Menu Fechar

Valongo – Programa de encomenda online de frutas e legumes já vendeu 540 cabazes

Para promover a alimentação saudável na população do concelho, a Câmara de Valongo fez uma parceria com a cooperativa agrícola local: às terças-feiras em Valongo, às quintas em Ermesinde, os cabazes encomendados online são entregues às famílias a preços reduzidos: 5€ (5 quilos), 8€ (nove quilos). “São só coisas boas, todas ‘made in’ Valongo”, assegura o presidente da Câmara, José Manuel Ribeiro. “Estamos a influenciar novos hábitos alimentares e de consumo que irão beneficiar a economia local e a qualidade de vida”.

Mais de 540 cabazes saudáveis já foram adquiridos no concelho de Valongo no âmbito de “O Mercado”, um programa on-line de encomenda de frutas e legumes frescos. Lançado pela Câmara Municipal de Valongo para promover a alimentação saudável na população do concelho, o programa integra o Plano Municipal de Saúde e, em apenas dois meses, conseguiu que as famílias de Valongo adquirissem?centenas de cabazes com frutas e com legumes indicados para uma dieta alimentar equilibrada.

“O projeto “O Mercado” está a ser um sucesso e a superar as expectativas, sobretudo depois de o país ter entrado em janeiro no segundo confinamento”, afirma José Manuel Ribeiro, presidente da Câmara de Valongo. “É um projeto que tem três grandes virtudes: coloca na mesa dos valonguenses mais frutas e mais legumes frescos do que era habitual; é um processo totalmente digital na encomenda e até ao momento da entrega do cabaz; e tem um preço muito acessível, possibilitando o acesso a todos os extratos socioecónomicos, precisamente para incutir novos hábitos que, a seu tempo, também irão beneficiar a economia local e a qualidade de vida da população”.

Os cabazes são compostos por produtos hortícolas e frutícolas produzidos no concelho por 20 associados da Cooperativa dos Produtores Agrícolas do Concelho de Valongo, parceira da autarquia neste projeto. Os cabazes são entregues semanalmente em Valongo, no Apeadeiro de Susão (às terças), e em Ermesinde, na loja da Cooperativa (às quintas): os locais estão estrategicamente localizados para poderem ser levantados por utilizadores dos transportes públicos, designadamente o comboio.

O levantamento dos cabazes é totalmente seguro, uma vez que as encomendas são feitas online e as entregas são rápidas e cumprem todas as normas de saúde pública em vigor. Os cabazes são sempre acompanhados por dicas e receitas saudáveis. Na primeira compra o saco reutilizável é oferta. Os cabazes estão disponíveis em duas versões: o “Família” – com uma variedade de cinco produtos que podem pesar até cinco quilos, com o preço de 5 euros; e o “Super Família”, que contém até sete variedades e nove quilos de peso, que custa 8 euros.

“Estamos naturalmente satisfeitos com a adesão de mais de 200 famílias a um maior consumo de frutas e de legumes de excelente qualidade ‘made in’ Valongo”, afirma José Manuel Ribeiro, presidente da autarquia. “Em boa hora iniciamos este projeto que, para além de promover uma alimentação saudável e equilibrada, estimula a economia local se alinha com medidas de sustentabilidade ambiental ao diminuir a pegada ecológica deste consumo – produção local, consumo local. Tudo isto visa promover a qualidade de vida das comunidades valonguenses a todos os níveis”.

Numa visita aos locais de entrega dos cabazes (ver fotos em anexo) o autarca destacou os benefícios ambientais do consumo de produtos locais e da época.  “Somos um município comprometido com o desenvolvimento económico e com a sustentabilidade ambiental – e temos a sorte de ter ao nosso lado os melhores parceiros possíveis para esta iniciativa”, afirma José Manuel Ribeiro. “Os cabazes só têm coisas boas! E o melhor de tudo é que todos os produtos são ricos, saudáveis e produzidos em Valongo.

CÂMARA MUNICIPAL APROVA ADJUDICAÇÃO DA OFICINA DE PROMOÇÃO DO BRINQUEDO TRADICIONAL PORTUGUÊS

Foto: pesquisa Bing

A Câmara Municipal de Valongo aprovou por unanimidade a adjudicação da construção da Oficina de Promoção do Brinquedo Tradicional Português, que vai nascer na antiga escola de Cabeda, em Alfena. A empreitada tem o preço contratual de 3.658.782,71 Euros, sendo que o investimento é financiado por fundos comunitários do Programa Norte2020. O prazo de execução é de 540 dias.

“A Oficina do Brinquedo vai ter um impacto semelhante ao da Oficina da Regueifa e do Biscoito que já abrimos em Valongo. Será mais um equipamento para contar a quem nos visitar a história extraordinária do Brinquedo Tradicional Português e que terá um impacto muito importante na dinâmica do nosso território, particularmente no eixo Alfena-Ermesinde”, salientou José Manuel Ribeiro, na reunião do executivo.

“Temos muita esperança neste projeto que vai associar a modernidade à memória e à tradição e que será mais um importante contributo para concretizar a estratégia de afirmação do concelho de Valongo não só na região, mas também no País e no Noroeste Peninsular. A construção da Oficina de Promoção do Brinquedo Tradicional Português é uma peça fundamental para a promoção do Município de Valongo através das suas marcas identitárias. Mais do que recordar a história, este projeto pretende preservar o saber fazer de gerações com abordagens inovadoras”, considerou o presidente da Câmara Municipal de Valongo, referindo que “sejam de madeira, metal ou plástico injetado, ninguém fica indiferente aos brinquedos de outros tempos, que se fabricaram e ainda fabricam não só em Alfena, mas também em Ermesinde”.

“Esta foi mais uma batalha dura que conseguimos ganhar, pois só podíamos avançar com uma obra desta envergadura com financiamento comunitário. Com este projeto, que foi o mais complexo de todos, vamos conseguir executar a 100 por cento o Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano de Município de Valongo, financiado pelos fundos europeus do Programa Norte 2020!”, recordou o autarca.

Segundo José Manuel Ribeiro, “a criação da Oficina do Brinquedo Tradicional visa congregar a vontade dos artesãos, dos valonguenses e do poder local autárquico, traduzindo um sonho muito antigo da população local, com a necessidade de preservar e divulgar uma faceta muito importante da identidade cultural concelhia. O objetivo é dar a conhecer o património material e divulgar também o património imaterial juntando os que criaram e recriam os objetos, para incentivar partilhas intergeracionais. O brinquedo tradicional está vivo na memória de todos nós. O nosso objetivo é despertar recordações e pôr toda a gente a brincar”.

A futura Oficina de Promoção do Brinquedo Tradicional Português terá trabalho ao vivo permanente, visitas guiadas interativas, oficinas formativas, encontros temáticos, um núcleo de indústrias criativas ligadas ao brinquedo didático de madeira e serviços educativos.  Serão recriados ambientes oficinais associados ao brinquedo de chapa e plástico e será incluído espólio museológico fora do comum.

Inspirado nas formas geométricas, o espaço incluirá uma galeria, bem como uma sala multiusos e a envolvente será adaptada para encontros de colecionadores, workshops, arranjo de peças, atividades de dinamização através da ação das indústrias criativas e exposições temporárias de espólios pessoais.

Texto: Lúcia Pereira (CMV) / Etc e Tal jornal

Fotos: CMV

01fev21

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.