Menu Fechar

A definição da indefinição no futebol

Orlando Esteves

 

Em 1987, Pimenta Machado, um dos mais célebres presidentes da história do futebol português, dizia que “o que hoje é verdade, amanhã pode ser mentira” e, no seguimento dessa afirmação, podemos concluir que, se num dia, tudo pode ser alterado, um mês poderá conseguir que, como por magia, uma série de cenários sejam invertidos e revertidos.

Ao fazermos uma viagem pelas milhares de páginas que ilustram os mais belos momentos desta modalidade, vamos encontrando algumas tentativas de definição para aquilo que é este desporto contudo, facilmente entendemos que há algo que as une, mas nada que as torne consensuais.

Talvez seja um erro tentar definir o que não tem definição e, por ser assim, nos “prende” à paixão de tentar prever o que é imprevisível. Na realidade, são estes pontos de interrogação que promovem os de exclamação associados ao misticismo que, em tempos, povoava cada estádio e, hoje em dia, por motivos de força maior, está confinado.

Tal como acontece na mais encantadora obra literária na qual somos invadidos por uma mescla de sensações que nos leva, por um lado, a almejar conhecer o seu final e, por outro, a desfrutar de cada palavra que lemos, o futebol também tem este poder ambíguo de, por momentos, suscitar em nós a ânsia de conhecer um resultado ou, simultaneamente, querer com todas as forças que aquele momento nunca acabe. Enfim, dois exemplos de que, para uns, o cérebro e, para outros, o coração, conseguem fazer com que, contra todas as regras da lógica, seja possível, no mesmo instante, desejar a “certeza” e a “indefinição”.

O último mês foi, para muitos clubes, mais um capítulo de uma narrativa que protagonizam, contudo, para outros, foi menos um, dependendo a perspetiva do contexto que é vivido. Deste modo, muitos vislumbram o futuro com base nas batalhas anteriormente travadas, antevendo as que enfrentarão nos próximos tempos.

Por outras palavras, à medida que a época desportiva vai avançado, muitos consideram que cada desafio é uma final e, por ser assim, facilmente chegamos à conclusão de que há uma relação muito próxima entre esta fase e o termo “decisão”, embora a recompensa pela vitória seja a mesma desde o primeiro segundo de um campeonato: os famosos três pontos. Posto isto, recorrendo às palavras de João Pinto, antigo capitão do FC Porto que, um dia, referiu que “prognósticos só no fim do jogo” e, já agora, regressando às palavras do antigo presidente do Vitória SC, Pimenta Machado, só depois do encerramento de uma competição podem ser retiradas conclusões porque, até lá, qualquer objetivo aparentemente conseguido pode ser convertido numa derrota inesperada ou, pelo contrário, um desaire anunciado pode ser transformado num triunfo épico.

CLASSIFICAÇÕES DAS EQUIPAS DA REGIÃO (até 24jan21)

Liga NOS

2.º FC Porto (acesso direto à fase de grupos da Champions League)

5.º Paços Ferreira (acesso à nova Europa Conference League)

9.º Rio Ave

17.º Boavista (despromoção).

 

Liga Portugal SABSEG

9.º Penafiel

11.º Leixões

17.º Varzim (despromoção).

 

Campeonato de Portugal – Série B

3.º AR São Martinho (apuramento para a fase de acesso à nova 3ª liga)

4.º Felgueiras (apuramento para a fase de acesso à nova 3ª liga);

8.º Tirsense.

