Menu Fechar

Póvoa de Varzim – A Camisola Poveira… É Nossa!

O presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, Aires Pereira, confirma que foi contactado, pela primeira vez no passado dia 25 de março ao final da tarde, por uma representante da empresa Tory Burch que, em nome da marca, reconheceu a gravidade do episódio, lamentou o sucedido e se disponibilizou, de imediato, a agilizar a reparação dos danos causados à comunidade poveira por este ato irrefletido e indevido de apropriação cultural.

Apesar de agradecer o inevitável reconhecimento público do erro por parte da empresa, o Município da Póvoa de Varzim reitera agora o mesmo que comunicou aos representantes da marca, desde o primeiro momento – o pedido de desculpas não é suficiente.

O mesmo deve fazer-se acompanhar, imperiosamente, de uma justa reparação à comunidade poveira; em particular aos artesãos locais que, há mais de 150 anos, se dedicam à elevação da nossa identidade histórica e cultural através do fabrico da Camisola Poveira, com recurso a técnicas ancestrais e artesanais com origem no concelho da Póvoa de Varzim.

Esta condição base de restauração necessária imposta pelo Município da Póvoa de Varzim, em defesa da honra do património imaterial e identidade comunitária que orgulhosamente representa, traduziu-se na proposição das seguintes cláusulas:

  1. Estabelecimento de contacto direto entre a empresa Tory Burch e os artesãos da Póvoa de Varzim que se dedicam à confeção da Camisola Poveira, para a promoção de iniciativas conjuntas no futuro, visando a concertação de esforços com vista à elevação do artesanato local, a partilha de boas práticas e à construção de uma relação institucional entre o Município e a empresa, baseada em valores de boa-fé, cooperação e consciencialização da diversidade cultural;
  2. A produção e confeção de um novo modelo ou versão da camisola ou de qualquer outro item ou peça de roupa/vestuário com símbolos, referências ou inspirações na cultura poveira, que a empresa Tory Burch pretenda comercializar de futuro, deve ser obrigatoriamente feito em Portugal, pelos artesãos locais radicados na Póvoa de Varzim;
  3. Financiamento por parte da empresa Tory Burch, em termos e condições a definir, da criação de um centro de formação de artesanato dedicado à profissionalização da confeção da Camisola Poveira, cuja instalação terá lugar no Centro Empresarial da Póvoa de Varzim;
  4. Continuação da identificação da inspiração na Póvoa de Varzim na designação do produto comercializado com a referência da Camisola Poveira, pela empresa Tory Burch;
  5. Continuação da divulgação da origem, importância histórica, contextualização cultural e ligação direta à hiperligação do site da CMPV na caixa de descrição do produto comercializado com a referência da Camisola Poveira, pela empresa Tory Burch.

Pese embora o Município da Póvoa de Varzim tenha aberto esta janela de oportunidade de negociações com a empresa, esta não acedeu, em tempo útil, à materialização da proposta na sua totalidade.

Posto isto – e tratando-se da preservação de um ex-libris do nosso concelho com imensurável valor, não só para as gerações de poveiros que veem no mesmo um verdadeiro símbolo representativo de luta da classe popular contra as adversidades, mas também para a restante população portuguesa que, de forma carinhosa e patriótica, acolheu e dignificou esta causa – o Município da Póvoa de Varzim decidiu aceder à vontade expressa pelo Estado Português de dar, a partir de agora, o devido seguimento judicial ao caso, por forma a salvaguardar, em nome da comunidade poveira, a valorização, proteção e preservação do património imaterial nacional.

MAIS DE TRÊS MILHÕES PARA DAR CONTINUIDADE À “VIA B”

A Avenida 25 de Abril – mais conhecida como Via B – é uma das principais artérias da Póvoa de Varzim, na medida em que atravessa e liga de forma eficiente a cidade entre si. Implantada entre o limite do concelho vizinho, na EN206, e a avenida do Mar, junto à ligação com a A28, a Via B assume-se como a principal via de tráfego no eixo norte-sul e uma alternativa à congestionada Estrada Nacional 13.

