Menu Fechar

Corrida à presidência da Câmara do Porto já tem concorrentes em aquecimento… mas ainda faltam algumas “estrelas” da prova

Vladimiro Feliz é o candidato do PSD à presidência da Câmara Municipal do Porto, e o de Rui Rio desde 2013, foi o próprio a afirmá-lo, no passado dia 23 de março, aquando da apresentação pública de Feliz, e de outros cabeças-de-lista a câmaras municipais da região do Porto.

Ora, assim sendo, e ao contrário de tudo o que foi noticiado e abordado pelo próprio líder dos social-democratas, fica a ideia que nunca houve interesse de Rui Rio em convidar Paulo Rangel ou Rui Moreira para a liderança executiva da autarquia portuense pelo PSD, já que, há oito anos, que a escolha do líder social-democrata estava feita. Ou, então, Feliz foi sempre uma escolha secundária, surgindo só depois dos convidados terem recusado o convite. Uma “infidelidade”?!

“O meu candidato é Vladimiro Feliz, desde 2013, se eu o pudesse determinar, na altura”, disse Rui Rio, que pelos vistos não conseguiu demover o seu partido de apresentar Luís Filipe Menezes como cabeça-de-lista à autarquia portuense, que a viria perder para Rui Moreira. De salientar que Vladimiro foi o “braço-direito”, que é como quem diz… “vice-presidente” de Rio quando este esteve à frente dos destinos da cidade.

“Vamos à Câmara do Porto para ganhar, não é para enfraquecer o que lá está. É para o substituir!”. Palavras de Rui Rio que assume o resultado que o PSD obterá nas eleições que não serão adiadas como queria, assim como a escolha que fez, com o apoio da concelhia, quanto ao cabeça-de-lista.

Foto: “Sol”

A marcar a agenda política no que concerne às Eleições Autárquicas, Rio apresentou também os candidatos do seu partido às presidências das câmaras municipais de Vila Nova de Gaia e de Gondomar, ou seja, António Oliveira e Jorge Ascenção, respetivamente.

O primeiro conhecido pela sua ligação ao mundo de futebol como futebolista, selecionador nacional e… empresário, e o outro como presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais (CONFAP). Ainda no que a Gaia diz respeito, Rio não confirmou a candidatura de Luís Filipe Menezes à presidência da Assembleia Municipal, mas sabe-se que este não aceitado o convite para fazer parte da lista liderada por Oliveira.

Quanto às farpas lançadas a Rui Moreira e ao atual presidente da CMVG, Eduardo Vítor Rodrigues, relativamente à ligação destes a órgãos sociais do FC Porto, Rio esqueceu-se que António Oliveira é o maior acionista privado da SAD portista. Relembrando-se, disse, depois, que não via nesse facto qualquer ”incompatibilidade”.

SÉRGIO AIRES É CABEÇA-DE-LISTA DO BLOCO À CÂMARA DO PORTO JUNTANDO-SE A MAIS TRÊS CANDIDATOS

Entretanto, o Bloco de Esquerda escolheu como candidato à Câmara do Porto, o sociólogo Sérgio Aires, independente, de 52 anos com percurso marcado pelo combate à pobreza e assessor no Parlamento Europeu. A atual deputada Susana Constante Pereira será a primeira candidata à Assembleia Municipal. Os nomes dos candidatos foram aprovados na noite do passado dia 23 de março, pela Comissão Coordenadora Concelhia do BE.

O Bloco de Esquerda lutará, quanto mais não seja, por um resultado histórico, ou seja, a eleição, pela primeira vez, de um vereador, facto que esteve quase para acontecer há três anos e meio, com João Teixeira Lopes a liderar a lista, mas os seus 6146 votos não chegaram para alcançar tal desiderato.

Assim sendo, para além do bloquista Sérgio Aires, do social-democrata Vladimiro Feliz, concorrerão também à presidência da Câmara do Porto, o independente Nuno Cardoso e André Eira, que se apresentará como cabeça-de-lista do mais novo partido português, o pan-europeísta, progressista e presente em 30 países, Volt.

Nuno Cardoso (Foto: Luís Navarro)
André Eira (foto: Volt)

 Ora, deste leque de candidatos, o mais conhecido do público em geral, é, sem dúvida, Nuno Cardoso, que já esteve á frente dos destinos da Câmara Municipal, uma vez que a aposta do PSD em Vladimiro Feliz, por mais consensual que tenha sido, e não retirando o valor ou qualquer tipo de competência ao candidato, digamos que não é o “peso-pesado” que se esperava do PSD para a segunda mais importante câmara do país.