 

Campeonato de Portugal – Série C

1.º Gondomar (apuramento para a fase de acesso à Liga Portugal SABSEG)

2.º Leça (apuramento para a fase de acesso à nova 3ª liga)

3.º Trofense (apuramento para a fase de acesso à nova 3ª liga)

4.º Amarante (apuramento para a fase de acesso à nova 3ª liga)

5.º Pedras Rubras (apuramento para a fase de acesso à nova 3ª liga)

6.º Paredes

8.º Salgueiros

10.º Coimbrões (despromoção)

 

Campeonato de Portugal – Série D

2.º Canelas 2010 (apuramento para a fase de acesso à nova 3ª liga)

7.º Valadares Gaia

O MÊS DE FEVEREIRO DAS EQUIPAS DA REGIÃO

Quando abordamos a caminhada de um clube ao longo de uma época desportiva, devemos ter em consideração o percurso em que estão inseridos e, naturalmente, as condicionantes a ele associadas. Tendo isso em conta, apesar de todos estarem filiados na Associação de Futebol do Porto, não deixam de viver realidades diferentes, algo que é inerente ao facto de estarem distribuídos por três escalões totalmente distintos: Liga NOS, Liga Portugal SABSEG e Campeonato de Portugal.

Por ser entendível que integrar contextos competitivos distintos também está associado a algumas discrepâncias no que diz respeito ao número de jornadas e, por consequência, ao memento em que será possível retirar conclusões dos resultados obtidos na presente temporada, será pertinente organizar esta análise pelos contextos competitivos em que se encontram.

Posto isto, navegaremos por todos os emblemas da região que integram os campeonatos nacionais, atracando, em primeiro lugar, pelos que competem no principal escalão do futebol português. De seguida, viajaremos com atenção pelos que disputam a antiga Liga de Honra e, para terminar, chegaremos ao nosso destino: os vários conjuntos que estão inseridos no Campeonato de Portugal.

Liga NOS

-No Dragão, foram vividos dias de alguma turbulência já que, em oito jogos realizados, divididos por três competições diferentes, o FC Porto venceu quatro e empatou outros tantos. Ainda assim, a nível interno, apesar do empate em Braga, tem vantagem na eliminatória e, no que diz respeito ao campeonato, manteve o segundo posto, apesar de estar a uns angustiantes, mas reversíveis dez pontos. No que concerne às competições europeias, vitória importante e possibilitadora frente à atual campeã italiana, Juventus, havendo, contudo, um golo marcado por Federico Chiesa que dá esperança aos adversários da equipa de Sérgio Conceição;

-Na “Capital do Móvel” continua a morar a grande sensação desta temporada que, hoje em dia, já vai merecendo a atenção de todo o panorama do futebol nacional. Num mês em que realizou cinco jornadas, uma delas contra o líder Sporting e outra contra o sexto classificado, Vitória SC, o Paços Ferreira somou dez pontos em quinze possíveis, perdendo três em Alvalade e dois frente ao Portimonense. Ainda assim, com o triunfo conquistado frente aos vitorianos, a equipa treinada por Pepa tem uma vantagem pontual de seis pontos que, curiosamente, é a mesma margem que a separe do segundo classificado, posição que dá acesso direto à Champions League. Será possível?

-Em Vila do Conde, o Rio Ave melhorou a sua classificação no entanto, continua longe das “batalhas” a que nos tem habituado: as que permitem ocupar os lugares europeus. Ainda assim, com o regresso de Miguel Cardoso, a equipa conquistou sete pontos, criando uma ligeira margem pontual para uma zona da tabela que promete ser extremamente competitiva até à última jornada;

-O Boavista permanece nos lugares de despromoção ainda que, em fevereiro, tenha conseguido abandonar a última posição, consequência dos sete pontos conquistados, quatro deles fora de casa. Deste modo, o grande destaque passará pelo ponto conquistado no Dragão e, naturalmente, pela vitória em Portimão, frente a uma equipa que também está envolvida nesta tentativa de fuga aos lugares de descida para o segundo escalão do futebol português.