Desde o início da sua construção, o Município da Póvoa de Varzim já investiu quase 12 milhões de euros (11.872.042,16 €) em aquisição de terrenos, obras, faixas de rodagem, ciclovias, passeios, iluminação pública e paisagismo, com o objetivo de melhorar a mobilidade, circulação e acessibilidade no nosso concelho. Deste valor global, mais de 3 milhões de euros pertencem à atual fase da via para norte da Avenida 25 de Abril.

Ao todo, a Câmara Municipal despendeu 1.120.000 € para a aquisição de terrenos e 2.645.000 € para a execução da empreitada em curso. Este investimento do Município surge como solução à crescente sobrecarga do tráfego na entrada/saída da cidade, especialmente nas horas de ponta.

Trata-se da criação de uma via alternativa – prevista no Plano de Urbanização da cidade – que se revela essencial para a gestão e sustentabilidade da rede viária, tal como pode ser observado na Planta de Delimitação da Intervenção abaixo (a vermelho está a delimitação da presente empreitada, a amarelo tracejado estão as futuras fases).

Esta fase das obras corresponde ao prolongamento da via, desde a rotunda existente na Avenida do Mar, até à Rua das Sencadas / Rua José André, na zona mais a norte. Da empreitada, cuja duração é de 12 meses, constam os trabalhos de terraplenagem e pavimentação de faixas de rodagem em pavimento betuminoso, a instalação de sistema de drenagem pluvial, as infraestruturas de abastecimento de água e saneamento, a rede de iluminação pública, o sistema de sinalização e demais trabalhos de construção civil inerentes.

ELIMINADAS CERCA DE 20 TAXAS AOS CONCESSIONÁRIOS DE PRAIAS

À semelhança dos anos anteriores o Presidente da Câmara Municipal fez questão de organizar, durante a tarde de ontem, uma reunião preparatória da próxima época balnear com todas as partes interessadas.

A reunião contou com a presença dos concessionários e das entidades com responsabilidade direta no funcionamento da época balnear, designadamente o Capitão do Porto da Póvoa de Varzim e Vila do Conde, Comandante Bruno Teles, o Delegado de Saúde da Unidade de Saúde Pública do ACES Póvoa de Varzim/ Vila do Conde, Doutor Luís Castro, o representante da Docapesca, Eurico Martins, o Presidente da Associação de Nadadores-Salvadores – Os Delfins, Carlos Ferreira, a Presidente da Associação de Concessionários de Praia, Fátima Cunha, e os Presidentes de Juntas de Freguesia do concelho.

Aires Pereira deu início à sessão sublinhando que a portaria que define o início e fim da época balnear não foi ainda publicada, mas que a expectativa é de que a mesma “não será certamente muito diferente da do ano passado, especialmente no que se refere ao plano de prevenção da pandemia”. O presidente da Câmara assumiu que continuará a dar total apoio aos concessionários.

A grande novidade para este ano prende-se com a transferência para o Município das competências de licenciamento de toda a orla costeira, o que permitiu uma simplificação dos procedimentos. Aires Pereira informou que o Município da Póvoa de Varzim decidiu “facilitar o processo ao diminuir o número de taxas relativas à ocupação de espaço público, eliminando cerca de vinte taxas que existiam no passado”. O autarca esclareceu, ainda, que a instrução dos processos relativos às licenças se mantém nos mesmos locais, fruto de protocolos de cooperação estabelecidos quer com a Capitania, a Docapesca e a APA.

Todas as entidades intervenientes aludiram ao sucesso da época balnear de 2020 – com zero fatalidades registadas, reforço das instalações dos lava-mãos e lava-pés, instalação complementar de dispensador de álcool-gel na frente balnear e reforço dos equipamentos da recolha de resíduos – e fizeram votos para que o espírito de colaboração entre todas as partes se mantenha este ano.

