Menu Fechar

O eletrocardiograma do adepto da região…

Orlando Esteves

 

Mergulhados num rigoroso confinamento que nos tem exigido tanto, não só pelo que temos de fazer, mas também pelo que abdicamos, encaramos abril com alguma esperança de que, gradualmente, seja possível ir conquistando um pouco daquilo de que temos tantas saudades.

Perante tal contexto, faz todo o sentido apelar à etimologia para estabelecer uma forte ligação entre o cenário anteriormente apresentado e a origem da palavra que representa o quarto mês do calendário gregoriano. Assim, coincidência ou não, saberemos que o vocábulo que representa este conjunto de trinta dias deriva do latim “Aprilis” que significa abrir, isto é, combinamos o valor semântico do mês que iniciamos com os passos seguros que, enquanto cidadãos, tentaremos dar rumo ao desconfinamento.

Nesta caminhada com um perfil extremamente exigente, é certo que ainda teremos de andar mais um pouco até ser possível colocar um pé no interior dos estádios de futebol e, dessa forma, quebrar a tendência que se tem verificado no último ano: eventos desportivos com as bancadas ocupadas por um silêncio ensurdecedor para os executantes e, naturalmente, para aqueles que, de forma apaixonada, costumavam ocupá-las.

Embora seja evidente que parte da essência do futebol está, por esta altura, privada de “empurrar” presencialmente os seus jogadores até às metas definidas, a verdade é que, com recurso aos variadíssimos meios tecnológicos de que dispomos ou a outras formas engenhosas que temos observado, nunca deixarão de o fazer.

Na contagem decrescente para o final das competições da presente época desportiva, volta a fazer sentido mencionar o valor semântico da palavra “abril” já que, por esta altura, o campo vai sendo desbravado, abrindo perspetivas para quais serão, exatamente, os objetivos reais de cada clube nesta fase final da temporada.

À semelhança do que alguns jogadores vão partilhando relativamente ao facto de os níveis de nervosismo serem superiores no banco dos suplentes e não no interior das quatro linhas, é provável que esse espírito seja transportado para o adepto que, por esta altura, na impossibilidade de dar o seu contributo no estádio, viverá a sensação de nada poder fazer para ajudar aqueles que envergam as camisolas do seu clube.

É certo que, nas próximas semanas, a frequência cardíaca daqueles que acompanham o futebol de forma regular atingirá níveis superiores pois cada clube, seja em que competição for, seja em que zona da tabela for, estará a jogar o seu futuro e esse, não duvidemos, será com as pessoas a acompanhar as suas equipas.

CLASSIFICAÇÕES DAS EQUIPAS DA REGIÃO (até 31mar21)

Liga NOS

2.º FC Porto (acesso direto à fase de grupos da Champions League)

5.º Paços de Ferreira (acesso à nova Europa Conference League)

9.º Rio Ave

17.º Boavista (despromoção)

Liga Portugal SABSEG

7.º Penafiel

12.º Leixões

15.º Varzim

Campeonato de Portugal – Série B

5.º Felgueiras (apuramento para a fase de acesso à nova 3ª liga)

7.º AR São Martinho

8.º Tirsense

Campeonato de Portugal – Série C

1.º Gondomar (apuramento para a fase de acesso à Liga Portugal SABSEG)

2.º Leça (apuramento para a fase de acesso à nova 3.ª liga)

3.º Trofense (apuramento para a fase de acesso à nova 3.ª liga)

5.º Amarante (apuramento para a fase de acesso à nova 3.ª liga)

6.º Pedras Rubras

7.º Paredes

8.º Salgueiros

10.º Coimbrões (despromoção)

Campeonato de Portugal – Série D

3.º Canelas 2010 (apuramento para a fase de acesso à nova 3ª liga)

6.º Valadares Gaia

O MÊS DE MARÇO DAS EQUIPAS DA REGIÃO

À semelhança da última análise, é fundamental abordar o que aconteceu em março sem desconsiderar o escalão competitivo em que cada instituição se encontra já que, como é percetível, a Liga NOS, a Liga Portugal SABSEG e o Campeonato de Portugal são três contextos totalmente distintos sendo que, no terceiro escalão do futebol português, é necessário isolar cada série que, por vários motivos, também apresentam algumas diferenças, seja no número de participantes, seja, por consequência, no número de jornadas realizadas. Por ser assim, façamos um ponto de situação em cada contexto para que, de seguida, possamos detalhar o momento atual de cada clube.