INICIATIVA LIBERAL AO LADO DE RUI MOREIRA, O TAL CANDIDATO QUE AINDA NÃO O É, MAS QUE ATÉ OS ADVERSÁRIOS JÁ O AJUDAM NA CAMPANHA

Foto: Miguel Nogueira (Porto.)

Entretanto, a Iniciativa Liberal e o “Porto, O Nosso Partido” – que apoia e centraliza a sua ação em Rui Moreira -, chegaram a um entendimento, ficando, assim, reforçada a “coligação” com a presença dos liberais em torno do atual presidente da CMP, depois do mesmo acontecer com o CDS, MPT e Nós Cidadãos. Este facto nem foi de estranhar, uma vez que no executivo liderado por Rui Moreira, e nas hostes do movimento cívico que o apoia, são várias as figuras ligadas à IL, alguns depois de se terem afastado do CDS.

E, Rui Moreira não ata nem desata quanto à sua (mais que certa) decisão de recandidatar-se ao cargo que ocupa desde 2013, na Câmara Municipal do Porto. Sendo esta uma forma de “promoção” da sua imagem, aparecendo ao grande público como que “o desejado”, outras formas de promoção há que foram realizadas – por mais estranho que possa parecer – por algumas forças políticas adversárias, com destaque para o PSD de Rui Rio. Depois de tanto falarem dele, e ele ter tido um comportamento irrepreensível junto dos órgãos de comunicação social, respondendo, com “educação política” aos assuntos dos quais o colocaram como cabeça-de-cartaz.

PS: PIZARRO, CARNEIRO, OU…?

O PS, por seu turno, ainda não se decidiu quanto ao principal candidato a apresentar nas eleições para a Câmara do Porto. A dúvida manter-se-á entre Manuel Pizarro, que se recandidataria a um terceiro e último mandato, e José Luís Carneiro, o político natural de Baião e que é um nome forte na estrutura socialista liderada por António Costa? Ou será, que, para além destes dois nomes há mais algum a baralhar as contas dos socialistas? Fica a pergunta, sabendo-se que os socialistas terão, por certo, o desejo de ver regressar ao partido o eleitorado que se desviou, votando, em Rui Moreira. Um trabalho que não vai ser fácil, tudo dependendo da escolha que irão fazer para número um.

CDU VOLTA A “APOSTAR” EM ILDA FIGUEIREDO (?)!

Ilda Figueiredo (foto: Mariana Malheiro)

No PCP, e, consequentemente, na CDU – PCP/PEV formam a mais antiga coligação política nacional -, as Autárquicas na Invicta têm, como objetivo central, a preservação de um lugar na vereação da Câmara do Porto, e Ilda Figueiredo – que é a entrevistada em destaque na presente edição deste jornal – parece ser quem está melhor colocada para, neste caso, reassumir a liderança da lista, até porque, com os seus periódicos contactos com a população foi granjeando simpatias, o que é um facto sempre a ter em conta. Rui Sá poderá manter-se como número um à Assembleia Municipal.

JOSÉ MANUEL RIBEIRO RECANDIDATA-SE AO CARGO DE PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE VALONGO

Entretanto, em Valongo, o socialista José Manuel Ribeiro será, novamente, candidato à Presidência da Câmara Municipal

A Comissão Política Concelhia do Partido Socialista (PS) de Valongo, designou-o, depois de José Manuel Ribeiro recolheu, por voto secreto, 69 votos favoráveis e 1 branco, uma taxa de aprovação de 99%. Na reunião votaram 70 dos 71 membros da Comissão Politica.

O candidato agradeceu a confiança do Partido para mais uma recandidatura, bem como o reconhecimento do enorme trabalho de mudança e transformação do Concelho de Valongo, nos últimos sete anos, afirmando que o PS Valongo é hoje, no concelho, a “maior fonte de esperança num futuro melhor”.

O que aconteceu em Valongo, sucederá também, por certo, em Vila Nova de Gaia, com Eduardo Vítor Rodrigues, em Matosinhos, com Luísa Salgueiro, e em Gondomar, com Marco Martins e em Vila do Conde, com Maria Ferraz, onde o PS tem maioria.

 

Texto: José Gonçalves

Foto de destaque: Miguel Nogueira (Porto.)

 

01abr21

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.