EXECUTIVO CAMARÁRIO REAFIRMA “EDUCAÇÃO” COMO UMA DAS SUAS PRIORIDADES

Durante a reunião de câmara realizada na tarde do passado dia 23 de março – e dando continuidade àquela que tem vindo a ser a sua atuação ao longo do atual mandato – o Executivo Municipal foi consensual ao se pronunciar e decidir sobre o reforço da qualidade e acesso à educação no concelho da Póvoa de Varzim.

Em primeiro lugar, foi aprovada a adjudicação da empreitada da Escola de Nova Sintra, no valor aproximado de 25 mil euros, que vai permitir a execução de trabalhos de construção civil necessários à abertura e funcionamento das valências de Jardim de Infância e ATL do Instituto Maria da Paz Varzim.

Aires Pereira comunicou, ainda, que – graças à verba de apoio atribuída, na passada reunião, pela autarquia ao Rotary Club da Póvoa de Varzim – foi possível conceder quatro bolsas de estudos a estudantes universitários poveiros. A este respeito, o Presidente da Câmara ressaltou que “o nosso futuro depende das próximas gerações, pelo que temos que continuar a garantir que todas as crianças e jovens que residem no concelho da Póvoa de Varzim têm igualdade de oportunidades de aprender, independentemente das suas condições familiares ou dificuldades financeiras”.

Por fim, o Executivo ratificou o Despacho da Presidência para a abertura de concurso público internacional para aquisição de serviços de limpeza urbana, com o objetivo de assegurar as melhores condições de salubridade dos espaços públicos (designadamente dos arruamentos, passeios e praças) da cidade da Póvoa de Varzim e da vila de Aver-o-Mar.

CÂMARA MUNICIPAL INVESTE MAIS MEIO MILHÃO DE EUROS NA FREGUESIA DA ESTELA

A freguesia da Estela recebeu, recentemente, a visita do presidente da Câmara, no âmbito da política de proximidade que o Executivo Municipal faz questão de manter junto de toda a população do concelho.

Durante a visita, Aires Pereira verificou de perto os trabalhos de pavimentação e repavimentação em curso na freguesia. Decorrida a época de inverno, impõe-se agora corrigir o impacto que a mesma teve, ao nível do abatimento dos pavimentos, de forma a garantir que as condições de habitabilidade e de circulação se mantêm. É o caso, por exemplo, dos dois arruamentos disponíveis abaixo, que ficaram visivelmente afetados e que, por isso, vão ser reabilitados com a maior brevidade possível.

Trata-se de um investimento adicional no valor aproximado de 500 mil euros que vai cobrir mais de uma dezena de vias, tais como a Rua Martins Felgueiras, Rua da Madrugada, Rua das Urzes, Rua Sra. da Boa Viagem, Rua das Pedras Brancas, Rua Sra. de Fátima, Rua Dr. Gomes dos Santos, Rua da Pedrinha e Rua da Cova do Lobo.

Aires Pereira entende que este esforço financeiro adicional por parte da Câmara Municipal é “vital para garantir a qualidade dos acessos e ligações à Estela e, também, para valorizar alguns pontos da freguesia que merecem ser melhorados, como é o caso do Lugar do Teso e do Lugar do Outeiro”.
Estas visitas às freguesias são a oportunidade que o Presidente da Câmara tem de atender aos pedidos prementes dos munícipes e de ouvir a opinião dos moradores sobre as intervenções de melhoria em curso ou já concluídas. Na Estela, um dos reparos mais recorrentes da população foi o de reforço, em alguns pontos da freguesia, do número de ecopontos (ex: Rua das Pedras Brancas) e da iluminação pública (ex: Rua da Cova do Lobo). Ficou a garantia aos moradores, por parte do Presidente da Câmara Municipal, que ambas as situações ficarão resolvidas nos próximos dias.

AÇÃO DE PLANTAÇÃO EM SÃO PEDRO DE RATES

A Câmara Municipal da Póvoa de Varzim e a Junta de Freguesia de São Pedro de Rates levaram a efeito uma plantação com mais de 300 exemplares de espécies de arbustos e árvores autóctones na vila, para assinalar a chegada da Primavera e o Dia Mundial da Árvore.