No primeiro escalão do futebol português, foram concluídas vinte e quatro jornadas ou, por outras palavras, restam dez desafios que, no seu conjunto, valem trinta pontos. Por ser assim, os próximos meses prometem porque, neste momento, nada está decidido contudo, o próximo mês terá o poder de nos elucidar sobre o que poderá acontecer.

Na Liga Portugal SABSEG, simplificando um pouco a questão, existem dois lugares desejados por todos, um que poderá ser uma opção bastante positiva e que, por ser assim, será uma excelente alternativa para quem não conquistar os dois primeiros e, por fim, os últimos dois que ninguém quer ocupar. A oito jornadas do fim, a expectativa é grande porque, como é possível constatar pelo que tem acontecido ultimamente, uma série de resultados positivos pode inverter o que seria, para muitos, o mais provável, seja nos lugares mais ambicionados, seja naqueles onde nenhum quer terminar.

Por último, no escalão que reúne mais participantes, o cenário é totalmente distinto devido à organização da competição. Por agora, as equipas jogam as derradeiras jornadas desta primeira fase que selecionará quatro grupos: o primeiro grupo terá o líder de cada série que integrará a fase de acesso à Liga Portugal SABSEG, ou seja, serão formados dois grupos de quatro equipas e, no final, o vencedor de cada um será promovido ao segundo escalão do futebol português enquanto que, num cenário não tão positivo mas, ainda assim, agradável, as restantes equipas participarão na nova 3ª liga; o segundo conjunto de equipas será constituído por aquelas que, na sua série, ocuparam as segundas, as terceiras, as quartas e as quintas posições, isto é, formarão grupos de quatro equipas havendo, naturalmente, um cruzamento entre séries nos quais os segundos e terceiros classificados defrontarão sempre os quartos e quintos de outra série sendo que, no final, os dois primeiros serão promovidos à 3ª liga e, no que diz respeito às restantes, continuarão a disputar o Campeonato de Portugal; quanto ao terceiro grupo de equipas, essas garantem a manutenção no escalão em que se encontram; por fim, os que ainda não foram referidos enfrentarão a despromoção às divisões dos respetivos distritos.

Liga NOS

Paços-Moreirense

-Num mês marcado por cinco jogos, distribuídos por três competições, sendo duas delas a eliminar, a realidade é que o Porto termina o mês de março em crescendo ainda que, por outro lado, não deva esquecer o primeiro desafio que realizou frente ao Braga e que ditaria a sua eliminação numa competição que conquistou na época transata. Ainda assim, grande destaque para uma vitória épica na eliminatória da Champions frente ao atual campeão italiano Juventus e, claro, nunca desvalorizando o facto de ter vencido todos os desafios que tinha para o campeonato e que, dessa forma, vão dando algum fundamento a uma difícil, mas matematicamente possível ambição de conquista da Liga NOS;

-Em Paços de Ferreira, só é surpreendido quem anda desatento. Num mês com três jornadas para realizar, os “castores” venceram os seus oponentes nos dois jogos que realizaram em casa enquanto que, na visita ao Dragão, foram derrotados. Com estes resultados, o clube ficou mais distante dos primeiros quatro no entanto, encarará abril com mais nove pontos que o sexto classificado: o Vitória SC;

-Num campeonato extremamente competitivo, o Rio Ave vai mantendo uma posição na primeira parte da tabela porém, tem apenas mais seis pontos que a equipa que ocupa o primeiro dos lugares que colocam em perigo a permanência. Embora esse seja um cenário que, para já, não parece possível, seja pela margem pontual, seja pela qualidade do grupo de trabalho, a verdade é que, num mês onde era possível somar doze pontos, apenas foram conquistados cinco, frutos da vitória frente ao Farense e os empates com o Moreirense e B SAD:

-Para o Boavista, o início do mês foi bastante promissor: vitória com três golos sem resposta frente ao Famalicão, adversário direto na luta pela manutenção. Ainda assim, nos jogos seguintes, o Boavista foi incapaz de marcar um golo, seja no Estádio da Luz, desafio que seria, à partida, de enorme dificuldade, seja na sua própria casa frente ao Farense, equipa que também vai batalhando por um lugar na Liga NOS da próxima temporada;

