Menu Fechar

“Porto Design Biennale 2021” anuncia os vencedores da “open cal”

A Porto Design Biennale (PDB) já revelou os oito projetos vencedores da “open cal”, que a organização lançou no âmbito da programação paralela, e que vão integrar as atividades satélite do evento, com data marcada para os meses de junho e julho.

“Yugen App”, de Alexander Burenkov, “A Recoletora”, de Alexandre Delmar, “Outras Paisagens: Petit folies sobre o Douro”, de Ana Neiva e João Nuno Gomes, e “Caring Assemblies. Designing for better futures”, de Bartlebooth – Antonio Giráldez, López e Pablo Ibáñez Ferrera são quatro dos projetos selecionados do programa paralelo.

Os restantes quatro projetos escolhidos para as atividades satélite da PDB’21 foram: “Control Wars Laboratorio”, por Grace Turtle; “For the Record: The Politics of Design in Music Video”, por Het Nieuwe Instituut; “Exploratório com impact: design participativo para o habitat dos 99%”, por Inês Alves e Lara Plácido; e “Aqui ficam dragões”, por Luis Galan.

A segunda edição da “Porto Design Biennale”, promovida pelos municípios do Porto e de Matosinhos, e organizada pelo centro de investigação da Escola Superior de Arte e Design (ESAD), realiza-se entre os dias 2 de junho e 25 de julho, altura em que as duas cidades serão o epicentro europeu de uma reflexão sobre o design, em todas as suas dimensões.

Sob o mote “Alter-Realidades: Desenhar o presente”, a organização explica que, tendo como eixo central esta reflexão, as candidaturas selecionadas nesta convocatória aberta “desenham um caderno de atividades, instalações, oficinas e criação que, entre o digital e o espaço público, se propõem a traçar novas linhas de conexão entre as comunidades locais, a debater a diversidade e a preservação ambiental e a apontar rotas para um futuro que transformem as relações de poder e combatam a exclusão social”, cita a agência Lusa.

Escolhida também já está a equipa de design gráfico que irá ser responsável por “desenvolver a imagem visual da Biennale que, este ano, estará nas mãos do coletivo 1234, composto por Irina Pereira, João Castro, Miguel Almeida e Serafim Mendes”, refere ainda a organização.

“Jogos, aplicações, workshops, ciclos de conversa, visitas guiadas, jantares, instalações e performances” serão algumas das propostas que integrarão o programa de atividades a ser desenvolvido durante os meses de junho e julho.

A PDB sublinha ainda que “o grande desafio do evento para este novo ano é o de convocar a sociedade, a academia, a indústria, as instituições e os agentes culturais para uma reflexão dinâmica sobre a construção de um futuro ‘glocalizado’”.

Depois de a primeira edição, em setembro de 2019, ter elegido Itália como país convidado, a Porto Design Biennale voltou-se agora para França, como país igualmente fértil no que diz respeito ao desenvolvimento da disciplina, e contará com a curadoria de Alastair Fuad-Luke, professor de Investigação em Design na Universidade Livre de Bozen-Bolzano (Itália) e também ativista.

Na edição do ano passado, a PDB mobilizou cerca de 50 mil pessoas ao longo de 81 dias, num programa que integrou cerca de 300 projetos e 60 eventos, entre exposições, oficinas, performances, instalações e conversas, apresentados em 37 espaços das cidades do Porto e Matosinhos, que envolveram 20 curadores e 310 participantes de 18 nacionalidades.

 

Texto: Porto. / Etc e Tal jornal

Foto: Miguel Nogueira (Porto.)

01abr21

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.