no horizonte. No entanto, pretendo revelar-te também que em cada atribulada mudança, mora também uma única e indispensável oportunidade. Sim, porque hoje, mais do que nunca, o prazer da novidade sorri para ti e o novo caminho aguarda as tuas pisadas…! A partir de hoje, farás das tuas mãos estrelas cadentes e iluminarás o céu com as tuas conquistas… Na tua alma arderá a chama do porvir e, no teu coração, o oxigénio que a alimentará… E te impedirá de desistir!

Sim, os desafios com que te debelarás exigirão de ti a espada mais afiada e o escudo mais forte… Mas o futuro é mesmo assim: é a magia dos passos em direção ao desconhecido… O rascunho do sol a nascer do amanhã, que só tu poderás desenhar. O futuro é uma epopeia que só tu poderás escrever… E cada Adamastor dar-te-á a escolha de te tornares mais forte, de seres um bicho da terra tão pequeno que, apesar de tudo, enfrenta o mar revolto… Com a bravura de um sorriso!

Além disso, caro estudante, neste ano inesquecível, revelaste-te um verdadeiro herói. Superaste as dificuldades e os obstáculos de um regime à distância que exigiu de ti toda a capacidade de adaptação, compreensão, concentração e disciplina possível. De ti foi requerida compaixão para com os teus professores, que, de súbito, foram entregues às feras tecnológicas e a mundos infinitos de ecrãs e moodles e video-chamadas e softwares com os quais jamais haviam trabalhado. De ti foi exigido tanto… No entanto, qual vela no mastro da caravela, permaneceste firme perante o vento da mudança, entregaste todos os trabalhos na hora certa e modificaste, sem fraquejar, toda a tua rotina de trabalho. Tu és um herói. E se ultrapassaste esse desafio, ultrapassarás este e todos os outros.

Deste modo, quando sentires a águia da coragem e a pomba da paz a voarem da gaiola da tua alma, simplesmente, lê este texto. Coloca-o na mesa-de-cabeceira do teu coração. E recorda que, no final de contas, foi este o caminho que escolheste, que traçaste com o sangue, suor e lágrimas do teu esforço e que a tua vocação clama por ti, sempre, apesar dos obstáculos e das barreiras. E, como escreveu um grande poeta, pensador e sonhador: tudo vale a pena se a alma não é pequena. E a tua alma é sobejamente enorme.

A vida espera por ti. E tu, de que estás à espera?

 

Foto: pesquisa Net

01out20

 

 

 

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.