Liga Portugal SABSEG

-Por Penafiel, o mês foi recheado de desafios: sete, no total. Devido ao facto de, no último mês, terem existido vários elementos do clube infetados com Covid-19, a equipa tem agora de, paulatinamente, regularizar a sua situação e, como tal, acabou por fazê-lo, quando existiu oportunidade para tal. Como consequência desse processo, podemos verificar uma subida na tabela classificativa, depois de três vitórias importantes, sendo duas delas fora, nomeadamente na Covilhã e em Arouca. Por outro lado, as derrotas perante adversários que, nesta altura, vão sonhando com os lugares cimeiros não permitiu uma ascensão mais significativa o que, por esta altura, parece ditar uma fase final da temporada mais tranquila, não havendo a preocupação de uma possível despromoção ou, por outro lado, a emotividade de disputar um possível acesso à Liga NOS;

-O Leixões voltou a ter um mês bastante difícil no que a resultados diz respeito, sendo a sua descida na classificação uma prova disso. Na primeira jornada do mês anterior, conquistou um triunfo que, nestes dias, se revela valioso, dada a subida de forma do seu adversário, o Varzim. Para além disso, depois de conquistar apenas quatro pontos em doze possíveis, o clube de Matosinhos vai ficando à mercê de conjuntos que vão lutando pela permanência e que, ultimamente, têm sido bastante competitivos;

-Pela Póvoa de Varzim, a esperança na manutenção foi renovada com três vitórias muito importantes, uma delas em Coimbra, frente a uma Académica que vai sonhando com o regresso ao primeiro escalão do futebol português. Para além disso, com os nove pontos somados, foi possível abandonar a zona de despromoção, algo que não acontecia há meses. Tendo isto em conta, mantendo a toada, a permanência será, definitivamente, algo possível.

CAMPEONATO DE PORTUGAL – SÉRIE B

-A duas jornadas do fim, o futuro do Felgueiras ainda está por definir. Se, por um lado, a derrota em Fafe ditou a impossibilidade de disputar a fase de acesso à Liga Portugal SABSEG, a verdade é que a quinta posição continua a alimentar o sonho de conquistar uma promoção, ainda que para a 3ª liga. Para que tal aconteça, é crucial conquistar resultados positivos frente a dois adversários que têm a mesma ambição: o Berço e o Rio Ave B. Para já, a equipa treinada por Pintassilgo depende apenas de si para assegurar este objetivo;

-Se, no mês anterior, tínhamos abordado as perspetivas da AR São Martinho de forma muito positiva, a verdade é que, hoje, não o podemos fazer da mesma forma. Depois de um mês sem desafios realizados, consequência de determinadas questões que impediram alguns conjuntos de disputaram a série na qual estavam inseridos, a queda para a sétima posição foi uma realidade. Ainda que tal facto esteja ligado a acertos no calendário, a verdade é que, nesta fase, a maioria dos emblemas desta série já têm o mesmo número de jornadas realizadas e, nesta fase, é certo que o emblema de São Martinho do Campo tem a permanência assegurada e encarará as derradeiras jornadas com a esperança de integrar uma das cinco primeiras posições;

-Também em Santo Tirso, a manutenção foi garantida com uma vitória frente ao Brito por 3-2, sendo este o último desafio oficial realizado pelos “Jesuítas” na presente época desportiva, a mesma que representou o regresso deste emblema histórico do futebol português aos campeonatos nacionais;

CAMPEONATO DE PORTUGAL – SÉRIE C

Salgueiros – Paredes

-Sobre o Gondomar, registamos a vitória por 1-0 frente a um adversário com qualidade: o Marítimo B. Com este resultado e com os que se verificaram nas outras partidas, é possível referir que, neste momento, estão em boas condições para manter a liderança nas derradeiras jornadas ainda que, como já foi comprovado, esta é uma série onde qualquer resultado é possível e, como tal, um jogo menos conseguido poderá ditar uma queda na classificação;

-Depois de várias jornadas na liderança, o Leça não depende de si para subir ao primeiro lugar contudo, para lá chegar, é fundamental que vença os seus desafios, colocando pressão no seu adversário. No último mês, os sinais não foram muito positivos já que, embora tenha vencido o último jogo frente ao Salgueiros, também foi goleado pelo Marítimo B por quatro golos sem resposta;