Liga Portugal SABSEG

-Em Penafiel, o mês ficou marcado por uma pandemia que, infelizmente, não desiste de causar danos na nossa sociedade. Com vários infetados no clube, apenas foi realizada uma partida com pouco para contar: um ponto conquistado frente ao FC Porto B num empate sem golos. Ainda assim, tendo em consideração que vários jogos foram adiados, os penafidelenses terão a oportunidade de recuperar pontos e subir na tabela, anulando a queda que se verificou em fevereiro;

-Se, no primeiro mês de 2021, o Leixões apresentou melhorias nos resultados obtidos, a verdade é que esse cenário não teve continuidade visto que, em Matosinhos, a equipa foi derrotada nos dois jogos realizados, amealhando apenas um ponto na deslocação ao reduto do Casa Pia e outro na visita ao Mafra;

-Para o Varzim, o cenário não é prometedor contudo, também está longe de definir o futuro do clube. Para já, embora permaneça nos lugares que ditam a despromoção, abandonou o último posto após a vitória frente ao adversário a quem cedeu o lugar. Ainda assim, são quatro pontos que separam os poveiros do décimo sexto classificado, o Académico de Viseu que, por esta altura, tem menos um jogo e, por ser assim, poderá ficar mais distante. Não será fácil!

Campeonato de Portugal – Série B

-Num mês com um calendário que, teoricamente, tinha desafios com um nível de dificuldade bastante elevado, a AR São Martinho ascendeu ao terceiro posto e, por esta altura, ocupa uma posição que dá a possibilidade de disputar o acesso à nova 3ª liga o que, por outro lado, não impede o clube de almejar algo mais;

-Com apenas dois jogos realizados, o Felgueiras somou somente dois pontos ou, se quiserem, perdeu quatro, dependendo da perspetiva. Se, por um lado, defrontou um adversário direto na acesa disputa pelos lugares de apuramento para a fase de acesso à nova 3ª liga, a verdade é que, de forma surpreendente, também empatou no estádio do Brito, conjunto que ocupa a nona posição;

-Apesar de o Tirsense ocupar o último lugar que garante a manutenção neste escalão, a verdade é que a ambição do clube passará, certamente, por escalar a tabela e ocupar uma posição que os apure para a fase de acesso à nova 3ª liga. Para já, essa ambição está a uma distância de dois pontos, diferença que também existe devido à única derrota no último mês frente a um dos adversários diretos: o Berço.

Campeonato de Portugal – Série D

-Em Gondomar, fevereiro foi um mês extremamente positivo! Depois de dez pontos somados em doze possíveis e com destaque para a vitória frente a um adversário direito, o Leça, e o empate frente a outro, o Trofense, o clube assumiu a liderança da série em que se encontra. Deste modo, num contexto onde tem reinado a competitividade, ocupa o lugar que, em teoria, dá mais confiança para as próximas partidas;

-Para o Leça, o mês foi difícil ainda que, para já, seja possível recuperar o lugar que ocupou durante várias jornadas: o primeiro. Contudo, os últimos resultados deixam alguns pontos de interrogação já que, em cinco partidas, venceu apenas duas o que, para um conjunto que quer vencer a sua série, nunca é positivo. Ainda assim, por ter um jogo a menos, o clube de Leça da Palmeira continua a depender de si para alcançar o topo da classificação;

-O Trofense vai acompanhado, de perto, o percurso dos adversários que, neste momento, ocupam as posições da frente. Ainda assim, depois de um mês sem derrotas, sem golos sofridos e com um empate possibilitador no terreno do atual líder, está a apenas dois pontos do Gondomar e a um do segundo classificado, o que justifica, inequivocamente, as ambições de chegar à liderança. Para além disso, conta com o forte argumento de ter menos um jogo que o Gondomar, ou seja, se o vencer, ultrapassará o atual líder havendo, contudo, um adversário de grande qualidade pelo meio: o Leça;

-Já distante do “comboio” que luta pelo lugar que dá a possibilidade de disputar a fase de acesso à Liga Portugal SABSEG, o Amarante melhorou a sua classificação comparativamente com a do mês anterior e, para já, vai tentando mantê-la, o que lhe dará o apuramento para a fase de acesso para a nova 3ª liga e, simultaneamente, também vai tentando manter a distância para os lugares de despromoção já que, nesta fase, a margem pontual para essa zona da tabela é de somente seis pontos num contexto que é extremamente competitivo;