O local escolhido para a plantação foi o parque verde de São Pedro de Rates, junto ao moinho de vento que integra o Eco Museu de Rates. Para a plantação foram utilizadas espécies de arbustos como a erica, o medronheiro e o pilriteiro, e as bétulas como exemplares arbóreos. Todos os exemplares foram cedidos no âmbito do projeto “O Futuro”, projeto do qual o município é integrante desde o primeiro momento.

Contrariamente aos anos anteriores, em que a comunidade escolar local marcou presença, desta vez – e face à situação epidemiológica em que o país se encontra – a ação decorreu apenas com o apoio dos colaboradores da autarquia.

Recorde-se que as árvores desempenham um papel fundamental na promoção da biodiversidade no concelho e na sua adaptação às alterações climáticas, melhorando, consequentemente, a qualidade de vida e o bem-estar dos cidadãos.

CÂMARA MUNICIPAL INVESTE NA LIGAÇÃO ENTRE FREGUESIAS, SOB O LEMA “UM CONCELHO UNIDO”

A Póvoa de Varzim assume-se hoje como um município sustentável, coeso e interligado. Isto é fruto de uma aposta diária na valorização do território e na correspondência direta às reais necessidades da comunidade poveira, como a circulação dos munícipes entre as nossas freguesias e a eficiência nos acessos às instituições, associações e serviços por todo o concelho.

Um dos casos paradigmáticos disto mesmo é a recente melhoria na interligação entre as freguesias de Terroso e de Laúndos. Esta obra resultou de um apoio financeiro transferido pela Câmara Municipal da Póvoa de Varzim à Junta de Freguesia de Laúndos e à União de Freguesias de Aver-o-Mar, Amorim e Terroso, no valor global de 210.065,50 €.

A verba atribuída pela autarquia permitiu pavimentar a Rua do Fontenário em Laúndos e a Rua das Poças em Terroso, bem como potenciar uma ligação mais eficiente e direta entre as duas freguesias; mais propriamente desde o lugar de Rapijães, em Laúndos, até ao lugar de Sejães, em Terroso. A empreitada incluiu o alargamento, recuperação e pavimentação dos arruamentos, a substituição das condutas de águas pluviais em alguns troços e a valorização das zonas envolventes.

Além disso, houve um reforço da conexão dos munícipes ao MAPADI em Terroso – um pólo descentralizado desta instituição local que apoia pessoas com deficiência intelectual. Para o Presidente da Câmara, “esta nossa preocupação em considerar as associações da Póvoa de Varzim e de as integrar no planeamento das obras que a autarquia planeia e executa, demonstra bem que mais do que fazer obra… estamos focados em unir o concelho!”.

“Esta é também uma forma de tornar mais cómodo e facilitado o acesso de quem todos os dias entra e sai do pólo do MAPADI em Terroso para trabalhar”, referiu Aires Pereira, “e de agradecer e recompensar quem dedica o seu dia-a-dia em prol da coesão social da nossa comunidade”. A Câmara Municipal continuará a desenvolver um trabalho de proximidade, no terreno e de plena articulação com os seus parceiros, nos quais se incluem as Juntas de Freguesia e as instituições locais.

OBRAS DE RECUPERAÇÃO DAS RIBEIRAS DA BARRANHA E DAS PEDRAS NEGRAS EM AGUÇADOURA

Arrancaram, esta semana, os trabalhos de requalificação ambiental dos troços terminais das ribeiras da Barranha e das Pedras Negras, na freguesia de Aguçadoura. Estas intervenções de reabilitação fluvial, promovidas pelo Município da Póvoa de Varzim no âmbito de um contrato interadministrativo celebrado com a Agência Portuguesa do Ambiente (APA), terão a duração prevista de 120 dias e vão permitir um aumento da resiliência dos ecossistemas costeiros aos efeitos das alterações climáticas.