-Na Trofa, o sonho de chegar à liderança ainda permanece. Para que tal aconteça, é imperativo vencer os seus jogos e colocar pressão nas equipas que estão à sua frente. Ainda assim, em março, o Trofense desperdiçou a oportunidade de chegar à liderança com uma derrota em Vila Real por 1-3, sofrendo tantos golos nesta partida como no restante campeonato até à data;

-Na mesma série, mas numa “guerra” à parte, o Amarante encara o próximo mês com a ambição de integrar o lote dos primeiros cinco classificados e, ao mesmo tempo, com a preocupação de evitar a queda num dos lugares de despromoção visto que, nesta altura, são apenas três pontos que separam o quinto e o nono classificado. Assim, se no último mês o Amarante perdeu o único jogo que disputou, diante do Trofense, a realidade é que depende de si para conquistar o seu objetivo sendo que, para tal, terá de ultrapassar adversários que também legítimas ambições para conquistar os seus objetivos;

-O Pedras Rubras também vive, nesta fase, um misto de sensações: por um lado, a possibilidade de jogar a fase de acesso à 3ª liga ou, por outro, a possibilidade ser despromovido. Pelos resultados obtidos no último mês, ou seja, duas derrotas, três golos sofridos e nenhum marcado, a verdade é que a permanência poderá ser a verdadeira preocupação contudo, é certo que também estarão atentos a uma possível ascensão à quinta posição;

-Por Paredes, também não será fácil apontar um desfecho provável já que, em março, foram conquistados três pontos na receção ao Vila Real no entanto, também se registou a derrota frente ao Salgueiros. Com estes resultados, ainda não está definido o escalão em que estarão inseridos embora, pela posição que ocupam, o mais provável seja o Campeonato de Portugal. Ainda assim, é certo que estarão atentos à possibilidade de chegar ao quinto lugar, nunca ignorando a possibilidade de cair nos lugares de despromoção;

-Para o Salgueiros, a queda nos lugares de despromoção é uma preocupação bem realista contudo, o sonho de disputar a fase de acesso à 3ª liga também poderá tornar-se realidade. Para tal, é fundamental vencer as jornadas por disputar, replicando o triunfo conseguido frente ao Paredes e não a derrota em Leça da Palmeira, isto no que aos resultados diz respeito;

-Embora seja matematicamente possível, a manutenção é, neste momento, uma tarefa de elevado grau de dificuldade para o Coimbrões. Depois de um mês que até começou com um triunfo por 2-0 frente ao Pedras Rubras, a goleada por 0-4 perante o Marítimo B quase que ditou a despromoção contudo, como se costuma ouvir por aí, “enquanto há vida, há esperança” e, como já tivemos oportunidade de constatar em diversos momentos, no futebol não há impossíveis.

CAMPEONATO DE PORTUGAL – SÉRIE D

-Março foi, para o Canelas, um mês sem momentos de felicidade: para além da queda ao terceiro lugar, apenas foram conquistados dois empates a zero frente ao São João de Ver e ao Águeda. Para além disso, com estes resultados, embora seja matematicamente possível, a liderança será muito difícil de alcançar, pois ficou a uma distância de quatro pontos quando há apenas seis por conquistar;

-Em Valadares, a manutenção está quase assegurada, depois de uma série de resultados bastante positiva na qual estão inseridas as vitórias do último mês: triunfo por 2-0 frente ao Águeda e os três pontos conquistados na visita ao reduto da Sanjoanense. Fruto deste último resultado, ocupar um lugar de acesso à 3ª liga ainda é uma possibilidade sendo que, para tal, é fundamental vencer as duas últimas jornadas.

JOGOS ENTRE EQUIPAS DA REGIÃO EM ABRIL

LIGA NOS

26.ª jornada

Boavista – Rio Ave

27.ª jornada

Boavista – Paços de Ferreira

29.ª jornada

Rio Ave – Paços de Ferreira

Liga Portugal SABSEG

28.ª jornada

Leixões – Penafiel

Campeonato de Portugal – Série C

13.ª jornada

Coimbrões – Salgueiros

21.ª jornada

Coimbrões – Gondomar

Amarante – Paredes

Salgueiros – Pedras Rubras

22.ª jornada

Leça – Amarante

Paredes – Trofense

 

 

Fotos: pesquisa Web

 

01abr21

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.