Menu Fechar

Vila Nova de Gaia – Executivo camarário aprova novo pacote de medidas económicas e sociais

O executivo municipal aprovou, a 7 de dezembro, mais um conjunto de medidas económicas e sociais para apoiar a recuperação de diferentes setores da sociedade face às perdas resultantes da pandemia de covid-19, que vêm reforçar a necessidade de intervenção do município. No final do primeiro trimestre, recorde-se, havia sido lançado o primeiro pacote de medidas de apoio à atividade económica, às famílias e às IPSS. Neste momento, a Câmara Municipal sentiu a necessidade de criar um segundo conjunto de medidas, fortalecido e mais abrangente, tendo em conta a evolução da própria pandemia e a dinâmica que adquiriu em alguns setores.

Enquanto se prepara o Programa de Relançamento Económico e Social de Gaia, que incluirá os contributos dos cidadãos, das instituições e das empresas com vista à construção de um plano de desenvolvimento e de coesão social, estão já em implementação as medidas constantes deste pacote.

No que diz respeito às taxas e impostos municipais, destaque para a manutenção do preço da água, uma nova redução do IMI para 0,38%, a diminuição de 1% na participação no IRS, para 4%, e redução da Derrama. No contexto dos apoios à economia e ao emprego, será aplicada, até 31 de março, a isenção de pagamento de taxas de ocupação de via pública para feirantes e vendedores ambulantes e das taxas de publicidade, para atividades económicas locais. Já os comerciantes de Gaia terão isenção total das taxas e tarifas municipais respeitantes a 2020 e 2021, enquanto as pequenas e microempresas estarão isentas, no próximo ano, das taxas pelo Centro Metrológico.

JOVENS DE GAIA RECOLHERAM OITO TONELADAS DE ALIMENTOS

Face à realidade atual, onde as dificuldades económicas tendem aumentar, os jovens de Vila Nova de Gaia decidiram agir, participando de forma ativa numa campanha de Angariação de alimentos para ser distribuída pelas instituições de solidariedade do concelho. Todos os voluntários realizaram tarefas inerentes às atividades: na tomada de decisão, organização e execução.

Foram recolhidas cerca de oito toneladas de alimentos. Estiveram envolvidos de forma efetiva cerca de cem voluntários dos 19 estabelecimentos de ensino (Escolas Básicas, Escolas Secundárias, Escolas Profissionais, Institutos Superiores), entre eles diretores de Agrupamentos, diretores de Escolas, diretores Pedagógicos, Professores responsáveis, Alunos embaixadores da campanha. Os alimentos foram distribuídos pelas seguintes instituições de solidariedade social: Associação de Solidariedade Social da Madalena, Abrigo Seguro, Associação de Solidariedade Social, Liga dos Amigos do Centro de Saúde de Soares dos Reis, AMI, Conferência S. Vicente de Paulo de Olival, Conferência S. Vicente de Paulo de Sandim e Conferência S. Vicente de Paulo Divino Salvador de Grijó.

PRESIDENTE DA CÂMARA VISITA “OBRAS INVISÍVEIS” PARA A POPULAÇÃO

Eduardo Vítor Rodrigues, presidente da Câmara Municipal de Gaia, acompanhado pelo conselho de administração da empresa municipal Águas de Gaia, visitou, a 3 de dezembro último, um conjunto de obras e intervenções a cargo da empresa, dentro das várias áreas de exploração (distribuição de água, águas residuais e águas pluviais e ambiente). A visita teve início na escola básica da Bandeira, dotada de um sistema de reutilização de águas pluviais e bebedouro público como incentivo ao consumo de água da torneira e sensibilização ambiental.

Seguiu-se uma visita à bacia de retenção do rio Horto, um equipamento que permite controlar o caudal da linha de água para jusante, evitando a ocorrência de transbordos na zona das caves do vinho do Porto e na marginal da zona histórica, aquando da ocorrência de situações de pluviosidade mais extrema. Num investimento de 550 mil euros (com financiamento comunitário do POSEUR), aproveitou-se para efetuar um novo enquadramento paisagístico e ambiental, requalificando o espaço nesta zona com elevado potencial. Prevê-se ainda a instalação de uma turbina “mini-hídrica” para produção de energia.

A comitiva seguiu para a rua Serpa Pinto, onde estão a decorrer obras do coletor de águas pluviais, num investimento de 350 mil euros (190 mil euros de investimento privado Riverside, Sabersal e Sogevinus e restante investimento da Águas de Gaia). Trata-se de uma obra de enorme impacto quer técnico quer na resolução do problema de transbordos de linhas de água afluentes ao rio Douro na zona histórica, neste caso na linha de água que percorre toda a rua Serpa Pinto, cuja nascente se localiza na zona alta da cidade. Com esta obra, faz-se uma separação dos caudais da zona alta que passa a drenar diretamente para o rio e os caudais da zona baixa junto ao rio.

A praia do Atlântico foi o exemplo escolhido para mostrar as intervenções preventivas que estão a ser feitas no passadiço da orla marítima, num investimento a ronda os 50 mil euros, à semelhança do que acontece todos os anos.

Seguiu-se o novo reservatório retangular de Gulpilhares, uma importante obra para reforço de abastecimento de água nesta zona, tendo em conta o elevado crescimento urbanístico e demográfico do litoral do concelho. Este novo reservatório terá uma capacidade de reserva de 1200m3 – 10 vez mais do que o atual – e garantirá qualidade e quantidade de água, prevenindo falhas de abastecimento.

Este novo reservatório alia a mais elevada tecnologia com um estilo arquitetónico arrojado, visando o melhor enquadramento com a paisagem urbana contemporânea. Num investimento de 395 mil euros (reservatório) e de 30 mil euros (infraestruturas), a Águas de Gaia contou com a colaboração da Gaiurb no desenvolvimento de uma solução mais eficaz em termos de armazenamento, sem ignorar o impacto visual, em linha com a envolvente habitacional.

A visita terminou na UATR de Vila d’Este, uma nova infraestrutura de secagem de resíduos provenientes da rede de águas residuais, permitindo uma gestão ambientalmente mais eficaz e reduzindo custos de transporte destes resíduos. Esta unidade está em processo de homologação de forma a prestar serviços a outros operadores, nomeadamente à SIMDOURO. Esta é também a nova área operacional da DAR (Divisão de Espaços Operacionais), devido à Covid-19. Trata-se do espaço de uma antiga ETAR que foi totalmente requalificado, sendo que parte deste trabalho foi feito por administração direta por funcionários da empresa. O investimento total rondou os 200 mil euros.

 

Texto e fotos: CMVN Gaia – Notícias / Etc e Tal jornal

01jan21

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.