A este respeito, Aires Pereira relembrou que “como se sabe, a nossa preocupação em garantir que a Póvoa de Varzim é ambientalmente sustentável não é de agora”, adiantando que “esta recuperação ambiental de duas ribeiras em Aguçadoura faz parte de uma estratégia, que temos vindo a adotar desde há muito, no âmbito da valorização das linhas de água do nosso concelho”.

A implementação desta estratégia municipal alargada visa fomentar a valorização paisagística e a biodiversidade associada à rede hídrica, ao mesmo tempo em que se valorizam as zonas envolventes e se promove a qualidade de vida da comunidade poveira.

Estas obras compreendem ações de limpeza de vegetação “infestante”, consolidação e renaturalização das margens e melhoria dos habitats com plantação de exemplares de vegetação autóctone e recurso a técnicas de engenharia natural; abrindo-se lugar à recuperação dos perfis naturais dos troços dos ribeiros litorais, à valorização das galerias ripícolas e à criação de corredores ecológicos.

AIRES PEREIRA ACOMPANHOU OBRAS DE SANEAMENTO EM RATES QUE SE ENCONTRAM EM FASE DE CONCLUSÃO

O presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim foi até São Pedro de Rates para avaliar a evolução da obra de instalação de rede de saneamento na freguesia.

Esta visita contou com a presença do Presidente da Junta, Paulo João Silva, e insere-se no âmbito do compromisso assumido por Aires Pereira de promover uma política de proximidade coesa em todo o concelho.

Ao longo da visita, o Presidente da Câmara Municipal teve a oportunidade de verificar a instalação de rede de saneamento na vila, uma obra com um custo global de cerca de 1 milhão e 800 mil euros, assim como o estado dos arruamentos que mereceram intervenção, nomeadamente a Rua de Santo António, Rua Senhora do Rosário e Rua Moinhos de Vento.

Decorrida a época de inverno, impõe-se agora corrigir o impacto que a mesma teve, ao nível do abatimento dos pavimentos, de forma a garantir que as condições de habitabilidade e de circulação se mantêm. É o caso dos dois arruamentos disponíveis abaixo, que ficaram visivelmente afetados e que, por isso, vão ser reabilitados com a maior brevidade possível.

Dando continuidade a esta política de melhoria da qualidade dos acessos na freguesia, Aires Pereira decidiu avançar ainda com a repavimentação de mais três arruamentos – Rua da Escola Nova, Rua Vale Maior e Rua da Via Sacra. Estas obras, que arrancam em breve com uma duração prevista de apenas três meses.

Esta foi também uma oportunidade para o Presidente da Câmara conversar com alguns moradores e perceber o impacto positivo que estes investimentos têm na qualidade de vida de todos. Apesar dos constrangimentos inerentes às obras, é consensual no seio da comunidade a ideia de que o resultado não poderia ser mais satisfatório para a vila, já que São Pedro de Rates ganhou agora uma recolha de águas pluviais mais eficiente e uma maior amplitude de vias.

 ACES PÓVA DE VARZIM/VILA DO CONDE JÁ VACINOU PERTO DE 10 MIL PESSOAS

Com mais de um milhão de vacinas administradas até ao momento, Portugal continua a apostar no aumento da capacidade de vacinação contra a Covid-19. Nesse sentido, a Câmara Municipal informa que, até ao dia 15 de março, o ACES Póvoa de Varzim/Vila do Conde já contribuiu para este esforço coletivo com a vacinação de 9.324 pessoas em ambos os concelhos, das quais 5.424 receberam a primeira dose e 3.899 já efetuaram o processo completo de vacinação.

Recorde-se, que o ACES Póvoa de Varzim/Vila do Conde integra-se nesta estratégia nacional com Centros de Vacinação organizados no Espaço Cidadão da Póvoa de Varzim (Ex-Escola do Cruzeiro), na Avenida Nossa Senhora das Neves, n.º270, em Aver-o-Mar, e no Pavilhão do Parque de Ténis, na Avenida Júlio Graça, em Vila do Conde.