-Fevereiro foi um mês onde o Pedras Rubras experienciou os três tipos de resultado: um empate em casa de um adversário direto, o Paredes, uma vitória frente a uma das equipas mais fortes, o Leça e, para terminar, um desaire perante um clube que ocupa os lugares de despromoção, o Vila Real. Deste modo, o futuro deste conjunto dependerá muito da versão que apresentar nas próximas jornadas que, para já, abordará numa posição que garante o apuramento para a fase de acesso à nova 3ª liga;

-Depois de apenas dois pontos conquistados em doze possíveis, o Paredes ocupa uma posição que garante a manutenção no entanto, não se encontra na zona da tabela que dará acesso à fase de apuramento para a nova 3.ª liga, algo que, no mês anterior, acontecia e que, ainda assim, está a uma distância de três pontos. Para além disso, com esta série de resultados, a margem pontual para a zona de despromoção é de apenas dois pontos o que, por esta altura, faz com que seja colocado um enorme ponto de interrogação face ao que poderá ser o futuro deste emblema. Posto isto, as próximas jornadas terão o poder de nos elucidar sobre qual será a zona da tabela onde ficará o clube;

-Para o Salgueiros, fevereiro começou aos solavancos com três jogos sem ganhar e terminou a toda a velocidade com os triunfos frente ao Vila Real e ao Amarante. Com estas duas vitórias consecutivas, o Salgueiros tem apenas mais um ponto que o Vila Real, equipa que ocupa um dos lugares de despromoção mas, por outro lado, também tem menos quatro que o Pedras Rubras, conjunto que ocupa o último lugar de apuramento para a fase acesso à nova 3ª liga. Perante este cenário, a preocupação imediata será, certamente, a de evitar os lugares de descida contudo, com uma série de bons resultados, poderá integrar os lugares de acesso à competição que será novidade na próxima época desportiva;

-O Coimbrões terminou fevereiro com uma vitória que poderá dar alguma esperança para o que resta temporada. Para já, a distância para os lugares de salvação é de quatro pontos contudo, é urgente somar resultados positivos numa série onde, pela competitividade existente, qualquer resultado é exequível.

Campeonato de Portugal – Série D

-Para o Canelas 2010, o mês fica marcado pela derrota por três golos sem resposta em casa do Anadia. Com este resultado, o emblema de Vila Nova de Gaia ocupa a segunda posição com os mesmos pontos que o líder contudo, tem mais um jogo que o seu adversário direto, o que nos remete para a possibilidade de ser criada uma diferença pontual que, apesar de tudo, é recuperável. No que diz respeito às restantes partidas, numa série de jogos de grande dificuldade, foram somados dez pontos em doze possíveis, o que deixa bem patente que, em condições normais, disputará a liderança com o atual primeiro classificado;

-Na mesma cidade, o Valadares Gaia abandonou os lugares de despromoção, algo que se justifica com as três vitórias e um empate em seis jogos realizados. Para além disso, é um conjunto que dificulta bastante a tarefa a qualquer equipa, algo que é constatável, por exemplo, com o empate a zero no reduto do São João de Ver, atual quarto classificado. Por outro lado, está muito distante de ocupar uma zona tranquila da tabela já que, por esta altura, a distância para a zona de descida é de apenas dois pontos.

JOGOS ENTRE EQUIPAS DA REGIÃO EM MARÇO

Liga NOS

23.ª jornada

FC Porto – Paços Ferreira

Liga Portugal SABSEG

23.ª jornada

Varzim – Leixões

Campeonato de Portugal – Série B

19.ª jornada

Felgueiras – Tirsense

Campeonato de Portugal – Série C

19.ª jornada

Coimbrões – Pedras Rubras

Salgueiros – Paredes

20.ª jornada

Leça – Salgueiros

Trofense – Amarante

 

Fotos: pesquisa Net

 

01mar21

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.