Menu Fechar

Câmara do Porto lamenta falecimento do engenheiro Agostinho Álvares Ribeiro

A Câmara do Porto lamentou a notícia do falecimento de Agostinho de Sousa Guedes Álvares Ribeiro. O “ilustre engenheiro da cidade, com uma extensa obra no país e no estrangeiro”, morreu no passado dia 10 de fevereiro, no Porto, aos 93 anos.

“A obra não desmente o legado imortal de uma personalidade que ficará para sempre na nossa memória como um dos grandes nomes da engenharia portuguesa do século XX, que também deixou o seu inestimável contributo para as novas gerações de engenheiros”, salienta o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira.

“O Professor Doutor Agostinho de Sousa Guedes Álvares Ribeiro foi um cidadão notável, muito considerado, que nos deixa, por isso, um enorme testemunho profissional e pessoal”, completa o autarca.

Nascido a 4 de setembro de 1927, na cidade do Porto, Agostinho Álvares Ribeiro conciliou sempre o seu percurso profissional à vida académica, tendo sido igualmente reconhecido pela sua dimensão humanista, o que lhe mereceu a Medalha da Ordem de Cristo, com que foi agraciado em 1964.

Professor catedrático da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, de 1959 a 1997, na disciplina de Hidráulica, foi também engenheiro consultor de projetos de barragens, descarregadores, eclusas de navegação, na Electricidade de Portugal, de 1953 a 1990, e ainda do quebra-mar de Sines.

Como chefe do Departamento de Barragens da Hidroeléctrica do Douro assinou o projeto de sete barragens, tendo sido igualmente responsável por obras relacionadas com bacias de dissipação, ensecadeiras e derivações provisórias.

Autor de numerosos artigos e comunicações técnicas, Agostinho Álvares Ribeiro participou como orador-convidado nos Congressos Internacionais das Grandes Barragens em Nova Iorque (1958); Roma (1961); Edimburgo (1964); Istambul (1967) Montreal (1970); Madrid (1973); Rio de Janeiro (1982); São Francisco (1988) e Viena (1991).

Proferiu conferências em geografias tão distantes como Austrália (Sidney), tendo também passado a sua expertise por outros pontos do globo, como o Brasil, Angola, Reino Unido, Checoslováquia e Espanha.

O franco reconhecimento internacional do engenheiro Agostinho Álvares Ribeiro revê-se também na sua participação como consultor dos aproveitamentos do Rio Cauca, um dos mais importantes cursos de água da Colômbia, e como membro da Comissão Internacional dos Rios Luso-Espanhóis.

Entre 2000 e 2003, o especialista em Geotecnia na Ordem dos Engenheiros foi presidente da Comissão de Avaliação de Molhes na Foz do Rio Douro e, do seu vasto currículo, consta ainda a integração no Conselho Superior de Obras Públicas, Transportes e Comunicações, bem como o convite para participar como conselheiro de diversas associações científicas. Em 2006, foi presidente da Comissão Científica do Encontro de Engenharia Civil da Galiza e do Norte de Portugal.

 

Texto e foto: Porto. / Etc e Tal jornal

 

01mar21

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.