A vacinação contra a Covid-19 tem como grande objetivo prevenir o aparecimento da doença e todas as consequências inerentes à mesma, evitando a atual tensão colocada aos diversos sistemas de saúde. Procura-se, deste modo, atingir a imunidade de grupo, que acontecerá quando uma parte suficientemente grande da população estiver protegida contra o vírus, contribuindo para que este não se dissemine.

Importa relembrar que as medidas de proteção coletiva da comunidade, a vacinação e a estratégia nacional de testagem para controlar a Covid-19 não dispensam as medidas de proteção individual, pelo que as regras de etiqueta respiratória, a lavagem ou desinfeção frequente das mãos, a utilização de máscara nos espaços públicos e o cumprimento da distância física continuam a ser essenciais para nos protegermos e protegermos os outros.

 RECUPERAÇÃO DO BAIRRO NORTE CONTA COM INVESTIMENTO CAMARÁRIO

Durante este mais de um ano de pandemia, a Câmara Municipal esteve sempre na linha da frente de resposta à Covid-19, mas não deixou de parte as suas restantes obrigações com os munícipes. Mesmo com constrangimentos e restrições, a autarquia continuou a fazer grandes investimentos no concelho, a honrar os seus compromissos e a prestar contas aos poveiros.

Este foi o caso, por exemplo, das obras de requalificação no Bairro Norte – um compromisso assumido pelo Presidente da Câmara Municipal e, tal como prometido, concluído a tempo da celebração da Festa de Nossa Senhora do Desterro (que, pela primeira vez e por causa das restrições pandémicas, acabou por não se realizar no ano passado).

As obras de requalificação da Rua Patrão Sérgio resultam de um investimento do Município em mais de 300 mil euros, com vista a melhorar significativamente as condições de segurança de circulação automóvel e pedonal da população residente. Trata-se de uma intervenção muito bem conseguida e equilibrada ao nível dos pavimentos, passeios, mobiliário urbano e iluminação pública, que permitiu também a execução de novas infraestruturas hidráulicas e a reformulação das redes de drenagem de águas residuais. Este investimento da Câmara Municipal tornou o abastecimento de água no bairro mais eficiente, graças à substituição da conduta antiga e obsoleta por uma nova.

Recorde-se que o Município da Póvoa de Varzim já investiu, até ao momento, mais de 4,5 milhões de euros no Bairro Norte, tendo apostado na recuperação de outras vias e acessos; como é o caso da requalificação do pavimento da faixa de rodagem da Avenida Santos Graça, da reparação do pavimento betuminoso na Rua Gomes de Amorim e dos trabalhos de recuperação da Rua António Graça. As intervenções que se seguem são na Rua Patrão Lagoa e na Rua Serpa Pinto.

Veja na fotogaleria abaixo algumas das obras já realizadas nas principais ruas do Bairro Norte, bem como as plantas das duas futuras intervenções.

PRAZO DE LIMPEZA DE TERRENOS PRORROGADO PARA 15 DE MAIO

Segundo a lei do Orçamento do Estado para 2021, os trabalhos para a implementação de faixas de gestão de combustível contra incêndios, numa faixa de 50 metros à volta de habitações e outras edificações e numa faixa de 100 metros à volta dos aglomerados populacionais, parques de campismo e zonas industriais, deviam decorrer até 15 de março; prazo que foi agora prorrogado por um mês.

Os proprietários têm agora até dia 15 de maio para a limpeza de terrenos, sob pena de pagamento de coima de 280 a 10.000 euros (pessoas singulares) ou de 3.000 a 120.000 euros (pessoas coletivas).

Não havendo lugar à limpeza de terrenos devida, cabe às Câmaras Municipais garantir até 31 de maio a realização de todos os trabalhos de gestão de combustível, “mediante comunicação e, na falta de resposta em cinco dias, por aviso a afixar no local dos trabalhos”.

 

Texto: e noticia  / Etc e Tal jornal

Fotos: CMPV

 

01abr21

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.