Menu Fechar

Imobiliária espanhola investe 100 milhões de euros no Porto para 500 habitações a preços acessíveis

A imobiliária espanhola ARC Homes vai investir um total de 100 milhões de euros na cidade do Porto naquilo que denomina “um projeto desenhado para o mercado local que procura habitação a preços acessíveis”. Serão 500 habitações nas zonas da Prelada e das Antas, que estão a ser executadas por “uma empresa portuguesa, com profissionais portugueses para fazer casas para os portugueses”, sublinham os catalães.

O primeiro projeto a ganhar forma será o da Prelada, que prevê a construção de 156 casas junto ao jardim Sarah Afonso. Ao Negócios, o líder da empresa portuense contratada pela ARC Homes para a execução dos projetos, a Capital Urbano, adiantou que a construção deverá arrancar “ainda este ano, para estar concluída em 18 meses”.

Segundo Francisco Rocha Antunes, a venda destas casas terá início entre abril e maio, dependendo “da velocidade do desconfinamento”.

Com tipologias entre os estúdios e os apartamentos T3, os preços começarão nos 140 mil euros, com a média a rondar os 220 mil, uma resposta “a uma real procura por habitação a preços acessíveis no Porto”, afirma o CEO da ARC Homes, Jan Maarten Goedemans, à agência noticiosa espanhola EFE.

A ideia de trazer para o Porto o que tem vindo a edificar na Catalunha deverá refletir-se em “casas com grandes terraços, vista para parques públicos, espaçosas, facilmente conectadas ao centro da cidade, perto de complexos de lazer, centros de trabalho, educação ou hospitais”.

Ainda em negociação está a aquisição de dois terrenos junto ao Estádio do Dragão para a construção das restantes 350 habitações, onde serão investidos 70 milhões de euros.

Com a certeza de que este projeto traz “valor acrescentado ao Porto”, o responsável da imobiliária catalã sublinha que encontrou na cidade “uma autarquia com vontade de levar projetos para a frente com ajudas fiscais e agilidade no processo de licenças”. “É uma cidade em pleno desenvolvimento dos ‘novos’ destinos turísticos e um grande polo de atração para as empresas europeias que aí se instalam”, afirma Jan Maarten Goedemans.

Agindo para balançar o investimento de outras imobiliárias no mercado dos “hotéis, casas e alojamentos de luxo para estrangeiros, e em complexos de escritórios”, a ARC Homes acredita que o público do seu investimento “são as famílias que os bancos querem financiar”.

MUNICÍPIO PROMOVE HABITAÇÃO A PREÇOS ACESSÍVEIS

Recorde-se que o Executivo Municipal tem empreendido uma política de promoção de habitação a preços acessíveis, que pode assumir vários modelos de investimento: um modelo de investimento clássico, como o que está previsto para o terreno municipal de Lordelo do Ouro, onde a Câmara assumirá também o papel de principal investidora, estimando um investimento na ordem dos 44 milhões de euros, para a construção de 300 a 320 fogos a preços acessíveis; um modelo de investimento misto, como o que sucede nos terrenos municipais de Monte Pedral e Monte da Bela, que vão ser cedidos a privados, que ali terão a obrigatoriedade de construir habitação acessível; e um modelo de investimento privado, de que a ARC Homes é exemplo. Mesmo não sendo feito em terrenos municipais, o facto de este investimento ter como objetivo colmatar uma falha no mercado da habitação, obtém da parte da autarquia um conjunto de benefícios fiscais que permite acelerar o projeto.

 

Texto e imagem: Porto. / Etc e Tal jornal

01mar21

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.